Por uma educação ambiental crítica no contexto escolar: reflexões a partir das representações dos alunos

Salatiel Rocha da Rocha Gomes, José Vicente de Souza Aguiar

Resumo


A Educação ambiental Crítica no contexto escolar vem ganhando forças a partir de um coletivo de pensamento que sugere a inserção de aspectos sociais, políticos, éticos, estéticos, econômicos e culturais no debate da temática ambiental, ou seja, vai além do aspecto naturalista/biológico/conservador. Nesse sentido, temos como principal objetivo geral verificar que representações alunos de uma turma de 9º ano possuem sobre meio ambiente, apontando as limitações e as potencialidades de tais representações. Utilizou-se textos, desenhos, aula-passeio e um teste de evocação de palavras como técnica de coleta de dados. Percebeu-se que os alunos relacionam meio ambiente apenas à ideia de natureza, utilizando-se fauna e flora, preservação, lixo, limpeza e cuidado como palavras-chaves dessas representações, ou seja, ainda é presente no contexto escolar a concepção conservadora e preservacionista da educação ambiental.


Palavras-chave


Conservacionista; Crítica; Educação ambiental; Meio ambiente

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AFONSO, Tatyana de Melo. Educação Ambiental no Ensino de Ciências: formação, prática e transversalidade (dissertação de mestrado). Manaus: UEA, 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Portugal: Lisboa, 1977.

BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Editora Hucitec, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais dos anos iniciais: meio ambiente e saúde. Brasília, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais dos anos finais: meio ambiente e saúde. Brasília, MEC, 1998.

CARVALHO, Izabel Cristina de Moura. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2008.

Carta Encíclica Laudato Si’ do Santo Padre Francisco sobre o Cuidado da Casa Comum, Vaticano, 18/06/2015. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.pdf. Acesso em 28.06.2015.

GIORDAN, A.; VECCHI, G. de. As origens do saber: das concepções dos aprendentes aos conceitos científicos. 2 Ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

GUIMARÃES, Mauro. A formação de educadores ambientais. Campinas, SP: Papirus, 2004.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LOUREIRO, Carlos Frederico B. O movimento ambientalista e o pensamento crítico: uma abordagem política. Rio de janeiro: Quartet, 2003.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina; 2006.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso – Princípios e Procedimentos. 5ª ed. Campinas, SP: Pontes, 2007.

REIGOTA, Marcos. Meio ambiente e representação social. São Paulo: Cortez, 1995.

REIGOTA. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 2006.

REIGOTA. O Estado da Arte da Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 2, n. 1 – pp. 33-66, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130838391

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.