“O surdo é um sujeito visual, por isso é preciso usar materiais concretos nas aulas de matemática”: problematizações acerca da educação matemática para alunos surdos bilíngues

Fernando Henrique Fogaça Carneiro, Fernanda Wanderer

Resumo


O artigo apresenta resultados de uma pesquisa desenvolvida com o propósito de examinar enunciados que constituem o discurso da educação matemática para alunos surdos bilíngues dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Como aportes teóricos utilizou-se o campo da Etnomatemática em seus entrecruzamentos com o pensamento de Michel Foucault. Os materiais escrutinados envolveram um conjunto de documentos de uma instituição de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, que oferece ensino bilíngue. A estratégia analítica utilizada para operar sobre esses materiais orientou-se pela análise do discurso, na perspectiva foucaultiana. O resultado dessa operação mostrou que na escola estudada circula um enunciado que diz: “o surdo é um sujeito visual, por isso é preciso usar materiais concretos nas aulas de matemática”. Pode-se verificar que o enunciado estudado se entrelaça com outros que circulam nos discursos contemporâneos da Educação de Surdos e da Educação Matemática, constituindo-se em uma verdade a respeito dos processos de ensinar matemática na forma de vida surda.


Palavras-chave


Alunos surdos; Educação Matemática; Foucault

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALBERTON, Bruna. Discursos curriculares sobre educação matemática para surdos. 107 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política nacional de educação especial de educação especial na educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://www.portal.mec.gov.br/ seesp/arquivos/pdf/politica.pdf. Acesso em: 16 dez. 2016.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2016. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, ano 152, n. 127, seç. 1, p. 2-11, 7 jul. 2015.

CAMPELLO, Ana Regina e Souza. Aspectos da visualidade na educação de surdos. 245 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

CAMPELLO, Ana Regina e Souza; REZENDE, Patrícia. Em defesa da escola bilíngue para surdos: a história de lutas do movimento brasileiro. Educar em revista, Curitiba, v. 30, n. 2, p. 71-92, 2014.

COUTINHO, Maria Dolores. A constituição de saberes num contexto de educação bilíngue para surdos em aulas de matemática numa perspectiva de letramento. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática e educação. In: KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda; OLIVEIRA, Claudio Jose (Org.). Etnomatemática, currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010. p. 39-52.

FORMOZO, Daniele de Paula. Professores surdos discutindo currículo. In: THOMA, Adriana; KLEIN, Madalena (Org.). Currículo e avaliação: a diferença surda na escola. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009. p. 32-48.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015a.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015b.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: a vontade de saber. 15. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2003.

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. 3. ed. Rio de Janeiro: NAU, 2002.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-249.

JUNGES, Débora. Educação Matemática e subjetivação em formas de vida da imigração alemã no Rio Grande do Sul no período da Campanha de Nacionalização. 231f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos –

UNISINOS. São Leopoldo, 2017.

KARNOPP, Lodenir. Língua de sinais na educação de surdos. In: THOMA, Adriana; LOPES, Maura Corcini (Org.). A invenção da surdez: cultura, alteridade, identidade e diferença no campo da educação. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004. p. 103-113.

KARNOPP, Lodenir; KLEIN, Madalena. Narrativas de Professoras sobre a(s) língua(s) na educação de surdos. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 2, n. 32, p. 63-78, jul./dez. 2007.

KENDALL, Gavin; WICKHAM, Gary. Using Foucault’s methods. London: SAGE, 1999.

KIPPER, Daiane. Práticas matemáticas visuais produzidas por alunos surdos: entre números, letras e sinais. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2015.

KNIJNIK, Gelsa. Educação matemática, culturas e conhecimento na luta pela terra. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2006.

KNIJNIK, Gelsa. Differentially positioned language games:

ethnomathematics from a philosophical perspective. Educational Studies in Mathematics, New York, United States, v. 80, n. 1-2, p. 87-100, May 2012.

KNIJNIK, Gelsa. Juegos de lenguaje matemáticos de distintas formas de

vida: contribuciones de Wittgenstein y Foucault para pensar la educación matemática. Educación Matemática, Mexico, v. 26, n. especial, p. 146-161, marzo 2014. Especial 25 años. [Fascículo não numerado].

KNIJNIK, Gelsa. Pesquisar em educação matemática na contemporaneidade: perspectivas e desafios. Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 1-14, 2016.

KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda. “A vida deles é uma matemática”: regimes de verdade sobre a educação matemática de adultos do campo. Revista Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 4, n.7, p. 56-61, jul./dez. 2006.

KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda. Da importância do uso de materiais concretos nas aulas de matemática: um estudo sobre os regimes de verdade sobre educação matemática camponesa. In:

ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 9, 2007, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: SBEM, 2007. p. 1-17 Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/files/ix_enem/Comunicacao_Cientifica/trabalhos/ CC25473972004T.doc. Acesso em: 14 maio 2017.

KNIJNIK, Gelsa; DUARTE, Claudia Glavann. Entrelaçamentos e Dispersões de Enunciados no Discurso da Educação Matemática Escolar: um estudo sobre a importância de trazer a “realidade” do aluno para as aulas de matemática. Bolema, Rio Claro (SP), v. 23, n. 37, p. 863-886, dez. 2010.

KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda; DUARTE, Claudia Glavann. De las invenciones pedagógicas: la importancia del uso de materiales concretos en las aulas de matemática. Uno, Barcelona, España, v. 24, n. 55, p. 81-93, jul./sept. 2010.

KNIJNIK, Gelsa et al. Etnomatemática em movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

LOPES, Maura Corcini. Surdez & Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

PERLIN, Gladis. Identidade surda. In: SKLIAR, Carlos (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 2013. p. 51-72.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. 24. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

PIAGET, Jean. O estruturalismo. 3. ed. São Paulo: Difel, 1979.

PICOLI, Fabiana Diniz Camargo. Alunos/as surdos/as e processos educativos no âmbito da educação matemática: problematizando relações de exclusão/inclusão. 80 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas, Centro Universitário Univates, Lajeado, RS, 2010.

REVEL, Judith. Dicionário Foucault. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

SILVA, Fabiana Boff. A(prender) a matemática é difícil: problematizando verdades do currículo escolar. 118 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

SKLIAR, Carlos. Os Estudos Surdos em educação: problematizando a normalidade. In: SKLIAR, Carlos. (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 2013. p. 7-32.

STROBEL, Karin. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: Editora UFSC, 2008.

STÜRMER, Ingrid. Avaliação na educação de surdos: o inquietante processo de ensino-aprendizagem do português como segunda língua. In:

THOMA, Adriana; KLEIN, Madalena. (Org.). Currículo e avaliação: a

diferença surda na escola. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009. p. 86-107.

QUADROS, Ronice; SCHMIEDT, Magali. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Brasília, DF: MEC, SEESP, 2005.

THOMA, Adriana. Educação Bilíngue para surdos no contexto da educação inclusiva. In: MORAES, Salete Campos (Org.). Educação inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre: Evangraf, 2011. p. 129-140.

THOMA, Adriana. Identidades e diferença surda constituídas pela avaliação. In: THOMA, Adriana; KLEIN, Madalena (Org.). Currículo e avaliação: a diferença surda na escola. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2009. p. 49-68.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & Educação. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

VYGOTSKY, Lev. Obras escogidas V: fundamentos da defectologia. Madrid, España: Visor, 1997.

WALKERDINE, Valerie. Diferença, cognição e educação matemática. In: KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda; OLIVEIRA, Claudio Jose (Org.). Etnomatemática, currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004. p.109-123.

WALKERDINE, Valerie. Uma análise foucaultiana da pedagogia construtivista. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Liberdades reguladas: a pedagogia construtivista e outras formas de governo do eu. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 143-215.

WALKERDINE, Valerie. O raciocínio em tempos pós-modernos. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 2, n.20, p. 207-226, 1995.

WANDERER, Fernanda. Educação matemática, jogos de linguagem e regulação. São Paulo: LF Brasil, 2014.

WANDERER, Fernanda. Educação Matemática, processos de regulação e o Programa Escola Ativa. Revista Educação Pública, Cuiabá, v. 26, n. 61, p. 201-221, jan./abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X34343

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________