Sexually Transmitted Infections in high school biology textbooks: a content analysis

Authors

  • Halana Rafaela Alves da Silva Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE https://orcid.org/0000-0002-1626-3580
  • Thaís Soares da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco, Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Vitória de Santo Antão, PE https://orcid.org/0000-0003-2305-4645
  • Gemilton de Freitas Mesquita Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE https://orcid.org/0000-0003-3278-7250
  • Isabella Macário Ferro Cavalcanti Universidade Federal de Pernambuco, Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami. Laboratório de Microbiologia e Imunologia, Centro Acadêmico de Vitória, Vitória de Santo Antão, PE https://orcid.org/0000-0002-7889-3502

DOI:

https://doi.org/10.5902/2179460X43923

Keywords:

Teaching, STIs, Book analysis

Abstract

The aim of this study was to analyze the content of STIs in the didactic collections of Biology of 2018 recommended by the National High School Textbook Program (NHSTP) of the Ministry of Education. Eight didactic collections of biology of NHSTP were selected and analyzed. The methodology of the study was thematic content analysis, with the definition of five categories a priori: location of the theme; structure and formatting; content; language and visual resources that were divided into criteria and subcriteria. The other books evaluated did not address the subject to the satisfaction, being flawed/superficial, which shows that the theme STIs can still be better explored in some biology textbooks in high school. Therefore, it is still important to encourage teachers to explore the subject better with their students, going beyond textbooks. Thus, the study concluded that most of the high school books recommended by NHSTP do not address the theme STIs effectively, generating the need for complementary didactic planning by teachers in order to broaden the debate on this subject in the classroom.

Author Biographies

Halana Rafaela Alves da Silva, Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE

Graduada em Ciências Biológicas, Centro Acadêmico de Vitória da Universidade Federal de Pernambuco (CAV/UFPE), Vitória de Santo Antão, Pernambuco

Thaís Soares da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Vitória de Santo Antão, PE

Doutoranda em Ensino das Ciências do Programa de Pós-raduação em Ensino das Ciências (PPGEC) da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Mestre em Educação, na área de didática de conteúdos especificos do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil e vinculada ao Laboratório de Microbiologia e Imunologia, Centro Acadêmico de Vitória de Santo Antão da Universidade Federal de Pernambuco (CAV – UFPE), Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil.

Gemilton de Freitas Mesquita, Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE

Mestre do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Biologia (Profbio), Centro Acadêmico de Vitória da Universidade Federal de Pernambuco (CAV/UFPE), Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil. 

Isabella Macário Ferro Cavalcanti, Universidade Federal de Pernambuco, Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami. Laboratório de Microbiologia e Imunologia, Centro Acadêmico de Vitória, Vitória de Santo Antão, PE

Docente das Disciplinas de Microbiologia e Imunologia do Centro Acadêmico de Vitória da Universidade Federal de Pernambuco (CAV/UFPE), Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil e Chefe do Setor de Microbiologia Clínica do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami da Universidade Federal de Pernambuco (LIKA/UFPE), Recife, PE, Brasil.

References

ALMEIDA MEB. Tecnologias na educação, formação de educadores e recursividade entre teoria e prática: trajetória do programa de pós-graduação em educação e currículo. Revista E-Curriculum. 2006; 1(1):1-28.

ALTMANN, H. Orientação sexual nos Parâmetros Curriculares Nacionais. Revista Estudos Feministas. 2009;9 (2): 575-585.

ALVES HHS, SILVA BN, PEREIRA SES, FERREIRA SCH, JUSTINO ICB. Clínica e diagnóstico das infecções pelos vírus herpes gestacional e neonatal. Mostra Científica da Farmácia da Unicatólica. 2017; 4(1):1-2.

ALVES MMS, RODRIGUES BM, SANTOS JEB. A educação em saúde presente nos livros didáticos de ciências: uma abordagem sobre a promoção da saúde nos anos finais do ensino fundamental. Anais do 11. Encontro Internacional de Formação de Professores, 12. Fórum Permanente Internacional de Inovação Educacional, UNIT – Universidade Tiradentes, 2018.

AMABIS J, MARTHO GR. Biologia Moderna. v.1. São Paulo: Moderna, 2016.

BARDIN L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições, 2016.

BATISTA MVA, CUNHA MMS, CÂNDIDO AL. Análise do tema Virologia em livros didáticos de Biologia do ensino médio. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências. 2010;12: 145-158.

BRASIL. Biblioteca Virtual em Saúde. Doenças sexualmente transmissíveis (DST). Publicado: 09 set. 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2063-doencas-sexualmente-transmissiveis-dst. Acesso em: 27 out. 2018

BRASIL. Ministério da Educação. Definição de critérios para avaliação dos livros didáticos: português, matemática, estudos sociais e ciências - 1ª a 4ª séries. Brasília: MEC, 1994. 378p.

BRASIL. Ministério da Educação. PNLD 2018: apresentação – guia de livros didáticos – ensino médio. Ministério da Educação – Secretária de Educação Básica – SEB – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2017; 39p.

BRASIL. Ministério da Educação. PNLD 2018: apresentação – guia de livros didáticos – ensino médio. Ministério da Educação – Secretária de Educação Básica – SEB – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2017. 39p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Guia de livros didáticos: PNLD 2011. Brasília: MEC, 2010; 100p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCNs + Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais - Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002. 144p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de DST, Aids e hepatites virais. O que você precisa saber sobre Aids. Ministério da Saúde: 2016. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv. Acesso em: 27 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas em Saúde. Coordenação Nacional de DST e AIDS. Política Nacional de DST/aids: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde, 1999. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cd03_17.pdf. Acesso em: 07 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia prático sobre o HPV. Brasília, 2014. Disponível em:

http://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/2014/hpv/Guia_perguntas_e_repostas_MS_HPV_profissionais_de_saude.pdf. Acesso em: 07 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. O que são IST. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-sao-ist. Acesso em: 27 out. 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.126p.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. 436p.

CAMARGO FP, SILVA AFG, SANTOS ACA. A microbiologia no caderno do aluno e em livros didáticos: análise documental. Revista Ibero-americana de Educação, v.78, n.2, p.41-58, 2018.

CARNEIRO MHS, SANTOS WLP, MÓL GS. Livro didático inovador e professores: uma tensão a ser vencida. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v.7, n.2, p.1-14, 2005.

CASEMIRO JP, FONSECA, ABC, SECCO FVM. Promover saúde na escola: reflexões a partir de uma revisão sobre saúde escolar na América Latina. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19 (3):829-840.

CATANI A, CARVALHO EG, SANTOS FS, AGUILAR JB, CAMPOS SHA. Ser protagonista – biologia. v.1. São Paulo: SM, 2016.

COMPARINI R, DA SILVA ET, PEREIRA DCR. Estratégias de ampliação do diagnóstico da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana no Brasil, 2015.Comunicação em Ciências da Saúde. 2017; 28 (2):158-167.

DE CICCO RR, VARGAS EP. As Doenças Sexualmente Transmissíveis em livros didáticos de biologia: aportes para o ensino de ciências. Revista Electrónica de Investigación en Educación en Ciencias. 2012; 7(1):10-21.

ESPINOLA CRR. Aves na escola: análise de livros didáticos do Ensino Fundamental. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2007.

FAVARETTO JA. Biologia unidade e diversidade. v.2. São Paulo: FTD, 2016.

FREIRE P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

LINHARES S, GEWANDSNAIDER F, PACCA H. Biologia hoje. v.1. São Paulo: Ática, 2016.

LOPES S, ROSSO S. Bio. v.3. São Paulo: Saraiva, 2016.

LUDOVICO RO, MAISTRO VIA. Sexualidade humana: um desafio nos livros didáticos. Enseñanza de las Ciencias, n. Extra. 2017: 5579-5583.

MARINHO JCB, SILVA JA, FERREIRA M. A educação em saúde como proposta transversal: analisando os Parâmetros Curriculares Nacionais e algumas concepções docentes. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro. 2015; 22 (2): 429-443.

MARTINS L, SANTOS GS, EL-HANI, CN. Abordagens de saúde em um livro didático de biologia largamente utilizado no ensino médio brasileiro. Investigações em Ensino de Ciências. 2012; 17 (1):249-283.

MENDONÇA VL. Biologia. v.2 e 3. São Paulo: AJS, 2016.

MINAYO MCS, DESLANDES SF, CRUZ NETO O, GOMES R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MONTEIRO PHN, BIZZO N, GOUW AMS. As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e a Aids nos livros didáticos para o ensino fundamental no Brasil: abordagens e implicações educacionais. Acta Scientiae Canoas. 2010; 12 (1): 123-138.

MORAES R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v.22, n.37, p.7-32, 1999.

MUNAKATA K. Livro didático como indício da cultura escolar. História da Educação, Santa Maria. 2016; 20 (50):119-138.

NEVES RC, RAMOS SIV. Educação Sexual nas Escolas: Educar para prevenir–estudo de caso. Arquivos de Psicologia: Portal dos Psicólogos. 2014: 1646-6977.

NICOLA JÁ, PANIZ CM. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. Infor: Inovação e Formação, São Paulo. 2016; 2 (1): 355-381.

OGO M, GODOY L. Contato biologia. v.1. São Paulo: Quinteto, 2016.

OPAS/OMS. Organização Pan-Americana da Saúde. Organização Mundial da Saúde. HPV e câncer do colo do útero. Brasília, 2016, Disponível em:

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5634:folha-informativa-hpv-e-cancer-do-colo-do-utero&Itemid=839. Acesso em: 08 jan. 2019.

PAES CCDC; PAIXÃO ANP. A importância da abordagem da educação em saúde: revisão de literatura. Revista De Educação Da Universidade Federal Do Vale Do São Francisco. 2016, 6(11). Disponível em: https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/article/view/38 Acesso em: 02 dez.2020.

PALMA YA, PIASON SA, MANSO AG, STRE MN. Parâmetros curriculares nacionais: um estudo sobre orientação sexual, gênero e escola no Brasil. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto. 2015; 23 (3): 727-738.

PEREIRA RMS, VALERIO FM, BARROS KM, SILVA REIS T, TRAJANO LT, SILVA LR. Conhecimento de acadêmicos da área de saúde sobre sífilis. Revista Práxis. 2018;10 (20):119-127.

ROCHA D, DEUSDARÁ B. Análise de conteúdo e análise do discurso: aproximações e afastamentos na (re)construção de uma trajetória. Alea, Rio de Janeiro. 2005; 7 (2): 305-322.

ROSA JL. Psicologia e educação o significado do aprender. 7.ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

ROSA MDA, MOHR A. Os fungos na escola: análise dos conteúdos de micologia em livros didáticos do ensino fundamental de Florianópolis. Experiências em Ensino de Ciências, Porto Alegre. 2010; 5 (3): 95-102.

SANTOS SCS, TERÁN AF, SILVA-FORSBERG MC. Analogias em livros didáticos de biologia no ensino de zoologia. Investigações em Ensino de Ciências. 2011; 15 (3): 591-603.

SÁ-SILVA JR, ALMEIDA CD, GUINDANI JF. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, ano I, n. I, p.1-15, 2009.

SCHIRMER SB, SAUERWEIN IPS. Livros didáticos em publicações na área de ensino: contribuições para análise e escolha. Investigações em ensino de ciências. 2017; 22 (1): 23-41.

SOUZA SL, COAN CM. Abordagem da sexualidade humana em livros didáticos de biologia. In: Anais do III Simpósio Internacional de Educação Sexual, Maringá. 2013: 24-26.

THOMPSON M, RIOS EP. Conexões com a Biologia. v.1. São Paulo: Moderna, 2016.

VASCONCELOS SD, SOUTO E. O livro didático de ciências no ensino fundamental proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação. 2003; 9 (1): 93-104.

VILLEGAS-CASTANO A, TAMAYO-ACEVEDO LS. Prevalencia de infecciones de transmisión sexual y factores de riesgo para la salud sexual de adolescentes escolarizados, Medellín, Colombia, 2013. Iatreia, Medellín. 2016; 29 (1): 5-17.

Published

2021-03-10

How to Cite

Silva, H. R. A. da, Silva, T. S. da, Mesquita, G. de F., & Cavalcanti, I. M. F. (2021). Sexually Transmitted Infections in high school biology textbooks: a content analysis. Ciência E Natura, 43, e43. https://doi.org/10.5902/2179460X43923

Most read articles by the same author(s)