Arte e afrobrasilidade como expoentes de luta e resistência

Sirlene Ribeiro Alves, Marcelino Euzébio Rodrigues

Resumo


O texto dialoga com a produção cultural das artes visuais de artistas afro- brasileiros em quatro expoentes significativos para arte brasileira: o Barroco, período onde negros e seus descendentes criaram singularidades e especificidades no campo das artes; a Academia Imperial de Belas Artes, que mesmo sendo um ambiente eurocentrado integrou alguns artistas negros significativos e transgressores da ordem hegemônica; a Modernidade brasileira, momento de transformação na representação da população negra e a Contemporaneidade, onde as questões raciais assumem novos contornos políticos e afirmam posicionamentos militantes. Ancorados nos estudos de CONDURU (2007, 2013), BAZIN (1993), DOSSIN (2000) pretendemos evidenciar o trabalho de artistas negros, produzidos não só por oposição ao branco, mas, também, pela negociação, pelo conflito e pelo diálogo com as forças da hegemonia branca. Essas potencias artísticas são em primeira instancia, as primeiras lutas por representatividade no campo das artes visuais no Brasil.

 

Enviado em: 29 de maio de 2017.

Aprovado em: 16 de junho de 2017.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1983734826911

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

Acessos a partir de 17/09/2015