RACIONALIDADE CAPITALISTA E A CRISE DA RAZÃO: REFLEXÕES SOBRE A SUSTENTABILIDADE E A QUESTÃO SOCIOAMBIENTAL MUNDIAL CONTEMPORÂNEA

Sandro Haoxovell de Lira, Daniel Carneiro Costa, Therezinha de Jesus Pinto Fraxe

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/223613088415

As transformações ocorridas nas últimas décadas demandam um olhar mais crítico no sentido de análise e entendimentos dos fenômenos envolvendo a sustentabilidade do desenvolvimento como objetivo comum da humanidade diante da crescente degradação socioambiental em escala planetária. A compreensão sistêmica da crise socioambiental passa necessariamente pela prerrogativa da análise da racionalidade produtiva capitalista, com vista à expansão intensiva e progressiva do processo produtivo, da obtenção de lucros a qualquer custo e da centralização da riqueza socialmente produzida (em detrimento dos processos socioecológicos), bem como a dos limites biofísicos dos ecossistemas da Terra. Para isso, torna-se imprescindível a articulação da razão econômica vigente e da capacidade de suporte dos sistemas ecológicos do planeta para melhor entendimento dos principais entraves para consecução da sustentabilidade do desenvolvimento, como alternativa de enfrentamento da crise ambiental e social na contemporaneidade. Esse enfrentamento, portanto, se dará por um movimento sociopolítico a partir dos Países do Sul em contraposição às cadeias hegemônicas impostas pelos Países Centrais.

 


Palavras-chave


racionalidade de mercado, sustentabilidade, crise socioambiental, racionalidade alternativa ambiental, crise da razão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223613088415

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.