Cuidadora de familiar com doença crônica incapacitante: percepções, motivações e repercussões

Celso Leonel Silveira, Maria de Lourdes Denardin Budó, Fernanda Machado da Silva, Vânia Lúcia Durgante, Simone Wünsch, Bruna Sodré Simon, Margot Agathe Seiffert

Resumo


Objetivo: Identificar percepções e motivações do cuidador familiar, bem como as repercussões em sua vida do cuidado prestado ao familiar com doença crônica incapacitante. Método: Trata-se de pesquisa qualitativa exploratória e descritiva, realizada no sul do Brasil, com dez cuidadores, escolhidos por sorteio. A coleta dos dados se realizou através de entrevista semiestruturada e para a análise dos dados utilizou-se análise de conteúdo. Resultados: Constatou-se que cada cuidador apresentava percepções, dificuldades e motivações particulares. As repercussões foram, na maioria, relacionadas às condições físicas e emocionais, como esforços físicos excessivos, envelhecimento precoce, distúrbios alimentares, alterações no sono e repouso e atividades de lazer. Considerações finais: Sugere-se aos profissionais de saúde compreender cada vez melhor o cuidado familiar, bem como particularidades de cada família, aceitando o cuidador como um aliado no cuidado.

Palavras-chave


Enfermagem; Cuidadores; Doença crônica; Saúde da família

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/217976923828



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.