PLANTAS MEDICINAIS COMO PROPOSTA INTERDISCIPLINAR NO SEGUNDO SEGMENTO DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Divino Oliveira Silva, Eliane Maria Santos da Cruz, Arnaldo Gonçalves de Campos, Leandro Carbo, Maria das Graças Campos

Resumo


Este trabalho apresenta resultados de um estudo desenvolvido com os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Antônio José de Lima, município de Juscimeira - Matos Grosso sobre o tema Plantas Medicinais (PM). O principal objetivo desta análise foi conhecer os saberes dos alunos a respeito da temática, procurando valorizar estes  conhecimentos como instrumento interdisciplinar de ensino entre as disciplinas de biologia, química física e matemática. A pesquisa ocorreu durante o período de novembro de 2013 a setembro de 2014. O desenvolvimento metodológico procedeu-se em etapas alternadas da seguinte forma: inicialmente realizou-se uma entrevista para diagnosticar o conhecimento prévio dos alunos acerca do assunto. Numa segunda etapa, foram ministradas aulas interdisciplinares, buscando integrar o tema sob a ótica do universo dos alunos, abordando conhecimentos das quatro disciplinas propostas. Os resultados alcançados na pesquisa demonstraram que os alunos possuíam um bom conhecimento prévio sobre o assunto, e que, esse aspecto favoreceu o trabalho interdisciplinar, pois quando as atividades foram aplicadas, esses alunos se prontificavam a participar ativamente e a responder a todos os questionamentos e discussões abordadas. Dessa forma, o tema PM se confirmou positivamente como uma boa opção na proposta da interdisciplinaridade para o ensino da EJA, pois os alunos demonstraram perseverança e dedicação em todas as atividades propostas.

Palavras-chave


EJA; Ensino de Ciências; Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF

Referências


AMICO, D. Para que servem as plantas medicinais 2013. Disponível em http://www.dihitt.com/barra/para-que-servem-as-plantas-medicinais. Acessado dia: 18/04/2014.

CAVAGLIER, M.C.S. Plantas Medicinais na Educação de Jovens e Adultos: uma proposta interdisciplinar para Biologia e Química.[Rio de Janeiro] 2011. 92 p. 29,7 cm (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências/IFRJ, M.Sc., Ensino, 2011). Dissertação – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, PROPEC.

COSTOLDI, R.; POLINARSKI, C. A. Utilização de recursos didáticos- pedagógicos na motivação da aprendizagem. I Simpósio Internacional de Ensino e Tecnologia. 2009.

FAZENDA, I. C. A. (org.). O que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed., São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GIL, A. C.. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed.-SãoPaulo: Atlas,2002.

MARCONI, M A. LAKATOS, E. M. Metodologia cientifica. 5.ed.4.reimpr- São Paulo: Atlas,2010.

OLIVEIRA, E. Interdisciplinaridade. 2010. Disponível em: http://www.infoescola.com/pedagogia/interdisciplinaridade. Acessado dia 15/04/2010

PELIZZARI, A. ; KRIEGL, M. L.; BARON, M. P.; FINCK, N.T. L.; DOROCINSKI, S. I.

TEORIA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA SEGUNDO AUSUBEL. Rev. PEC, Curitiba, v.2, n.1, p.37-42, jul. 2001-jul. 2002. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012381.pdf. Acessado dia 22/03/2014




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130820454

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.