Potencial de seleção em uma população de <i>Eucalyptus grandis</i> Hill ex Maiden, para resistência à mancha foliar e ao cancro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1980509856935

Palavras-chave:

Eucalyptus grandis, Seleção, Herdabilidade, Doença

Resumo

O uso de genótipos resistentes é um dos principais métodos de controle de doenças no Brasil, sendo fundamental o melhoramento genético visando a obter novos genótipos resistentes, para suprir essa demanda. Assim, o objetivo deste trabalho foi estimar os parâmetros genéticos das variáveis resistência ao cancro, causado por Chrysoporthe cubensis e resistência à mancha foliar, causada por Cylindrocladium spp. e Kirramyces epicoccoides, bem como avaliar suas implicações na estratégia de melhoramento genético de Eucalyptus grandis. Foi instalado um teste de progênies de polinização aberta, em dois locais no Estado de São Paulo, nas regiões de Anhembi e Itatinga. O teste foi realizado em blocos casualizados, com 176 progênies e três testemunhas, uma por parcela, com 30 repetições em Itatinga e 28 repetições na região de Anhembi. A resistência ao cancro foi avaliada aos 12, 24 e 29 meses de idade na região de Anhembi e aos 15, 27 e 32 meses de idade, na região de Itatinga. A resistência à mancha foliar foi avaliada aos 12 e 24 meses de idade na região de Anhembi e aos 15 e 27 meses de idade, na região de Itatinga. Os parâmetros genéticos foram estimados, utilizando o software SELEGEN REML/BLUP®. Com a mesma população de seleção, verificou-se que, para a região de Itatinga, as estimativas de parâmetros genéticos indicam maior potencial para a seleção de genótipos resistentes ao cancro e à mancha foliar. Porém, para as condições edafoclimáticas da região de Anhembi, essa população apresenta potencial de seleção inferior, o que fica evidenciado pelos baixos valores de herdabilidade média individual de progênies estimados. Na região de Itatinga, foram obtidos valores de herdabilidade média individual de progênies para a resistência ao cancro e à mancha foliar, que variaram de moderado a alto, indicando que pode haver bons ganhos com a seleção neste local.

Biografia do Autor

Eduardo Henrique Rezende, Universidade Federal do Tocantins, Gurupi, TO

Engenheiro Florestal, Dr., Pós doutorando da Universidade Federal do Tocantins, Rua Badejós, 07 e 08, CEP 77410-970, Gurupi (TO), Brasil.

Celso Garcia Auer, Embrapa Florestas, Colombo, PR

Engenheiro Florestal, Dr., Pesquisador, Embrapa Florestas, Estrada da Ribeira Km 111 s/n, CEP 83411-000, Colombo (PR), Brasil.

Izabela Moura Duin, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR

Engenheira Florestal, Ma., Doutoranda, Programa de Pós-graduação em Agronomia, Universidade Estadual de Londrina, Centro de Ciências Agrárias, Rodovia Celso Garcia Cid, PR 445 Km 380, Campus Universitário, CEP 86055-900, Londrina (PR), Brasil.

Thiare Aparecida do Valle Coelho, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR

Engenheira Florestal, Ma., Universidade Federal do Paraná, Av. Prefeito Lothário Meissner - Jardim Botânico, CEP 82590-300, Curitiba (PR), Brasil.

Izabele Domingues Soares Miranda, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, São Félix do Xingu, PA

Engenheira Florestal Dra., Professora do curso de Engenharia Florestal, Instituto de Estudos do Xingu, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Av. Norte Sul, Setor 015, CEP 68380-000, São Félix do Xingu (PA), Brasil.

Antonio Rioyei Higa, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR

Engenheiro Florestal, Dr., Aposentado da Universidade Federal do Paraná, Av. Prefeito Lothário Meissner, 632, CEP 82590-300, Curitiba – (PR), Brasil.

Luciana Duque Silva, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Piracicaba, SP

Engenheira Florestal, Dra., Professora de Implantação e Manejo Florestal Departamento de Ciências Florestais. Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz". Av. Pádua Dias, 11, Caixa Postal 9, CEP 13418-900, Piracicaba, (SP), Brasil.

Álvaro Figueredo dos Santos, Embrapa Florestas, Colombo, PR

Engenheiro Florestal Dr., Pesquisador aposentado, Embrapa Florestas, Estrada da Ribeira Km 111 s/n, CEP 83411-000, Colombo (PR), Brasil.

Referências

ALFENAS, A. C. et al. Clonagem e doenças do eucalipto. 2. ed. Viçosa, MG: [s. n.], 2009. 500 p.

AUER, C. G.; SANTOS, A. F dos; FURTADO, E. L. Doenças do eucalipto. In: AMORIM, L. et al. Manual de fitopatologia. 5. ed. Ouro Fino: Editora Agronômica Ceres, 2016. v. 2. p. 359-372.

BALMELLI, G. et al. Mejoramento genético em Eucalyptus globulus y Eucalyptus maidenii por resistência a Teratosphaeria nubilosa. In: JORNADA TÉCNICA DE PROTECCIÓN FORESTAL, AVANCES DE INVESTIGACIÓN EM PLAGAS Y ENFERMIDADES FORESTALES, 5., 2013. Anales [...]. [S. l.: s. n.], 2013. p. 55-65.

BARRY, K. M.; PINKARD, E. A. Growth and photosynthetic responses following defoliation and bud removal in eucalypts. Forest Ecology and Management, [s. l.], n. 293, p. 9-16. abr./jun. 2013.

BORGES, R. C. G.; BRUNE, A. Estudo quanto à resistência à Diaporthe cubensis Bruner em Eucalyptus grandis W Hill ex. Maiden. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 5, n. 1, p. 115-120, jan./mar. 1981.

CARNEGIE, A. J.; ADES, P. K. Variation in Eucalyptus globulus Labill. and E. nitens Dean and Maiden in susceptibility of adult foliage to disease caused by Mycosphaerella cryptica (Cooke) Hansf. Silvae Genetica, [s. l.], v. 54, n. 4, p. 174-184, dez. 2005.

CRUZ, C. D. Princípios de genética quantitativa. Viçosa, MG: UFV, 2005. 394 p.

DUNGEY, H. S. et al. Mycosphaerella leaf disease: genetic variation in damage to Eucalyptus nitens, Eucalyptus globulus, and their F-1 hybrid. Canadian Journal of Forest Research, [s. l.], v. 27, p. 750-759, 1997.

ELDRIDGE, K. et al. Eucalypt domestication and breeding. New York: Oxford University Press, 1993. 288 p.

FONSECA, S. M. et al. Manual prático de melhoramento genético do eucalipto. Viçosa, MG: Editora UFV, 2010. 200 p.

HORNBURG U. K. F. et al. Qualidade das toras e da madeira serrada de seis espécies de eucalipto cultivadas no litoral de Santa Catarina. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 40, n. 96, p. 463-471, dez. 2012.

MAJIDI, M. M.; MIRLOHI, A.; AMINI, F. Genetic variation heritability and correlation of agro-morphological traits in tall fescue (Festuca arundinaceae Schreb.). Euphytica, [s. l.], v. 167, n. 3, p. 323-331, jan. 2009.

MARTINS, I. S.; MARTINS, R. C. C.; PINHO, D. Alternativas de índices de seleção em uma população de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. Cerne, Lavras, v. 12, n. 3, p. 287-291, jul./set. 2006.

MIRANDA, A. C. et al. Heritability for resistance to Puccinia psidii Winter rust in Eucalyptus grandis Hill ex Maiden in Southwestern Brazil. Tree Genetics & Genomes, [s. l.], v. 9, n. 2, p. 321-329, abr. 2013.

OLIVEIRA, R. R.; FURTADO, E. L. Escala diagramática com categorias de severidade de ataque para o cancro basal do Eucalipto. In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FCA/UNESP, 2000, São Paulo. Resumos [...]. São Paulo: FCA; UNESP, 2000.

OLIVEIRA, T. W. B. Seleção simultânea para crescimento, grau de infecção à ferrugem e qualidade da madeira no melhoramento de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. Dissertação (Mestrado) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2017.

PASSADOR, M. M. et al. Teratosphaeria nubilosa em plantações comerciais de Eucalyptus globulus nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 38, n. 1, p .11-16, jan./mar. 2012.

POTTS, B. M. et al. Quantitative genetic control of Mycosphaerella resistance. In: EUCALYPTUS GLOBULUS AND IMPACT ON GROWTH, 2004, Aveiro. Proceedings [...]. Aveiro: [s. n.], 2004. p. 46-61.

PREVEDELLO, J. et al. Manejo do solo e crescimento inicial de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden em Argissolo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 1, p. 129-138, jan./mar. 2013.

PRYOR, L. D. A classification of the eucalypts. Canberra: Australian National University, 1971. 102 p.

RESENDE, M. D. V. Genética biométrica e estatística no melhoramento de plantas perenes. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2002. 975 p.

RESENDE, M. D. V. Genética quantitativa e de populações. Viçosa, MG: Suprema, 2015. 463 p.

RESENDE, M. D. V. Matemática e estatística na análise de experimentos e no melhoramento genético. Colombo: Embrapa Florestas, 2007. 561 p.

RESENDE, M. D. V. Software Selegen–REML/BLUP. Manual do Usuário. Campo Grande: Embrapa, 2006. 305 p.

REZENDE, E. H. et al. Avaliação da resistência de progênies de Eucalyptus grandis para mancha foliar de Cylindrocladium e Kirramyces. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 45, n. 3, p. 295-301, out. 2019.

SANTOS, A. F dos.; AUER, C. G.; GRIGOLETTI JUNIOR, A. Doenças do eucalipto no sul do Brasil: Identificação e controle. [S. l.], Embrapa Florestas, 2001. 20 p. (Circular Técnica, 45).

SCHULTZ, B. et al. Impacto da mancha foliar causada por Cylindrocladium candelabrum em plantios jovens de Eucalyptus benthamii em Rio Negrinho-SC. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, p. 307-316, abr./jun. 2015.

SILVA, L. D. Melhoramento genético de Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage visando à produção de madeira serrada em áreas de ocorrência de geadas severas. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008. 256 p.

SILVA, P. H. M. et al. Selecting for rust (Puccinia psidii) resistance in Eucalyptus grandis in Sao Paulo State, Brazil. Forest Ecology and Management, [s. l.], v. 303, p. 91-97, 2013.

SOUZA, H. G. Resistência do eucalipto ao cancro de Chrysoporthe cubensis e Botryosphaeria sp. Dissertação (Mestrado em Ciências Agronômicas) - Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2008.

SOUZA, S. E. et al. Influência do cancro basal em Eucalyptus grandis nas propriedades da madeira e polpação kraft. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 88, p. 547-557, dez. 2010.

VAN VLECK, L. D.; POLLAK, E. J.; OLTENACU, E. A. B. Genetics for the animal sciences. New York: W. H. Freeman, 1987. 391 p.

Downloads

Publicado

17-11-2021

Como Citar

Rezende, E. H., Auer, C. G., Duin, I. M., Coelho, T. A. do V., Miranda, I. D. S., Higa, A. R., Silva, L. D., & Santos, Álvaro F. dos. (2021). Potencial de seleção em uma população de <i>Eucalyptus grandis</i> Hill ex Maiden, para resistência à mancha foliar e ao cancro. Ciência Florestal, 31(4), 1930–1948. https://doi.org/10.5902/1980509856935

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)