Dor osteomusculares em trabalhadores da indústria têxtil e sua relação com o turno de trabalho

Letícia de Lima Trindade, Marjorie Cristine Callai Schuh, Carlise Krein, Lucimare Ferraz, Simone Coelho Amestoy

Resumo


Objetivo: conhecer o perfil dos trabalhadores que apresentam queixas de dor osteomuscular de uma Indústria Têxtil localizada na Região Sul do Brasil, bem como relacionar a frequência desse sintoma com o turno de trabalho. Método: a amostra foi constituída de 192 funcionários dos setores de produção de uma indústria têxtil localizada na Região Sul do Brasil. Para coleta de dados utilizou-se um questionário com questões sociodemográficas e o Instrumento Nórdico de Sintomas Osteomusculares. Para análise utilizou-se a estatística descritiva e os recursos do software SPSS. Resultados: observou-se associação entre dor dorsal e turno (p= 0,007), com maior frequência no turno rotativo. Conclusão: há uma alta prevalência de dor osteomuscular entre os trabalhadores. O turno e a dinâmica de trabalho são os principais determinantes para o surgimento de sintomas osteomusculares e requerem urgente intervenção em busca da prevenção do adoecimento dos trabalhadores.

Palavras-chave


Saúde do trabalhador; Dor; Condições de trabalho; Indústria têxtil

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/217976923886



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.