MÉTODOS DE DETECÇÃO, TRANSMISSÃO E PATOGENICIDADE DE Fusarium spp. EM SEMENTES DE Pinus taeda

Thaisa Wendhausen Ramos da Silva, Álvaro Figueredo dos Santos, Celso Garcia Auer, Dauri José Tessmann

Resumo


A podridão-de-raiz (PR), causada por Fusarium spp., ocasiona perdas de plântulas no viveiro que apresentam, inicialmente, descoloração das acículas para tom verde-amarelado seguida de curvatura apical, murcha e consequente morte da muda. Os objetivos deste trabalho foram: a) determinar o método adequado e eficiente para detecção de Fusarium spp. nas sementes de Pinus taeda; b) verificar se há transmissão de Fusarium spp. das sementes para as plântulas de Pinus taeda; c) desenvolver uma escala descritiva para avaliar a severidade da PR em mudas de Pinus taeda; d) avaliar a patogenicidade, agressividade e área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) de isolados de Fusarium spp. Para detecção foram aplicados três tratamentos em seis lotes de sementes de Pinus taeda, sendo quatro repetições de 25 sementes: blotter test, papel-cartão e meio seletivo. A transmissão foi avaliada em sementes de seis lotes de Pinus taeda durante 60 dias contabilizando-se a percentagem de plântulas emergidas (PE), sementes não germinadas (SNG) e de SNG com Fusarium spp. Uma escala descritiva de notas foi desenvolvida para avaliar a severidade de PR em mudas de Pinus taeda. A severidade e a incidência da doença foram avaliadas aos 7, 14, 21 e 28 dias após a inoculação das mudas de Pinus taeda de seis meses de idade. Foi avaliada a patogenicidade, a severidade e a incidência de doze isolados de Fusarium spp. obtidos no teste de detecção Para o teste de patogenicidade e agressividade foram 13 tratamentos com 15 repetições. O método de detecção mais sensível ao detectar Fusarium spp. em sementes de Pinus taeda foi o meio seletivo. Não foi observada transmissão de Fusarium spp. das sementes para as plântulas, no entanto, Fusarium spp. causou apodrecimento de sementes na fase de germinação; a escala descritiva permitiu a avaliação da progressão dos sintomas da doença PR; nove isolados de Fusarium spp.  mostraram-se patogênicos a mudas de Pinus taeda, reproduzindo sintomas típicos da PR, sendo o isolado L3R2 o mais agressivo e o que exibiu maior AACPD.


Palavras-chave


patologia florestal; espécie florestal; patologia de semente; sementes florestais

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS. Anuário Estatístico da ABRAF 2012: ano base 2011. Brasília: ABRAF, 2012.

ALVAREZ, A. M.; KANESHIRO, W. S. Detetion and identification of Clavibacter michiganensis subsp. michiganensis in tomato seed. In: INTERNATIONAL SEED TESTING ASSOCIATION: PLANT DISEASE COMMITTEE, 3., 1999, lowa. Procedings... Zurich: ISTA, 1999. p. 93-97.

AUER, C. G. et al. Doenças em Pinus: identificação e controle. Colombo: Embrapa Florestas, 2001.

ANDERSON, R. L. A new method for assessing contamination of slash and loblolly pine seeds by Fusarium moniliforme var. subglutinans. Plant Disease, Saint Paul, v. 70, n. 5, p. 452-453, 1986.

AUER, C. G. et al. Occurrence of seed fungi inside slash pine seeds produced in seed orchards in the United States. Seed Science and Technology, Zurich, n. 12, p. 795-799, 1984.

BARNETT, H. L.; HUNTER, B. B. Illustrated genera of imperfect fungi. 4th. ed. Saint Paul: APS Press, 1998.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regra para análise de sementes. Brasília:MAPA, 2009.

BENETTI, S. C. et al. Levantamento de fungos em sementes de cedro e avaliação da patogenicidade de Fusarium sp. e Pestalotia sp. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 58, p. 81-85, jan./jun. 2009.

CAMPBELL, C. L.; MADDEN, L. V. (Ed.). Introduction to plant disease epidemiology. New York: Wiley, 1990. 532 p.

CARNEIRO, J. S. Microflora associada a sementes de essências florestais. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 11, p. 557-566, 1986.

CARNEIRO, J. S. Testes de sanidade de sementes de essências florestais. In: SOAVE, J.; WETZEL, M. M. V. S. Patologia de Sementes. Campinas: Fundação Cargill, 1987. p. 386-393.

CONSTANTINO, V. Efeitos de métodos de produção de mudas e equipes de plantadores na arquitetura do sistema radicular e no crescimento de Pinus taeda Linnaeus. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009.

GEISER, D et al. FUSARIUM-ID v.1.0: A DNA sequence database for identifying Fusarium. European Journal of Plant Pathology, Dordrecht, v. 110, p. 473-479, 2004.

GRIGOLETTI JUNIOR, A.; AUER, C. G. Fusariose em mudas de Pinus taeda. Colombo: Embrapa Florestas, 2006. (Comunicado Técnico, 166).

HOMECHIN, M; PIZZINATTO, M. A; MENTEN, J. O. M. Sanidade de sementes de Pinus elliottii var. elliottii e Pinus taeda e patogenicidade de Fusarium oxysporum em plântulas de Pinus elliottii var. elliottii. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 12, p. 102-112, 1986.

JACCOUD FILHO, D. S.; DABUL, A. N. G. Novos métodos de detecção de fungos em sementes florestais. In: SANTOS, A. F. et al. Patologia de sementes florestais. Colombo: Embrapa Florestas, 2011. p. 69-86.

LASCA, C. C.; SAMPAIO, A. S.; CINTRA, A. F. Condições fitossanitárias de sementes importadas de Pinus spp. O Biologico, São Paulo, v. 37, n. 11, p. 287-292, 1971.

LAZAROTTO, M. et al. Detecção, transmissão, patogenicidade e controle químico de fungos em sementes de paineira (Ceiba speciosa). Summa phytopathologica, Botucatu, v. 36, n. 2, p. 134-139, 2010.

LAZAROTTO, M. et al. Sanidade, transmissão via semente e patogenicidade de fungos em sementes de Cedrela fissilis procedentes da região sul do Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 3, p. 493-503, jul./set. 2012.

MACIEL, C. G. et al. First Report of Fusarium sambucinum associated on Pinus elliottii seeds in Brazil. Plant Disease, Saint Paul, n. 7, 2013.

MARTINS, M. K. Variabilidade genética de isolados de Fusarium spp. e estudo da interação com a planta hospedeira. 2005. 124 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2005.

MAUDE, R. B. Seedborne diseases and their control: principles. Wallingford: CAB International, 1996. 280 p.

NEERGAARD, P. Seed pathology. London: McMillan Press, 1979. v. 1, 839 p.

RUIZ FILHO, R. R. et al. Fungos associados às sementes de cedro. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 30, n. 4, p. 494-496, 2004.

SANTOS, A. F. et al. Patologia de Sementes Florestais. Colombo: Embrapa Florestas, 2011. 236 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509826448

Licença Creative Commons