No novelo da memória, atravessamentos do sensível: tornar-se

Luciana Esmeralda Ostetto

Resumo


As histórias de vida e formação, como construções biográficas, são acessadas por meio de atos de memória e ganham nuanças peculiares no próprio processo de narrar-se, a medida em que o narrador caminha para si. Dentro de tal quadro compreensivo, o artigo é tecido com fragmentos de memórias que contam sobre itinerários de formação – ética, política, estética –, representativos da existencialidade da autora. Ao localizar atravessamentos sensíveis que contribuíram para a ampliação de seus repertórios artístico-culturais em diferentes temporalidades, dá visibilidade à formação estética como processo-projeto de elaboração de sentidos e produção da vida, na relação com a arte, a cultura e a natureza. Na fronteira entre educação e arte, trazendo à mostra traços de percursos singulares, desdobra-se em reflexão sobre a formação de professores.


Palavras-chave


formação estética, narrativas autobiográficas, educação e arte, formação docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANO, A. A. O espaço do desenho: a educação do educador. Dão Paulo: Loyola, 1992.

ALBANO, A. A. Tuneu, Tarsila e outros mestres: o aprendizado da arte como um rito de iniciação. São Paulo: Plexus Editora, 1998.

ALMEIDA, M. J. de. Cinema arte da memória. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades, Editora 34, 2009.

BOJUNGA, L. Feito à mão. Rio de Janeiro: Agir, 2001.

DELORY-MOMBERGER, C. Formação e socialização: os ateliês biográficos de projetos. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 32, n. 2, p. 359-371, ago. 2006

EAGLETON, T. A ideologia da estética. Rio de Janeiro: Zahar, 2010 (edição digital).

GALEFFI, D. A. Educação estética como atitude sensível transdisciplinar: o aprender a ser o que se é propriamente. Em Aberto, Brasília, v. 21, n. 77, p. 97-111, jun. 2007.

HERMANN, N. Ética e estética: a relação quase esquecida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

HILLMAN, J. Cidade e alma. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

JOSSO, M.C. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

JOSSO, M.C. Caminhar para si. Porto Alegre: EdiPUC, 2010.

LEITE, M. I. De onde vem a chama que acende o pavio? In: BLUMENAU. Secretaria Municipal De Educação. Cadernos de Educação infantil nº 3. Blumenau: SMED, 2004. p.56-57.

MARTINS, M. C. O sensível olhar-pensante. In: FREIRE, M. Observação, registro, reflexão. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1996. p.20-37.

NÓVOA, A; FINGER, M. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

OSTETTO, L.E. Educadores na roda da dança: formação-transformação. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação UNICAMP, Campinas, SP, 2006.

OSTETTO, L. E. A arte no itinerário da formação de professores: acender coisas por dentro. Reflexão e Ação, UNISC, Departamento de Educação, Santa Cruz do Sul, v.14, n.1, p. 29-43, jan./jun. 2006a.

OSTETTO, L. E. Para encantar, é preciso encantar-se: danças circulares na formação de professores. Cad. CEDES, v.30, n. 80, Campinas, jan./abr. 2010.

OSTETTO, L. E. Danças circulares na formação de professores: a inteireza de ser na roda. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2014.

OSTETTO, L. E. Fazer à mão para falar de si. In: MONTEIRO, F.A.; NACARATO, A. M.; FONTOURA, H. A. da. (org.). Narrativas docentes, memórias e formação. Curitiba: CRV, 2016. p.143-159.

OSTETTO, L. E.; LEITE, M. I. Arte, infância e formação de professores. Campinas: Papirus, 2004. p. 79-95.

QUEIRÓS, B. C. de. O fio da palavra. Rio de Janeiro: Galera Record, 2012.

ROCHA, R. Auto-apresentação. In: ABRAMOVICH, F. (Org.). O mito da infância feliz. São Paulo: Summus, 1983. p.103.

VECCHI, V. Arte y creatividad en Reggio Emilia. Madrid: Ediciones Morata, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734833904

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio