INFLUÊNCIA DO Al3+ EM SOLUÇÃO NUTRITIVA NO CRESCIMENTO DE TRÊS ESPÉCIES FLORESTAIS UTILIZADAS NA RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

Rafael Antônio Presotto, Marcos Gervasio Pereira, Everaldo Zonta, Edson Marcio Mattiello

Resumo


Um dos principais fatores limitantes no desempenho das culturas agrícolas e florestais na maioria dos solos tropicais é o efeito tóxico do Al3+. No entanto, algumas espécies vegetais apresentam mecanismos de adaptação que lhes conferem tolerância a essas condições. O objetivo deste estudo foi avaliar o desenvolvimento de três espécies florestais cultivadas em solução nutritiva com diferentes níveis de Al3+. Para tanto, mudas de Acacia mangium, Mimosa artemisiana e Enterolobium contortisiliquum foram cultivadas em solução nutritiva com quatro concentrações de Al3+ (controle, 185, 370 e 555 mmol L-1) durante 95 dias. Ao final do experimento, as plantas foram segmentadas e uma fração conhecida das raízes foi digitalizada para estimativa de área e comprimento radicular. O caule, folhas e o restante das raízes foram secos em estufa de ventilação forçada, sendo determinada a biomassa e os teores de N, P e K no tecido vegetal. As espécies apresentaram padrões de crescimento diferenciados em função do aumento do teor de Al3+ na solução nutritiva, sendo que a Acacia mangium e a Enterolobium contortisiliquum foram mais tolerantes ao Al+3, demonstrando potencial de uso na recuperação de áreas degradadas e com solos ácidos. Os teores de N nas partes das plantas não foram influenciados pelo Al3+, no entanto, a concentração de P aumentou nas raízes das três espécies com níveis intermediários de Al3+, resultando em redução de P na parte aérea da Acacia mangium e Mimosa artemisiana. A concentração de K na Acacia mangium foi reduzida somente no menor nível de Al3+, enquanto para Mimosa artemisiana a redução foi gradativa.


Palavras-chave


Nutrição florestal; Mimosa artemisiana; Enterolobium contortisiliquum; Acacia mangium.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, A. P.; PAIVA SOBRINHO, S. Germinação e produção de mudas de tamboril (Enterolobium contortisiliquum (VELL.) MORONG) em diferentes substratos. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 35, n. 3, p. 581-588, 2011.

BROCKWELL, J. et al. Nitrogen fixation in Acacias: an untapped resource for sustainable plantations, farm, forestry and land reclamation. [s. l.]: ACIAR Monograph, 2005. 132 p.

CAMPOS, M. L. et al. Avaliação de três áreas de solo construído após mineração de carvão a céu aberto em Lauro Müller, Santa Catarina. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 27, n. 6, p. 1123-1137, 2003.

CHADA, S. et al. Sucessão vegetal em uma encosta reflorestada com leguminosas. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 28, n. 6, p. 801-809, 2004.

CIAMPOROVÁ, M. Morphological and structural responses of plant roots to aluminium at organ, tissue, and cellular levels. Biologia Plantarum, Netherlands, v. 45, n. 2, p. 161-171, 2002.

CLARKSON, D. T. Effect of aluminum on the uptake and on metabolism of phosphorus by barley seedlings. Plant Physiology, Rockville, v. 41, n. 1, p. 165-172, 1966.

COSTA, M. P. et al. Estrutura e diversidade da comunidade arbórea de uma floresta superomontana, no Planalto de Poços de Caldas (MG). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 4, p. 711-725, 2011.

COSTA FILHO, R. T. et al. Calagem e adubação fosfatada no crescimento de mudas de Mimosa caesalpiniifolia Benth. em Latossolo Vermelho-Amarelo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 1, p. 89-98, 2013.

DIAS, L. E. et al. Formação de mudas de Acacia mangium, I. Resposta a calcário e fósforo. In: CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, 6., 1990, Campos do Jordão. Anais... Campos do Jordão: Sociedade Brasileira de Silvicultura; Sociedade Brasileira de Engenheiros Florestais, 1990. p. 449-453.

DIAS, L. E. et al. Formação de mudas de Acacia mangium Willd.: I. Resposta a nitrogênio e potássio. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 15, n. 1, p. 11-22, 1991.

ECHART, C. L.; MOLINA, S. Fitotoxicidade do alumínio: efeitos, mecanismo de tolerância e seu controle genético. Ciência Rural, Santa Maria, v. 31, n.1, p. 531-541, 2001.

EPSTEIN, E.; BLOOM, A. J. Nutrição mineral de plantas: princípios e perspectivas. 2. ed. Londrina: Planta, 2006. 403 p.

FOUNOUNE, H. et al. Ectomycorrhization of Acacia mangium Willd. and Acacia holosericea A. Cunn. ex G. Don in Senegal. Impact on plant growth, populations of indigenous symbiotic microorganisms and plant parasitic nematodes. Journal of Arid Environmental, Netherlands, v. 50, n. 2, p. 325-332, 2002.

FOY, C. D. Differential aluminum and manganese tolerances of plant species and varieties in acid soils. Ciência e Cultura, Campinas, v. 28, n. 2, p. 150-155, 1976.

FRANCO, A. A.; FARIA, S. M. The contribution of N2-fixing tree legumes to land reclamation and sustainability in the tropics. Soil Biology and Biochemistry, Elmsford, v. 29, n. 5/8, p. 897-903, 1997.

GALIANA, A. et al. Nitrogen-fixing potencial of the micropropagated clones of Acacia mangium inoculated wtih different Bradyrhizobium spp. strains. Plant Soil, Netherlands, v. 135, p. 161-166, 1991.

GONÇALVES, J. F. et al. Aluminium effect on organic acid production and accumulation in sorghum. Journal of Plant Nutrition, New York, v. 28, n. 3, p. 507-520, 2005.

HARTWIG, I. et al. Mecanismos associados à tolerância ao alumínio em plantas. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 28, n. 2, p. 219-228, 2007.

JORGE, L. A. C.; CRESTANA, S. Siarcs 3.0: novo aplicativo para análise de imagens digitais aplicado a ciência do solo. In: CONGRESSO LATINO AMERICANO DE CIÊNCIA DO SOLO, 13., 1996. Anais... Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1996. CD-ROM.

LEMOS, J. J.; SILVA, A. C.; JACOB NETO, J. Diminuição do crescimento de plântulas de espécies arbóreas utilizadas na arborização urbana em função da indução da toxidez de alumínio. Semioses, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 22-37, 2016.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 4. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002. 384 p.

MATTIELLO, E. M. et al. Produção de matéria seca, crescimento radicular e absorção de cálcio, fósforo e alumínio por coffea canephora e coffea arabica sob influência da atividade do alumínio em solução. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 32, p. 425-434, 2008.

NAIK, D. et al. Rhizosphere carbon deposition, oxidative stress and nutritional changes in two poplar species exposed to aluminum. Tree Physiology, Victoria, v. 29, n. 3, p. 423-436, 2009.

NGUYEN, T. N. et al. Role of exudation of organic acids and phosphate in aluminum tolerance of four tropical woody species. Tree Physiology, Victoria, v. 23, n. 15, p. 1041-1050, 2003.

NICHOL, B. E. et al. The effects of aluminum on the influx of calcium, potassium, ammonium, nitrate, and phosphate in an aluminum-sensitive, cultivar of barley (Hordeum vulgare L.). Plant Physiology, Rockville, v. 101, n.4, p. 1263-1266, 1993.

PIAGENTINNI, P. M. et al. Crescimento de diferentes espécies arbóreas e arbustivas em depósito de beneficiamento de minérios de zinco em Vazante, MG. In: SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 5., 2002, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de Recuperação de Áreas Degradadas, 2002. p. 413-415.

REIS, L. L. Monitoramento da recuperação de ambiental de áreas de mineração de bauxita na Floresta Nacional de Sacará-Taquera, Porto Trombetas (PA). 2006. 159 f. Tese (Doutorado em Agronomia, Ciência do Solo) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2006.

RIBASKI, J. et al. Sabiá (Mimosa caesalpiniifolia): árvore de múltiplo uso no Brasil. [s. l.]: Embrapa Florestas, 2003. 4 p. (Comunicado técnico, 104).

ROSSIELLO, R. O. P.; NETTO, J. J. Toxidez por alumínio em plantas: novos enfoques para um velho problema. In. FERNANDES, M. S. (Ed.). Nutrição mineral de plantas. Viçosa: SBCS, 2006. p. 115-152.

ROUTE G. R. et al. Aluminium toxicity in plants: a review. Agronomie, Paris, v. 21, p. 3-21, 2001.

SAEG. Sistema para Análises Estatísticas, Versão 9.1. Viçosa, MG: Fundação Arthur Bernardes, 2007.

SAMAC, D. A.; TESFAYE, M. Plant improvement for tolerance to aluminum in acid soils - a review. Plant Cell, Tissue and Organ Culture, Dordrecht, v. 75, n. 3, p. 189-207, 2003.

SIBINEL, A. H. M. Resposta da leguminosa Mimosa artemisiana a inoculação de diferentes fungos micorrízicos arbusculares na recuperação de áreas degradadas. 2003. 73 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia, Ciências do Solo) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2003.

SILVA, I. R. et al. Responses of eucalypt species to aluminum: the possible involvement of low molecular weight organic acids in the Al tolerance mechanism. Tree Physiology, Victoria, v. 24, n. 11, p. 1267-1277, 2004.

SILVA, S. et al. Differential aluminium changes on nutrient accumulation and root differentiation in an Al sensitive vs. tolerant wheat. Environmental and Experimental Botany, Elmsford, v. 68, n. 1, p. 91-98, 2010.

TEDESCO, M. J. et al. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2. ed. Porto Alegre: Departamento de Solos, UFRGS, 1995. 174 p. (Boletim técnico, n. 5).

VALE F. R. et al. Crescimento radicular de espécies florestais em solo ácido. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 31, n. 9, p. 609-616, 1996.

WATANABE, T.; OSAKI, M. Role of organic acids in aluminum accumulation and plant growth in Melastoma malabathricum. Tree Physiology, Victoria, v. 22, n. 11, p. 785-792, 2002.

YAMAMOTO, Y. et al. Aluminum toxicity is associated with mitochondrial dysfunction and the production of reactive oxygen species in plant cells. Plant Physiology, Rockville, v. 128, n. 1, p. 63-72, 2002.

ZONTA, E. Estudos da tolerância ao alumínio em arroz de sequeiro e seus efeitos sobre a interface solo-planta. 2003. 139 f. Tese (Doutorado em Agronomia, Ciências do solo) -Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2003.

ZONTA, E. et al. Efeitos do estresse de alumínio sobre a morfologia radicular de uma cultivar tolerante de arroz de sequeiro. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 24., 2000, Santa Maria. Anais... Santa Maria: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2000a.

ZONTA, E. et al. Uso da dimensão fractal na investigação dos efeitos de alumínio nas raízes de arroz. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 24., 2000, Santa Maria. Anais... Santa Maria: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2000b.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509831610

Licença Creative Commons