O brinquedo inclusivo em uma escola infantil em Barcelona

Alice Maria Correa Medina, Maria Rosa Buxarrais Estrada

Resumo


A inclusão é um assunto que deve ser conhecido e refletido desde a infância. A pesquisa foi realizada em duas turmas de crianças de 5 e 6 anos de uma escola de Barcelona. O objetivo foi desenvolver atividades com as crianças, baseadas na relação da educação integrativa por meio do brinquedo de pano e nos processos de intervenção relacional e contextual da criança no ambiente escolar e familiar. A metodologia utilizada no estudo é de natureza qualitativa, considerando as relações sociais e o discurso das crianças. Os meninos e as meninas das duas turmas da escola pública de Barcelona desenvolveram um relacionamento e geraram carinho pelos bonecos em um processo em que a diferença foi re-significada, ou seja, a diferença não desqualificou, mas que, em pelo contrário, forneceu uma identidade ao brinquedo durante o relacionamento das crianças com ele. Embora tenha havido uma surpresa quando as crianças pegaram o ninot, por se tratar de um brinquedo diferente, durante a investigação, todas as crianças tiveram um relacionamento positivo e até afetuoso com os ninots. Também deve ser levada em consideração a participação dos professores das duas turmas que participaram da pesquisa, conversando com as crianças sobre as diferenças e corrigindo as histórias produzidas em Catalão. A investigação mostrou que meninos e meninas podem se relacionar e criar afeto por um brinquedo inclusivo.


Palavras-chave


Infância; Inclusão; Brinquedos.

Referências


ANDRÉ, Marli. Etnografía de la práctica escolar. Campinas: Papirus, 1995.

ARIÈS, Phillipe. Historia social del niño y de la familia. Río de Janeiro: Editora Guanabara, 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70, (2006). (Obra original publicada em 1977).

BAUER, Martin y GASKELL, George. Investigación cualitativa con texto, imagen y sonido: un manual práctico. Río de Janeiro: Voces, 2002.

BROUGÈRE, Gilles. Juguete y cultura. Sao Paulo: Cortez, 2001.

CALVO, Gloria. La formación de docentes para la inclusión educativa. Pág. Educ., Montevideo , v. 6, n. 1, p. 19-35, jun. 2013 . Disponible en: http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1688-74682013000100002. Acceso en: 09 feb. 2020.

CAPPELLE, Monica; MELO, Marlene; GONÇALVES, Carlos Alberto. Análisis de contenido y análisis de discurso en las ciencias sociales. Organizaciones Rurales y Agroindustriales, v. 5, n. 1, p.69-85, 2003.

DENZIN, Norma; LINCOLN, Yvonna. La Planificación de la Investigación Cualitativa: Teorías y Enfoques. [Netz, Sandra Trad] Porto Alegre: Artmed, 2006.

GIL, Antonio Carlos. Métodos y técnicas de investigación social. 5. ed. Sao Paulo: Atlas, 1999.

GONZÁLEZ REY, Fernando. Investigación Cualitativa en Psicología: caminos y desafíos. Sao Paulo: Pioneer Thompson Learning, 2002.

GONZÁLEZ REY, Fernando. El Social en la Psicología y la Psicología Social: La emergencia del sujeto. Río de Janeiro: Voces, 2004.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina. Fundamentos de Metodología del trabajo científico. 4. ed. Sao Paulo: Atlas, 1993.

LE BRETON, David. La sociología del cuerpo. Traducción de Sonia Fuhrmann. 6. ed. Río de Janeiro: Voces, 2012.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Investigación en educación: enfoques cualitativos. Sao Paulo: EPU, 1986.

MACHADO, Ana Maria. Muchacha hermosa del lazo de cinta. Sao Paulo: Editora Atica, 2005.

MELO, Regina Celia de. Una mariquita diferente.Sao Paulo: Editorial Pauline, 2008.

MINAYO, Maria Cecilia. Ciencia, técnica y arte: El desafío de la investigación social. In: MINAYO, Maria Cecilia de Souza; GOMES, Suely Ferreira Deslandes Romeo (orgs.). Investigación social: teoría, método y creatividad. Río de Janeiro: Voces, 2010, p.9-13.

OLIVEIRA, Vera; BOSSA, Nádia. (orgs.). Evaluación Psicopedagógica del Niño de Cero a Seis Años. Río de Janeiro: Voces, 2007.

SIAULYS Mara. Jugar para todos. Brasilia, DF: MEC, Secretaría de Educación Especial, 2005.

SPINK, Mary. El discurso como una producción de significado. In: NASCIMENTO-SCHULZE, Clelia Maria (org): Nuevas contribuciones para teorizar e investigar la representación social (Anpepp colecciones no. 10, página 37- 46). Río de Janeiro: Asociación Nacional de Investigación y Estudios de Posgrado en Psicología, 1996.

VAN KOLCK, Odette. Pruebas proyectivas en el diagnóstico psicológico. Sao Paulo: EPU, 1984.

WALLON, Henri. Del acto al pensamiento. Lisboa: Moraes Editores, 1978.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644442757

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar