PESQUISA NARRATIVA SOBRE MULHERES JOGADORAS: UMA HISTÓRIA INTERROMPIDA E UMA HISTÓRIA INCENTIVADA

Autores

Palavras-chave:

pesquisa narrativa, videogames, mulheres jogadoras

Resumo

Neste artigo, narramos experiências vividas enquanto mulheres jogadoras em nossa relação com os videogames. Conduzimos uma pesquisa de iniciação científica de natureza predominantemente autobiográfica, com a qual objetivamos narrar e discutir as experiências de uma gamer no seu processo de aprendizagem de línguas a partir dos jogos, em uma busca por possibilidades inovadoras e educativas. Seguimos o caminho teórico metodológico da Pesquisa Narrativa segundo Clandinin e Connelly (2015), que propõem que a narrativa seja, ao mesmo tempo, o método de pesquisa e o fenômeno pesquisado, com base nos pressupostos deweyanos de experiência. As histórias vividas e contadas nos levaram a compor sentidos relacionados com o contexto vivenciado pelas pesquisadoras. Em nossas narrativas, apontamos histórias conflitantes já que a experiência de uma das pesquisadoras foi de história interrompida e a experiência da outra pesquisadora foi de história incentivada. Entendendo assim como Gee e Hayes (2010) que os jogos, com toda a sua estrutura e potencialidade, podem ir além do próprio jogo, problematizamos nossas histórias de aprendizagem que podem encontrar ressonância em experiências vividas por outras mulheres jogadoras. Esperamos que nossas reflexões possam contribuir para pensarmos os estereótipos                    difundidos acerca da posição da mulher na rede de jogos digitais e para a agenda de pesquisa sobre a integração de jogos digitais e de princípios de bons jogos no contexto escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Ana Laura Silva é graduanda no Curso de Letras-Inglês na Universidade Federal de Uberlândia. Foi bolsista do Programa de Iniciação a Docência (PIBID) e do Programa de Iniciação Científica (PIBIC). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas. É membro do Grupo de Pesquisa Narrativa (GPNEP). Seu interesse de pesquisa está na área de Linguística Aplicada, especialmente nos temas de jogos, de mulheres jogadoras de videogames e de tecnologias digitais.

Valeska Virgínia Soares Souza, Universidade Federal de Uberlândia - UFU

Valeska Soares Souza é professora do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia. Graduada em Letras, especialista em ensino e aprendizagem de língua inglesa, mestre em Linguística, foco em letramento digital, pela Universidade Federal de Uberlândia, doutora em Linguística Aplicada, na linha de pesquisa Linguagem e Tecnologia, pela Universidade Federal de Minas Gerais, pós-doutora em pesquisa narrativa e jogos no processo de ensino e aprendizagem. Trabalha como professora de línguas desde 1989. Seu interesse de pesquisa está relacionado ao uso de tecnologias digitais de informação e comunicação para a aprendizagem de línguas.

Referências

ALVES, L.; CAMURUGY, L.; SOUZA, A. de. Games e gênero: a emergência dos personagens femininos. ln: VIII BRAZILIAN SYMPOSIUM ON GAMES AND DIGITAL ENTERTAINMENT, 8., Rio de Janeiro, 2009.

BENGEZEN, V. C. As histórias de autoria que vivemos nas aulas de inglês do sexto ano na escola pública. 2017. 208 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.

CLANDININ, D. J. (Ed.). Handbook of narrative inquiry: mapping a methodology. Thousand Oaks; London; New Delhi: Sage/University of Alberta, 2007.

CLANDININ, D. J. Engaging in narrative inquiry. New York: Routledge, 2013.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, M. Narrative inquiry. Complementary methods for research in education. 1st edition. Washington: American Educational Research Associates, 2000.

CLANDININ, D. J.; CONNELY, M. Pesquisa Narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. 2 ed. rev. Tradução: GPNEP: Grupo de pesquisa narrativa e educação de professores. ILEEL/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2015.

CLANDININ, D. J.; HUBER, J.; HUBER, M.; MURPHY, M. S.; ORR, A. M.; PEARCE, M.; STEEVE, S. Composing diverse identities: narrative inquiries into the lives of children and teachers. London and New York: Routledge, 2006.

DEWEY, J. Experience and Education. New York: Kappa Delta Pi, 1938.

ELY, M.; VINZ, R.; DOWNING, M.; ANZUL, M. On writing qualitative research: living by words. London, Reino Unido e Filadélfia, EUA: Routledge Falmer, [1997] 2001.

GEE, J. P.; HAYES, E. Women and Gaming: The Sims and 21st Century Learning. New York: Palgrave Macmillan, 2010.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 4 ed. Tradução de João Paulo Monteiro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1993. (vom Ursprung der Kultur im Spiel, 1938).

MELLO, D. M. Pesquisa narrativa: fenômeno estudado e método de pesquisa. In: ROMERO, T. R. S. (Org.) Autobiografias na (re)constituição de identidades de professores de línguas: o olhar crítico-reflexivo. Campinas (SP): Pontes Editores, 2010. p. 171-187.

MURPHY, M. S. Understanding Children’s Knowledge: A Narrative Inquiry into School Experiences. Doctorate of Education. University of Alberta, 2004.

RODRIGUES, L. Questões De Gênero Em Jogos Digitais: Uma Coleção De Recursos Educacionais Abertos De Apoio À Mobilização. Universidade Tecnológica Federal Do Paraná, 2017. Disponível em http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/2839. Acesso em: 13 de Mar. 2021.

VELLOM, P. Narrative inquiry research in an urban school setting. Proceedings of the Fifth Annual Spring Conference of the Mathematics, Science and Technology Education & Researchers of the Ohio State University. US. Department of Education, 2001.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

Silva, A. L., & Souza, V. V. S. (2022). PESQUISA NARRATIVA SOBRE MULHERES JOGADORAS: UMA HISTÓRIA INTERROMPIDA E UMA HISTÓRIA INCENTIVADA. Revista Tecnologias Educacionais Em Rede (ReTER), 3(1), e4/01–19. Recuperado de https://periodicos.ufsm.br/reter/article/view/68155

Edição

Seção

Simpósio Internacional sobre Games, Gamification e Tecnologias na Educação