UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE COMPENSADOS, MDF E MDP PARA PRODUÇÃO DE PAINÉIS AGLOMERADOS

Cristiane Weber, Setsuo Iwakiri

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509818460

 

Este trabalho teve como objetivo avaliar o potencial de uso de resíduos originados da produção de painéis compensados, MDF e MDP para fabricação de painéis aglomerados. A resina ureia-formaldeído (UF) foi utilizada na produção dos painéis, em proporções de 6% e 10% com base no peso seco das partículas de madeira, juntamente com 2% de catalisador (base sólido de resina) e 1% de parafina (base peso seco das partículas). O delineamento experimental foi composto por 10 tratamentos com três repetições cada, totalizando 30 painéis. Os painéis foram produzidos com resíduos nas proporções de 100%, 50-50% e 33-33-33%. Para avaliação qualitativa, os painéis foram submetidos aos seguintes ensaios das propriedades físico-mecânicas: densidade, absorção de água e inchamento em espessura - 24 horas, flexão estática, arrancamento de parafusos (superfície e topo) e tração perpendicular à superfície. Os resultados foram avaliados conforme os requisitos das normas EN e ABNT. As avaliações gerais dos resultados das propriedades físicas e mecânicas dos painéis indicaram a viabilidade técnica de uso de resíduos de MDF, MDP e compensados, de forma pura e misturadas, para produção de painéis aglomerados. A possibilidade de uso de resíduos contribui de forma significativa em termos econômicos e ambientais.

Palavras-chave


painéis aglomerados; MDF; compensados; resíduos de painéis.

Texto completo:

PDF

Referências


ABIMCI – Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente. Estudo setorial 2009 - ano base 2008. Curitiba: ABIMCI, 2009. 54 p.

ABIPA – Associação Brasileira da Indústria de Painéis de Madeira. Nossos produtos. Disponível em: Acesso em: 17 de novembro de 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS.ABNT. NBR 14810 – 3:Chapas de madeira aglomerada – Parte 3 – Métodos de Ensaio. 2006.

BRITO, E. O. Produção de chapas de partículas de madeira a partir de maravalhas e Pinus elliottiiEngelm. var.elliottii plantado no Sul de Brasil. 1995. 123 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1995.

CABRAL, C. P.et al. Propriedades de chapas de aglomerado confeccionadas com misturas de partículas de Eucalyptus spp. ePinus elliottii. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 5, p. 897-905, 2007.

CARNEIRO, A. C. O.et al. Propriedades de chapas de aglomerado fabricadas com adesivo tânico de angico-vermelho (Anadenanthera peregrina) e ureia-formaldeído. Revista Árvore, Viçosa, v. 33, n. 3, p. 521-531, 2009.

DACOSTA, L. P. E. et al. Qualidade das chapas de partículas aglomeradas fabricadas com resíduos do processamento mecânico da madeira de Pinus elliottiiEngelm. Revista Ciência Florestal, v. 15, n. 03, p. 311-322, 2005.

EUROPEAN STANDARD. EN 312-2003:Particleboardsspecifications, USA, 2003.

HILLIG, E.; HASELEIN, C. R.; SANTINI, E. J. Estabilidade dimensional de chapas aglomeradas estruturais (flakeboards) fabricadas com madeiras de Pinus, Eucalyptus e Acácia negra. ScientiaForestalis, n. 65, p. 80-94, 2004.

IWAKIRI, S. et al. Resíduos de serrarias na produção de painéis de madeira aglomerada de eucalipto. Scientia Agraria, v.1, n. 1-2, p. 23-28, 2000.

IWAKIRI, S. et al. Avaliação das propriedades de painéis aglomerados produzidos com resíduos de serrarias de nove espécies de madeiras tropicais da Amazônia. Acta Amazônica, v. 42, n. 1, p. 59-64, 2012.

MALONEY, T. M. Modern particleboard and dry-process fiberboard manufacturing. 2nd ed. São Francisco: M. Freeman, 1993. 689 p.

MELO, R. R. de; DEL MENEZZI, C. H. S. Influência da Massa Específica nas Propriedades Físico-Mecânicas de Painéis Aglomerados. Revista Silva Lusitana, Lisboa, v. 18, n. 1, jun./2010. Disponível em: Acesso em: 23 de janeiro de 2011.

MOSLEMI, A. A. Particleboard: Materials. London: Southern Illinois University Press, 1974, 244 p. v. 1




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509818460

Licença Creative Commons