Estimação de nível de retorno da precipitação máxima diária na cidade de Jataí-GO

Elias Silva de Medeiros, Marcos Antônio Alves, Sidnei Azevedo de Souza

Abstract


Considerando os riscos associados às precipitações máximas em diversas cidades brasileiras, este estudo teve como objetivo determinar estimativas dos níveis de retorno da precipitação máxima diária na cidade de Jataí, estado do Goiás, por meio da teoria dos valores extremos. Para isto foi considerado um conjunto de dados obtido a partir da estação meteorológica da cidade, compreendendo o período de 1979 a 2017. Os resultados descritivos indicaram que os meses do primeiro e quarto trimestre do ano apresentam os maiores índices da precipitação máxima diária. Por meio do teste da razão de verossimilhanças, notou-se que a distribuição Gumbel é preferível em relação a Generalizada de Valores Extremos para modelar os dados de precipitação. Além disso, observou-se que março é o mês que apresenta os maiores níveis de retorno da variável em questão, com valores entre 71,07 mm a 87,19 mm em um período médio de 5 anos. Outros valores informados para períodos de até 100 anos são estimados. Os resultados apresentados podem auxiliar os órgãos responsáveis pelo planejamento estratégico na região de Jataí buscando prevenir os danos causados por chuvas intensas em áreas urbanas e no setor da produção agrícola.

Keywords


Chuvas Intensas, Distribuição GEV, Eventos Extremos

References


Andrade KM, Pinheiro HR, Dolif Neto G. Evento extremo de chuva no Rio de Janeiro: análise sinótica, previsão numérica e comparação com eventos anteriores. Ciência e Nat. 2015;37:175–180.

Beijo LA, Muniz JA, Castro Neto P. Tempo de retorno das precipitações máximas em lavras (MG) pela distribuição de valores extremos do tipo I. Ciênc agrotec. 2005;29:657–667.

Coelho Filho JAP, Melo DC de R, Araújo M de LM. Intense rainfall study of Goiânia/GO by modeling maximum annual events using Gumbel and Generalized Extreme Value distributions. Ambiência. 2017;13:75–88.

Evangelista JO, Novais K, Epifanio G. Distribution of hydrological probability of precipitation for sub-region hydrographic Tocantins 08 in the State of Pará. Rev GEONORTE. 2018;9:107–122.

Franco C, Marques RF de PV, Oliveira LFC de, Silva AM da. Aplicabilidade e ajuste da distribuição Log-Normal a 3 parãmetros em um estudo de precipitação máxima anual na bacia do Rio Verde. Rev Univ Val Rio Verde. 2018;16.

Gilleland E, Katz RW. extRemes 2.0: An Extreme Value Analysis Package in R. J Stat Softw. 2016;72.

IBGE. Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios. Inst Bras Geogr e Estatística. 2010;

INMET. INMET [Internet]. Inst. Nac. Meteorol. 2018.

Kumar V, Ligges U. reliaR: Package for some probability distributions. 2011.

Mariano Z de F, Rocha JRR, Pinto AP. Intensidade das chuvas na bacia do corrégo Jataí-GO. Rev GEONORTE. 2012;1:1050–1059.

Marsaglia G, Tsang WW, Wang J. Evaluating Kolmogorov’s Distribution. J Stat Softw. 2003;8.

Marshall AW, Olkin I. Life Distributions: Structure of Nonparametric, Semiparametric, and Parametric Families [Internet]. New York: Springer New York; 2007.

Nascimento Y dos S, Jesus JB de. Relações intensidade-duração-frequência de precipitações para o município de Tucano, Bahia. Agropecuária Científica no Semiárido. 2017;13:302–306.

Pinto WDP, Lima GB, Monte EZ, Montebeller CA. Utilização de técnicas de regressão logística na avaliação de vazões máximas do Rio Doce, no Município de Colatina, ES, Brasil. Ciência e Nat. 2017;39:526–538.

Pohlert T. trend: Non-Parametric Trend Tests and Change-Point Detection. R-Package Version 0.2. 0, 2016. R Core Team (2018); 2018.

R Core Team. R: A language and environment for statistical computing [Internet]. R A Lang. Environ. Stat. Comput. 2018.

Rai RK, Upadhyay A, Ojha CSP, Lye LM. Statistical Analysis of Hydro-Climatic Variables. Clim Chang Model Mitigation, Adapt. Reston, VA: American Society of Civil Engineers; 2013. p. 387–418.

Santos RS dos, Vieira PD, Evangelista DHR, Oliveira LJC, Nonato D. Caracterização de extremos mensais de precipitação em Cacoal (RO). Rev Bras Climatol. 2018;22:267–280.

Santos W de O, Mesquita F de O, Batista BD de O, Batista RO, Alves A de S. Precipitações máximas para o município de mossoró de 1964 a 2011 pela distribuição de gumbel. Irriga. 2014;19:207–213.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179460X35639

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2019 Ciência e Natura

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.