ECOTOXICOLOGIA: CONCEITOS, ABRANGÊNCIA E IMPORTÂNCIA AGRONÔMICA.

Nathália Leal Carvalho, Thiago Salbego Pivoto

Resumo


O emprego de produtos químicos na agricultura tem sido incrementado especialmente na segunda metade do século passado até os dias atuais, constituindo um tema de estudo e constantes debates em função dos riscos de contaminação de águas, solos, atmosfera e humana iminentes quando utilizados de forma indiscriminada. No livro A Primavera Silenciosa de RACHEL CARSON, 1962, mostrou como o DDT penetrava na cadeia alimentar e acumulava-se nos tecidos gordurosos dos animais, inclusive do homem, com o risco de causar câncer e dano genético. Os agroquímicos utilizados no setor agrícola são classificados quanto a toxicologia em classes que variam de I (extremamente tóxico) a IV (pouco tóxico), avaliação toxicológica propriamente dita; aspectos ambientais; características físico-químicas e toxicidade para organismos não-alvo. A ecotoxicologia desses produtos do ponto de vista ambiental pode ser determinada através de estudos que determinam o comportamento ambiental do produto quanto à biodegradabilidade, sorção (adsorção/dessorção) e mobilidade. A nossa história agronômica registra momentos de exageros e até catástrofes pelo uso inadequado bem como de alguns avanços na redução do uso de agrotóxicos, emprego de praticas alternativas, descoberta de produtos menos agressivos, manejo integrado dos fatores adversos (pragas, doenças e invasoras). Para a redução dos riscos devemos contar com o emprego adequado de tais produtos e estar prevenido para eventuais acidentes com os mesmos e na busca incessante por informações de forma tal compatibilizar o desafio da produção de alimentos com uma agricultura sustentável.

Palavras-chave


Ecotoxicology, pesticides, impact

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223613082315

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.