QUALIDADE SANITÁRIA E FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE ARAUCÁRIA DURANTE ARMAZENAMENTO

Hagata Siqueira Hennipman, Álvaro Figueredo dos Santos, Elisa Serra Negra Vieira, Celso Garcia Auer

Resumo


Araucaria angustifolia é uma espécie de importância ecológica e socioeconômica na região Sul do Brasil, porém, em risco de extinção. Sua semente é classificada como recalcitrante, necessitando armazenamento sob temperatura e umidade relativa controladas para maior longevidade. Outro aspecto refere-se à qualidade sanitária das sementes, a qual é prejudicada pelo elevado teor de água que causa a proliferação de fungos, os quais podem reduzir a germinação. Este trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade sanitária e fisiológica de sementes de araucária desinfestadas com solução de hipoclorito de sódio (NaClO) a 0,5; 1 e 3 % e submetidas a diferentes períodos de armazenamento (2, 4, 6, 8 e 12 meses). A qualidade das sementes foi avaliada pelos testes de germinação, vigor e sanidade. A desinfestação das sementes, independentemente da concentração utilizada, retardou temporariamente a germinação das mesmas, porém, não afetou negativamente a emergência das plântulas. Após 12 meses de armazenamento, verificou-se a infecção das sementes por Schizophyllum commune, o que causou a redução da germinação. As sementes tratadas com NaClO apresentaram menor incidência de fungos, especialmente Schizophyllum commune, garantindo a qualidade sanitária das mesmas durante o armazenamento por 12 meses. O tratamento com NaClO favorece positivamente a qualidade fisiológica das sementes de araucária que serão armazenadas por período superior a 4 meses.


Palavras-chave


Araucaria angustifolia; germinação; vigor; patologia de sementes.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, G. O. S.; FLEIG, F. D.; CASA, R. T. Tratamento de sementes de Araucaria angustifolia (Bertol.) kuntze com substâncias potencialmente repelentes à fauna consumidora. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 17, n. 3, p. 279-287, 2007.

ASSUNÇÃO, M. M. C.; CAVALCANTI, M. A. Q.; MENEZES, M. Schizophyllum commune isolado como fungo endofítico de folhas de bananeira (Musa spp), em Pernambuco, Brasil. Agrotrópica, Ilhéus, v. 22, n. 2, 2010.

BARNETT, H. L.; HUNTER, B. B. Illustrated genera of imperfect fungi. Saint Paul: APS Press, 1998. 218 p.

BERJAK, P.; PAMMENTER, N. W. From Avicennia to Zizania: seed recalcitrance in perspective. Annals of Botany, London, v. 101, p. 213-228, 2008.

BEZERRA, J. L.; OLIVEIRA, D. P. Schizophyllum commmune como agente patogênico em sementes de dendê (Elaeis guineenses) na Bahia. Revista Theobroma, Ilhéus, v. 14, n. 1, p. 73-74, 1984.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 398 p.

BONOME, L. T. S. et al. Influência do tratamento fungicida e da temperatura sobre a qualidade fisiológica de sementes de seringueira durante o armazenamento. Agrarian, Dourados, v. 2, n. 5, p. 97-112, 2009.

CAÇOLA, A. V. et al. Qualidade fisiológica de sementes de Araucaria angustifolia (Bertol.). Kuntze submetidas a diferentes condições de armazenamento e a escarificação. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 4, p. 391-398, 2006.

COUTINHO, W. M. et al. Efeitos de hipoclorito de sódio na germinação de conídios de alguns fungos transmitidos por sementes. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 25, n. 3, p. 552-55, 2000.

EIRA, M. T. S. et al. Efeito do grau de umidade sobre a germinação de sementes de Araucaria angustifólia (Beret.). O Ktze – Araucariaceae. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 16, n. 1, p. 71-75, 1994.

FOWLER, J. P.; BIANCHETTI, A.; ZANON, A. Conservação de sementes de pinheiro do Paraná sob diferentes condições de ambientes e embalagens. Colombo: EMBRAPA, 1998. 4 p. (Comunicado Técnico, 34).

HARMON, G. G.; PFLEGER, F. L. Pathogenicity and infection sites of Aspergillus species in stored seeds. Phytopathology, St. Paul, v. 64, n. 10, p. 1339-1344, 1974.

IBAMA. Portaria N. 37-N de 3 de abril de 1992. Reconhece como lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção a relação que apresenta. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, n. 66, p. 4302-4303, 6 abr. 1992.

LIMA, A. R.; CAPOBIANCO, J. P. R. (Orgs.). Mata Atlântica: avanços legais e institucionais para sua conservação. Brasília: Instituto Sócio Ambiental, 1997. (Documentos do ISA, 4).

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

MENDONÇA, R. M. N.; DIAS, D. C. F. Conservação de sementes de fruteiras tropicais recalcitrantes: uma abordagem revisão bibliográfica. Agropecuária Técnica, Campina Grande, v. 21, n. 1/2, 2000.

MUNIZ, M. F. B.; SILVA, L. M.; BLUME, E. Influência da assepsia e do substrato na qualidade de sementes e mudas de espécies florestais. Revista Brasileira de Sementes, Pelotas, v. 29, n. 1, p. 140-146, 2007.

NEVES, C. S. V. G. Sementes recalcitrantes. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 29, n. 9, p. 1459-1467, 1994.

PARISI, J. J. D. Associação entre fungos e a viabilidade de sementes de Inga vera subsp. Affinis (DC.) T. D. Penn. durante o armazenamento. 80 f. 2012. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

RODRIGUES, A. A. C.; MENEZES, M. Detecção de fungos endofíticos em sementes de caupi provenientes de Serra Talhada e de Caruaru, estado de Pernambuco. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 27, p. 532-537, 2002.

SALOMÃO, A. N. et al. Efeito do teor de água sobre a germinação de sementes de Araucaria angustifolia (Bert). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 16, n. 1, p. 71-75, 1994.

TURNER, P. D.; BULL, R. A. Diseases and disorders of the oil palm in Malaysia. Kuala Lumpur: Incorporated Society of Planters, 1969. 274 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509827749

Licença Creative Commons