Protocolo de assistência de enfermagem a pessoas com feridas como instrumento para autonomia profissional

Maria Luiza Bevilaqua Brum, Andreia Poltronieri, Edlamar Katia Adamy, Ivete Maroso Krauzer, Marcia Danieli Schmitt

Resumo


Doi: 10.5902/2179769215177

Objetivo: conhecer se os enfermeiros utilizam os protocolos no cuidado aos usuários com feridas crônicas e se os identificam como instrumentos de promoção da autonomia profissional. Método: trata-se de uma pesquisa de cunho exploratório descritivo, realizada com 16 enfermeiros que atuam na assistência direta em unidades básicas. Para a coleta de dados utilizou-se um instrumento semiestruturado, aplicado no mês de agosto de 2012. Resultados: os enfermeiros, embora entendam o significado da autonomia no cuidado com feridas, poucos aplicam os protocolos existentes e, ocasionalmente exercitam sua autonomia. Parecem estar habituados à dinâmica de trabalho estabelecida nos serviços de saúde, centrada e conduzida pela terapêutica médica. Conclusão: os achados da pesquisa contribuem para compreender a prática da enfermagem e promovem reflexões que visam à elaboração de propostas que auxiliem na conquista da autonomia profissional do enfermeiro.


Palavras-chave


Avaliação em enfermagem; Autonomia profissional; Promoção da saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/2179769215177



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.