ESTAQUIA E EFEITO DA DEFICIÊNCIA HÍDRICA OU INUNDAÇÃO SOBRE CARACTERÍSTICAS MORFOANATÔMICAS DE Cestrum axillare Vell.

Lucas Amaral de Melo, Hyrandir Cabral de Melo, Antonio Claudio Davide, Evaristo Mauro de Castro, Juliano de Paulo dos Santos

Resumo


O estudo do ecossistema de matas ciliares tem sido alvo de inúmeros trabalhos e pesquisas nos últimos anos. Porém, pelas condições microclimáticas dessas áreas, pouco se conhece a respeito das espécies com potencial para utilização em projetos de recuperação florestal, uma vez que, no mesmo local, pode haver condições de deficiência hídrica e inundações ao longo de um ano. Além disso, buscar alternativas para o plantio de mudas à beira de cursos d’água é essencial, uma vez que se trata de um ambiente muito propício à erosão, sendo o plantio por meio de estacas uma forma de evitar o revolvimento do solo. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial de enraizamento de estacas caulinares de Cestrum axillare Vell. e sua plasticidade morfoanatômica em condições de deficiência hídrica ou inundação do sistema radicular, a fim de verificar sua potencialidade de utilização em projetos de recuperação de matas ciliares. Para isso, foram confeccionadas estacas a partir de ramos coletados de uma planta matriz, as quais foram distribuídas em diferentes classes de diâmetro, e colocadas em substrato para enraizar. Depois de enraizadas, as mudas foram cultivadas em vasos de 4000 cm³ de volume e, aos quatro meses de idade, submetidas aos tratamentos de deficiência hídrica ou inundação do sistema radicular. As avaliações foram realizadas ao longo de todo o estudo, desde observações visuais até a quantificação das alterações morfoanatômicas por meio da análise de lâminas histológicas. A partir dos resultados obtidos, verificou-se que Cestrum axillare pode ser propagada pela técnica de estaquia e é uma espécie indicada para ser utilizada em projetos de recuperação de matas ciliares. 


Palavras-chave


mata ciliar; raízes adventícias; lenticela; coerana.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, C. A.; CAMPOS NETTO, R. B.; BARROS, N. F. Crescimento de mudas de quatro espécies de eucalipto sob condições de solo inundado. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 17, n. 1, p. 1-9, jan./mar. 1993.

ALTHAUS-OTTMANN, M. M.; LEAL, L.; ZUFFELLATO-RIBAS, K. C. Propagação vegetativa de manacá (Brunfelsia uniflora (Pohl.) D. Don). Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Jundiaí, v. 12, n. 1, p. 31-36, jan./jun. 2006.

ANDRADE, L. A. et al. Análise florística e estrutural de matas ciliares ocorrentes em brejo de altitude no município de Areia, Paraíba. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 1, n. 1, p. 31-40, jul./dez. 2006.

BAI, T. et al. Contrasting hypoxia tolerance and adaptation in Malus species is linked to differences in stomatal behavior and photosynthesis. Physiologia Plantarum, Copenhagem, v. 147, n. 4, p. 514–523, abr. 2013.

BIDWELL, R. G. S. Protein synthesis and turn over in cultured plant tissue: sources of carbon and the fate of the protein breakdown products. Nature, Londres, v. 203, n. 494, p. 367-373, 1964.

BLUM, C. T. et al. Propagação de Cestrum corymbosum por sementes e estaquia. Floresta, Curitiba, v. 43, n. 1, p. 137-144, jan./mar. 2013.

CALHEIROS, R. O. Efeito do manejo da água de drenagem na adaptação de plantas mesófitas ao encharcamento. 2000. 127 f. Tese (Doutorado em Irrigação e Drenagem) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2000.

CALLEGARO, R. M. et al. Regeneração natural avançada de um fragmento de mata ciliar em Jaguari, RS, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Pernambuco, v. 7, n. 2, p. 315-321, abr./jun. 2012.

CASEMIRO, E. L. N.; MALAVASI, U. C.; MALAVASI, M. M. Efeitos da saturação hídrica, idade e volume radicular no crescimento inicial de quatro espécies florestais. Revista Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 15, n. 1, p. 13-19, jan./mar. 2008.

CASTRO, M. N.; CASTRO, R. M.; SOUZA, P. C. A importância da mata ciliar no contexto da conservação do solo. Revista Eletrônica de Educação da Faculdade Araguaia, Goiânia, v. 4, n. 1, p. 230-241, jan./jun. 2013.

CHEN, Z.; GALLIE, D. R. The ascorbic acid redox state controls guard cell signaling and stomatal movement. The Plant Cell, Rockville, v. 16, n. 4, p. 1143-1162, abr. 2004.

CHENG, Z. J. et al. Pattern of auxin and cytokinin responses for shoot meristem induction results from the regulation of cytokinin biosynthesis by auxin response fator. Plant Physiology, Rockville, v. 161, n. 1, p. 240–251, jan. 2013.

DAVANSO, V. M. et al. Photosynthesis, growth and development of Tabebuia avellanedae Lor. Ex Griseb. (Bignoniaceae) in flooded soil. Brazilian Archives of Biology and Technology, Curitiba, v. 45, n. 3, p. 375-384. jul./set. 2002.

DE MICCO, V. Anatomy and photochemical behaviour of Mediterranean Cistus incanus winter leaves under natural outdoor and warmer indoor conditions. Botany, Ottawa, v. 89, n. 10, p. 677–688, out. 2011.

DIAS, P. C. et al. Estaquia e miniestaquia de espécies florestais lenhosas do Brasil. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 32, n. 72, p. 453-462, out./dez. 2012.

DOSMANN, M. S. et al. Drought avoidance in Katsura by drought-induced leaf abscission and rapid refoliation. HortScience, Alexandria, v. 34, n. 5, p. 871-874, ago. 1999.

ENNAJEH, M. et al. Comparative impacts of water stress on the leaf anatomy of a drought-resistant and a drought-sensitive olive cultivar. Journal of Horticultural Science & Biotechnology, Dundee, v. 85, n. 4, p. 289-294, set./out. 2010.

FERREIRA, D. A. C.; DIAS, H. C. T. Situação atual da mata ciliar do ribeirão São Bartolomeu em Viçosa, MG. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 28, n. 4, p. 617-623, set./out. 2004.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, nov./dez. 2011.

FERREIRA, E. M. et al. Determinação do tempo ótimo do enraizamento de miniestacas de clones de Eucalyptus spp. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 28, n. 2, p. 183-187, mar./abr. 2004.

KOZLOWISKI. T. T. Responses of woody plants to flooding. In: KOZLOWSKI. T.T. (Ed.). Flooding and plant growth. Madison: Wisconsin, 1984. p. 129-163.

KRAUS, J. E.; ARDUIN, M. Manual básico de métodos em morfologia vegetal. Seropédica: EDUR, 1997.

KREUZWIESER, J.; RENNENBERG, H. Molecular and physiological responses of trees to waterlogging stress. Plant, Cell and Environment, New York, v. 37, p. 2245–2259, 2014.

LABOURIAU, L. G.; OLIVEIRA, J. G.; SALGADO-LABOURIAU, M. L. Transpiração de Schizolobium parahyba (Vell) Toledo I. comportamento na estação chuvosa, nas condições de Caeté, Minas Gerais. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 237-257, abr./jun. 1961.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima, 2000. 531 p.

LELES, P. S. S.; CARNEIRO, J. G. A.; BARROSO, D. G. Comportamento de mudas de Hymenaea courbaril L. var. stilbocarpa (Hayne) e Apuleia leiocarpa (Vog.) Macbr. produzidas sob três regimes de irrigação. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 22, n. 1, p. 11-19, jan./mar. 1998.

MAES, W. H. et al. Plant–water relationships and growth strategies of Jatropha curcas L. seedlings under different levels of drought stress. Journal of Arid Environments, London, v. 73, n. 10, p. 877-884, out. 2009.

MARINHO, T. A. S. et al. Distribuição e crescimento de Garcinia brasiliensis Mart. e Hevea spruceana (Benth.) Müll. Arg. em uma floresta inundável em Manaus, Amazonas. Revista Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 1, p. 223-232, jan./mar. 2013.

MEDRI, M. E. et al. Aspectos morfoanatômicos e fisiológicos de Peltophorum dubium (Spr.) Taub. submetida ao alagamento e à aplicação de etrel. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 21, n. 3, p. 261-267, dez. 1998.

MELO, H. C. et al. Alterações anatômicas e fisiológicas em Setaria anceps Stapf ex Massey e Paspalum paniculatum L. sob condições de déficit hídrico. Hoehnea, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 145-153, abr./jun. 2007.

MELO, H. C. et al. Influência da aplicação de cálcio e alagamento do solo sobre as características anatômicas das folhas de milho (Zea mays L.) “Saracura” BRS-4154. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 3, n. 3, p. 333-342, set./dez. 2004.

MELO, L. A. et al. Otimização do tempo necessário para o enraizamento de miniestacas de clones híbridos de Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 35 n. 4, p. 759-767, jul./ago. 2011.

MORATELLI, E. M. et al. Efeito da disponibilidade de água e de luz na colonização micorrízica e no crescimento de Tabebuia avellanedae Lorentz ex Griseb. (Bignoniaceae). Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 31, n. 3, p. 555-566, set./out. 2007.

NASCIMENTO, C. F. Aspectos anatômicos, fisiológicos e fitoquímicos de plantas jovens de Mikania glomerata Sprengel (guaco) submetidas a diferentes regimes hídricos. 2003. 68 f. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2003.

OLIVEIRA, A. P.; NIENOW, A. A.; CALVETE, E. O. Capacidade de enraizamento de estacas semilenhosas e lenhosas de cultivares de pessegueiro tratadas com AIB. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 25, n. 2, p. 282-285, mai./ago. 2003.

PAROLIN, P. Morphological and physiological adjustments to waterlogging and drought in seedlings of Amazonian floodplain trees. Oecologia, New York, v. 128, n. 3, p. 326-335, ago. 2001.

PAULA, S. R. P.; PAIVA, A. V.; MARANHO, A. S. Transposição de plântulas de Alchornea castaneifolia (Willd.) A. Juss. como estratégia de produção de mudas em viveiro. Cerne, Lavras, v. 19, n. 2, p. 323-330, abr./jun. 2013.

PINTO, L. V. A. et al. Estudo da vegetação como subsídios para propostas de recuperação das nascentes da bacia hidrográfica do Ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 29, n. 5, p. 775-793, set./out. 2005.

PIRES, J. L. F.; SOPRANO, E.; CASSOL, B. Adaptações morfofisiológicas da soja em solo inundado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 37, n. 1, p. 41-50, jan. 2002.

PLAUT, J. A. et al. Reduced transpiration response to precipitation pulses precedes mortality in a pinon-juniper woodland subject to prolonged drought. New Phytologist, Boston, v. 200, n. 2, p. 375–387, out. 2013.

RENNENBERG, H. et al. Physiological responses of forest trees to heat and drought. Plant Biology, New York, v. 8, n. 5, p. 556-571, jun. 2006.

RIBEIRO, M. N. O. et al. Anatomia foliar de mandioca em função do potencial para tolerância à diferentes condições ambientais. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 43, n. 2, p. 354-361, abr./jun. 2012.

ROÇAS, G.; SCARANO, F. R.; BARROS, C. F. Leaf anatomical variation in Alcornea triplinervia (Euphorbiaceae) under distints light and soil water regimes. Botanical Journal of the Linnean Society, Londres, v. 136, n. 2, p. 231-238, jun. 2001.

SANTARELLI, E. G. Recuperação de mata ciliar: seleção de espécies e técnicas de implantação. In: BALENSIEFER, M. Recuperação de áreas degradadas: III curso de atualização. Curitiba: FUPEF, 1996. p. 101-105.

SANTOS, J. P. et al. Enraizamento de estacas lenhosas de espécies florestais. Cerne, Lavras, v. 17, n. 3, p. 293-301, jul./set. 2011.

SANTOS, M.Q.C. et al.Rooting soft cuttings of soursop (Annona muricata) ‘GIANT OF ALAGOAS’. Acta Horticulturae, Wageningen, v. 923, p. 241-245, 2011.

SANTOS, S. R. Q. Regime térmico e hídrico do solo para área de floresta tropical em anos de El Niño e La Niña, Caxiuanã-PA: estudo de caso. Revista Brasileira de Meteorologia, São Paulo, v. 26, n. 3, p. 367-374, set. 2011.

SILVA, H. et al. Efecto del déficit hídrico en la anatomía foliar de seis cultivares de poroto Phaseolus vulgaris. Revista Chilena de Historia Natural, Santiago, v. 72, n. 2, p. 219-235, abr./jun. 1999.

SILVA, S. et al. Respostas fisiológicas de gramíneas promissoras para revegetação ciliar de reservatórios hidrelétricos, submetidas à deficiência hídrica. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 25, n. 1, p. 124-133, jan./fev. 2001.

SOUZA, T. C. et al. Leaf plasticity in successive selection cycles of 'Saracura' maize in response to periodic soil flooding. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 45, n. 1, p. 16-24, jan. 2010.

STEHMANN, J. R. et al. Solanaceae in Lista de espécies da flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 18 mai. 2014.

SUTILI, F. J. et al. Potencial biotécnico do sarandi-branco (Phyllanthus sellowianus Müll. Arg.) e vime (Salix viminalis L.) para revegetação de margens de cursos de água. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 14, n. 1, p. 13-20, jan./mar. 2004.

VALERI, S. V. et al. Enraizamento de estacas de Caesalpinia echinata Lam. em hidroponia. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 2, p. 241-250, abr./jun. 2012.

WALDHOFF, D. Leaf structure in trees of Central Amazonian floodplain forests (Brazil). Amazoniana, Manaus, v. 17 n. 3, p. 451-469, jun. 2003.

WANG, G. B.; CAO, F. L. Formation and function of aerenchyma in baldcypress (Taxodium distichum (L.) Rich.) and Chinese tallow tree (Sapium sebiferum (L.) Roxb.) under flooding. South African Journal of Botany, Pietermaritzburg, v. 18, p. 71-78, jul. 2012.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509826471

Licença Creative Commons