DIAGNÓSTICO E MODELOS DE PREVISÃO DE NÍVEIS DE RUÍDO E VIBRAÇÃO EM DESMONTE DE ROCHAS COM EXPLOSIVOS

Gabriel Fontanelli, Luis Eduardo de Souza, Luciana Arnt Abichequer, Raul Oliveira Neto, Ítalo Gomes Gonçalves

Resumo


O emprego de explosivos é, sem sombra de dúvidas, a maneira mais eficiente e economicamente viável para desmonte de rocha em mineração. No entanto, sabe-se que apenas entre 20 a 30% da energia dos explosivos é de fato utilizada na fragmentação da rocha, sendo que o restante desta energia acaba provocando impactos ao meio ambiente, tais como ruídos, vibrações, gases, poeira e ultralançamento de rochas. Desta forma, há um risco real para estruturas e pessoal nas vizinhanças de minas ou pedreiras, em particular, quando não há uma preocupação quanto a aspectos relacionados com o planejamento do desmonte. Este trabalho busca, através de monitoramentos dos desmontes de rocha, mensurar e prever a sobrepressão acústica na região mineradora de Caieiras, em Caçapava do Sul, já que trabalhos realizados anteriormente apresentaram resultados que ultrapassaram os limites estipulados pelas normas NRM 16 e NBR 9653/2005. Os monitoramentos são feitos no mesmo local dos trabalhos anteriores, porém o diferencial é a utilização de métodos para diminuir a sobrepressão acústica, cobrindo os cordéis detonantes com material areno-argiloso ou com a substituição dos mesmos por tubos de choque. O monitoramento é feito por microssismógrafo de engenharia, que registra as vibrações e a sobrepressão acústica de cada detonação, além de coletar toda a informação do plano de fogo, principalmente o carregamento dos furos. Os resultados mostraram que, além da utilização dos cordéis e da consequente expulsão dos tampões, os altos valores de sobrepressão acústica, que ultrapassam os 134 decibéis, estavam relacionados com a realização de desmontes secundários.

Palavras-chave


Desmonte de rochas, monitoramento, ruídos, vibrações

Texto completo:

PDF

Referências


ADHIKARI; G.R. Role of blast design parameters on ground vibration and correlation of vibration level to blasting damage to surface structures. S&T Project: MT/134/02. Kolar Gold Fields, Karnataka, 2005. Disponível em: . Acesso em 10 de jun. de 2014.

BANDHARI; S. Engineering Rock Blasting Operations. Rotherdam, Netherlands: A. A. Balkema, 375 p., 1997.

CONESTOGA-ROVERS & ASSOCIATES. Blasting Impact Assessment: Future Blasting Operations At The Moose River Open Pit Gold Mine Development Site. Touquoy Gold Project. Waterloo, Ontario, 2007.

DORNELES, F. T. Controle e Previsão de Vibrações e Ruídos Gerados Por Desmonte de Rochas Com Explosivos. Universdade Federal do Pampa. Trabalho de Conclusão de Curso. Caçapava do Sul, 2013.

FERREIRA, G. D; DALLORA NETO, C. Controle de Vibrações Geradas por Desmonte de Rocha com Explosivos Estudo de Caso: Calcário Cruzeiro Limeira (SP). Departamento de Geologia Aplicada, Instituto de Geociências e Ciências Exatas,Universidade Estadual Paulista, Campus de Rio Claro. Rio Claro, São Paulo, 2006.

KOPPE, J. C; MUNARETTI, E; COSTA, J. F. C. L; FEIJÓ, J. F. L. Estudo da Utilização de ANFO na Mina de Carvão do Recreio, Butiá, RS. Brasil Mining Site. Sem endereço físico, 2008. Disponível em: < http://www.brasilminingsite.com.br/includes/modulos/mdl_artigo/exibir_artigo.php?id=14>. Acessado em 31 de jun. 2014.

MUNARETTI, E; KOPPE, J. C; SALVADORETTI; P; COSTA, J. F. C. L. Monitoramento Geofísico De Desmonte De Rocha Com Utilização De Explosivos Em Condições De Risco Elevado Em Zona Urbana. Gouvêa & Gouvêa. Jandira, São Paulo, (2001). Disponível em . Acessado em 9 de mar. 2014.

NBR 9653:2005 - Guia para avaliação dos efeitos provocados pelo uso de explosivos nas minerações em áreas urbanas.NRM 16 – Operações Com Explosivos e Acessórios.

PERSSON, P. A; HOLMBERG, R.; LEE, J. Rock Blasting and Explosives Engineering. Boca Raton, Florida: CCR Press, 531 p., 1994;

PORCHER, C. A.; LOPES, R. C; J. A. FONSECA. Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil. Ministério de Minas e Energia, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM. Cachoeira do Sul, Folha SH.22-Y-A. Brasília, Distrito Federal, 2000.

ROSENHAIM, V. L; MUNARETTI, E; KUCKARTZ, B. T.; MENDONÇA, C. S. Análise de Iniciação com Espoleta Eletrônica Para Produção de Agregados no RS. Nitro Ltda, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2012. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2014.

SCLIAR, C. Mineração e Geodiversidade do Planeta Terra. São Paulo, São Paulo: Signus Editora LTDA, 96 p., 2009.

U.S. ARMY CORPS OF ENGINEERS. Geophysical Exploration For Engineering and Environmental Investigations. U.S. Army Corps of Engineers. District Columbia, Washington, 31 aug. 1995. Disponível em: http://www.publications.usace.army.mil/Portals/76/Publications/EngineerManuals/EM_1110-1-1802.pdf >. Acesso em 1 aug. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130818718

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.