De pescadores artesanais a piscicultores: a mudança nos meios de vida entre os pescadores atingidos pela construção da usina hidrelétrica do funil

Natan Ferreira de Carvalho, Marcelo Leles Romarco de Oliveira, Bruno Costa da Fonseca

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar a mudança nos meios de vida dos pescadores atingidos pela construção da UHE Funil, que afetou diretamente as comunidades de Macaia, Ponte do Funil e Pedra Negra, localizadas na região do Campo das Vertentes, estado de Minas Gerais. A partir da análise dos documentos referentes ao processo de licenciamento ambiental do empreendimento, da realização de entrevistas e de trabalho campo, procuramos analisar os recursos e estratégias de vida acionadas por esses pescadores antes e depois da construção da usina, buscando entender a transformação da identidade destes pescadores a partir da substituição das atividades de pesca artesanal pela piscicultura. Como principais resultados ressalta-se que antes da construção do empreendimento estes atingidos tinham a pesca como seu principal meio de vida, a partir do enchimento do lago eles deixam de ser pescadores para se transformarem em produtores de peixe, fato que, por si só, não foi capaz de garantir a reprodução socioeconômica e cultural dos mesmos.


Palavras-chave


meios de vida, pesca artesanal, piscicultura.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n° 11.959, de 29 de junho de 2009. Dispõe sobre a Política Nacional de desenvolvimento sustentável da aquicultura e pesca. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2010.

DIEGUES, A. C. S. Pescadores, camponeses e trabalhadores do mar. São Paulo: Ed. Ática, 1983.

DIEGUES, A. C. S. Povos e mares: leituras em sócio-antropologia marítima. São Paulo: NAPAUB, 1995.

ECODINÂMICA CONSULTORES ASSOCIADOS Ltda. Relatório de avaliação de desempenho ambiental (RADA) do reservatório da UHE Funil - Consórcio AHE Funil. Belo Horizonte, 2006.

ELLIS, F. Rural Livelihoods and diversity in developing countries. Oxford: Oxford University Press, 2000.

FELDMAN- BIANCO (org). Antropologia das sociedades contemporâneas: Método, São Paulo: Global, 1987.

GOMES, R. Análise e Interpretação de Dados de Pesquisa Qualitativa. In: MINAYO, Maria Cecília de Sousa (org). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2007, p. 79-108.

HENBICK, P. et al. Livelihoods and landscapes: The people of Guquka and Koloni and thier resources. (org.) Hebinck, Paul and Lent, C. Peter.Leinden. Brill, Leidein, Boston, 2007.

LEFF, E. Saber ambiental: Sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis: Editora Vozes, 2001.

MENDONÇA, S. A. T. Turismo e pesca profissional artesanal: impactos socioambientais no Alto-Médio São Francisco. Teoria e Pesquisa: Revista de Ciências Sociais. São Carlos, v. 1, n. 44-45, Jan./Jul.2004. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2010.

PASQUOTO, V. F.; MIGUEL, L. A. Pesca artesanal e enfoque sistêmico: uma atualização necessária. In: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO, 6. 2004. Aracaju. Anais... Aracaju. 2004. 12p.

PEREIRA, M. P.; BOTELHO, M. I. V. As interferências da legislação ambiental sobre os meios de vida das comunidades rurais e o papel da Extensão Rural. Extensão Rural, Santa Maria, v. 22, n. 2, 2015.

SILVA, P. S. De pescador a piscicultor: as transformações do processo produtivo dos ribeirinhos no baixo São Francisco. In: REUNIÃO EQUATORIAL DE ANTROPOLOGIA - REA, 2007. Aracaju. América Equatorial – Cultura na Contemporaneidade, 2007.

VALENCIO, N. F. L. S.; MENDONÇA, S. A. T.; MARTINS, R. C. Da Tarrafa ao Tanque-rede: o Processo Político-institucional de Extinção de uma Categoria de Trabalhadores das Águas. In: VALENCIO, N. F. L. S.; MARTINS, R. C. (Orgs.) Uso e gestão dos recursos hídricos no Brasil: desafios teóricos e político-institucionais. Volume II – São Carlos: RIMA, 2003. p. 271 – 293.

VALENCIO, N. F. L. S. et al. Condições de Vida e Trabalho do Pescador Profissional da Bacia do Alto/Médio São Francisco. In: VALENCIO, N. F. L. S.; MARTINS, R. C.; LEME, A. A. (Orgs.). Uso e gestão dos recursos hídricos no Brasil: desafios à cidadania. 2 ed. São Carlos: RIMA, 2006. p.187 – 204.

VALENCIO, N. F. L. S. A Pesca Artesanal como identidade: mercantilização e dissolução de um modo de vida rural. In: CONGRESSO LATINO AMERICANO DE SOCIOLOGÍA RURAL, 7., 2006. Quito. Anais... Quito: ALASRU/ FLACSO, 2006. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2010.

VALENCIO, N. F. L. S. Pescadores do Rio São Francisco: a produção social da inexistência. São Carlos: RIMA, 2007.

VAN VELSEN, J. A Análise Situacional e o método de estudo de caso detalhado. In: Feldman-Bianco (org). Antropologia das sociedades contemporâneas: Método, São Paulo: Global, 1987.

VENTURATO, R. D. Desafios do modo de vida da pesca artesanal em água doce num contexto socioambiental adverso: uma análise sociológica do caso do bairro rural do Tanquã, Piracicaba/ SP. 2008. 144f. Dissertação. Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural. Centro de Ciências Agrárias. Universidade Federal de São Carlos. Araras. 2008.




DOI: https://doi.org/10.5902/2318179612411

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

*** DESDE 2014 O PERIÓDICO É PUBLICADO TRIMESTRALMENTE***

.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Geral: 10.5902/23181796 (os especificos estão nos RESUMOS - clique sobre o titulo do trabalho, no sumário) 


Periódico Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

INDEXADORES -  INDEXERS

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD - 9- MIAR 

NACIONAL: 10- AGROBASE 11- Portal livRe! 12- Sumários.org 13- Diadorim 14- Portal SEER 15- Portal de Periódicos CAPES 16- Rede Cariniana 17- Google Scholar 18- Sabiia

 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

CONTATO:
E-mail: atendimento.extensao.rural@gmail.com- Campus Universitário - Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural/Centro de Ciências Rurais/Universidade Federal de Santa Maria - Prédio 44 (CCR II) - 1º Piso - CEP: 97105-900 - Santa Maria - RS - BRASIL. 

 

"Os trabalho publicados na revista Extensão Rural são de responsabilidade dos seus autores e não representam necessariamente a opinião dos editores. Reprodução dos trabalhos é permitida, desde que a fonte seja citada."

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.