Perfil do sistema de produção de pinha nos polos de fruticultura da Bahia, com ênfase nos aspectos fitossanitários da cultura

Alessandro da Silva Oliveira, Maria Aparecida Castellani, Antonio Souza do Nascimento, Aldenise Alves Moreira

Resumo


O agronegócio da pinha na Bahia é uma atividade econômica primária. O objetivo do presente trabalho foi caracterizar o perfil do sistema de produção de pinha na Bahia e os aspectos fitossanitários da cultura. Foram aplicados questionários aos produtores de pinha de Anagé, Livramento de Nossa Senhora e Presidente Dutra. A amostra foi definida levando em consideração um erro experimental de 8 e 12%. Os resultados indicaram que a cultura está estabelecida em pequenas áreas; os produtores possuem idade acima de 41 anos, baixo nível de escolaridade, com inexpressiva participação em associações e baixo nível tecnológico. A broca-do-fruto foi considerada a principal praga da pinha em Anagé e Livramento de Nossa Senhora, e as cochonilhas em Presidente Dutra, com custos de controle na faixa de 10 a 20% do total dos problemas fitossanitários. O controle químico é o mais utilizado, com produtos da Classe Toxicológica II e Classe Ambiental I, as pulverizações são iniciadas na fase de frutos pequenos, o que totaliza em torno de cinco pulverizações, sem realização de rotação de inseticidas. Constatou-se desconhecimento geral da Lei dos Agrotóxicos, o que gera muitos casos de descarte irregular de embalagens vazias.


Palavras-chave


Annona squamosa, Cerconota annonella, controle químico, diagnóstico, lei dos Agrotóxicos.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA ESTADUAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA. Bahia que Produz – Defesa Sanitária Vegetal. Relatório. Salvador: ADAB-DDSV, 2011a. p. 42.

AGÊNCIA ESTADUAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA. Diagnóstico educativo sobre a conduta dos produtores rurais do município de Lapão, com relação ao uso correto e seguro dos agrotóxicos. Relatório. Irecê: Programa de Educação Sanitária, 2011b. p. 49.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Defere inclusão de novo acondicionamento, cancelamento de registro da apresentação, cancelamento de registro do medicamento e retificação de publicação, conforme relação anexa. Resolução - RE n. 143, de 14 de Janeiro de 2011. p. 56. Seção 1. Diário Oficial da União (DOU) de 17 de Janeiro de 2011.

BARROS, R. et al. Desequilíbrio biológico do ácaro-rajado Tetranychus urticae Koch, 1836 (Acari: Tetranychidae) após aplicações de inseticidas em algodoeiro. Arquivos Instituto Biológico, São Paulo, v. 74, n. 2, p.171-174, 2007.

BITTENCOURT, M. A. L.; MATTOS SOBRINHO, C.; PEREIRA, M. J. B. Biologia, danos e táticas de controle da broca-da-polpa das anonáceas. Revista Bahia Agrícola, v. 8, n. 1, p. 16-17, 2007.

BRAGA SOBRINHO, R. Potencial de exploração de anonáceas no nordeste do Brasil. In: Semana Internacional da Fruticultura, Floricultura e Agroindústria. 17a. set 2010. Disponível em: . Acesso em 15 out. 2012.

BRANDÃO, M. H. S. T. Levantamento do de agrotóxicos e utilização de equipamentos de proteção individual entre os agricultores do polo de fruticultura de Livramento de Nossa Senhora, Bahia. 2009. 68 f. Monografia. (Especialização em Epidemiologia com ênfase em Defesa Sanitária Vegetal). União Metropolitana de Educação e Cultura. Lauro de Freitas.

GALLO, D. et al. Entomologia agrícola. Piracicaba: FEALQ, 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Comunicado. Brasília, 2012 (Comunicado nº139).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário. Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: . Acesso em 16 out. 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE FRUTAS. Programa SEBRAE de cadeias produtivas agroindustriais: estudo da cadeia produtiva de fruticultura do Estado da Bahia – Análise das principais cadeias produtivas de frutas e da fruticultura orgânica no contexto baiano. São Paulo, jan. 2005. Disponível em:

cadeiasprodutivas/Estudo%20da%20Cadeia%20Produtiva%20de%20Fruticultura%20do%20Estado%20da%20Bahia%20-%20An%C3%A1lises.pdf>. Acesso em 15 out. 2012.

LIMA, M. C.; ROCHA, S. A. Efeitos dos agrotóxicos sobre as abelhas silvestres no Brasil. Proposta metodológica de acompanhamento. Brasília: IBAMA, 2012.

LIMA, A. C. S. et al. Diagnóstico fitossanitário e de práticas associadas ao uso de agrotóxicos nas hortas em ambiente protegido em Boa Vista – Roraima. Revista Agroambiental On-line, v. 5, n. 2, p. 124-133. 2011. Disponível em: . Acesso em 13 out. 2012.

LIMA, C. A. B. et al. A. D. Diagnóstico da exposição ocupacional a agrotóxicos na principal região produtora de pêssego para indústria do Brasil. Ciência Rural, Santa Maria. v. 39, n. 3, p. 900-903, 2009.

LIMA, S. S. et al. Nível tecnológico e fatores de decisão para adoção de tecnologia na produção de caju no Ceará. Revista de Economia e Agronegócios, v. 6, n. 1, p.121-145, 2010.

MACÊDO, L. A. S. et al. Perfil socioeconômico dos produtores de abacaxi do município de Lagoa de Dentro, Paraíba. Geoambiente on-line. n. 17. jul./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em 15 out. 2012.

MALHOTRA, N.K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MARQUES, C. R. G.; NEVES. P. M. J.; VENTURA, M. U. Diagnóstico do conhecimento de informações básicas para o uso de agrotóxicos por produtores de hortaliças da região de Londrina. Ciência Agrária, Londrina, v. 31, n. 3, p. 547-556, 2010.

NOGUEIRA, E. A. E; MELLO, N. T. C. de; MAIA, M. L. Produção e comercialização de anonáceas em São Paulo e Brasil. Informações Econômicas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 51-54, 2005.

REICHERT, L. J. et al. Caracterização e análise da produção de batata nos municípios de São Lourenço do Sul – Brasil e Sanlúcar de Barrameda – Espanha. Extensão Rural, Santa Maria, n. 22, p. 133-158, 2011.

RICHETTI, A.; MORAES, G. C.; ÁVILA, C. J. Perfil do produtor e manejo de pragas na microrregião Dourados. Documento 102. Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste, 2009.

SÃO JOSÉ, A. R. Cultivo e mercado da graviola, Fortaleza: Instituto Frutal, 2003.

TRINDADE, M. L. B.; CHIAVEGATO, L. G. Efeitos de subprodutos da fotodegradação da deltametrina na população de Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae). Anais da Sociedade Entomólogica do Brasil, v. 28, n. 3, p. 511-517, 1999.

ZARTH, N. A. et al. Perfil sócio-econômico da viticultura da região sudoeste do Paraná. Synergismus Scyentifica, v. 6, n. 1, p. 10, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318179613034

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores - Indexers

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD

NACIONAL: 9- AGROBASE 10- Portal livRe! 11- Sumários.org 12- Diadorim 13- Portal SEER 14- Portal de Periódicos CAPES 15- Rede Cariniana 16- Google Scholar 17 - Sabiia

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook

 

Revista Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/23181796

 

Licença Creative Commons
Revista Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.


Acessos a partir de 20/10/2014