Memória, experiência e testemunho: a violência na linguagem do corpo, em Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

Ana Maria Abrahão S. Oliveira

Resumo


O artigo tenciona analisar a publicação póstuma Memórias do cárcere (1953), de Graciliano Ramos (1852 -1953), tendo como foco principal a questão da violência sofrida e presenciada, representada nessa obra do autor, por meio de sua experiência e de seu testemunho como preso político no governo do presidente Getúlio Vargas. Pretende-se realizar um breve estudo sobre a importância das marcas presentes no corpo do preso que sofreu toda a sorte de humilhações, cujas feridas, físicas ou emocionais, constituem um dos principais instrumentos na construção da narrativa, que é um testemunho literário singular com o qual representa a matéria de sua experiência.

Palavras-chave


Memória - Experiência – Testemunho – Violência no cárcere

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Estâncias. Traduzido por Selvino José Assmann. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

ASSMANN, Aleida. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Traduzido por Paulo Soethe. Campinas: Editora da UNICAMP, 2012.

BASTOS, Hermenegildo. Memórias do cárcere: literatura e testemunho. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. 5ª edição. Traduzido por Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1993.

BOSI, Alfredo. A escrita do testemunho em Memórias do cárcere. Revista de Estudos Avançados da USP. Volume 9, nº 23. São Paulo: jan./abr. 1995.

DAVI, Tânia Nunes. A prisão: um microcosmo do Brasil nas representações de Graciliano Ramos. (2003) Disponível em www.fucamp.edu.br/editora/index.perp/cadernos/article/view/49 Acesso em 3 de março de 2019

.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Tradução: Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1989.

GORENDER, Jacob. Graciliano Ramos: lembranças tangenciais. In Revista de Estudos Avançados da USP. Volume 9, nº 3. São Paulo: jan./abr. 1995.

KIFFER, Ana. Corpo, memória, cadeia: o que pode o corpo escrito? Disponível em: www.scielo.br.php?pid=S1517 Acesso em 23 de outubro de 2018.

MATTOS, Marcelo Badaró. Memórias da prisão política sob o regime de Vargas. Disponível em : http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1299634656_ARQUIVO_anpuh2011.pdf Acesso em 06 de março de 2020.

MIRANDA, Wander melo. Posfácio. In: RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. Supervisão e posfácio de Wander Melo Miranda. 45ª ed. Rio de janeiro: Record, 2011.

OLIVEIRA, Ana Maria Abrahão S. Memória, testemunho e escrita melancólica em Memórias do cárcere e Infância, de Graciliano Ramos. 204 f. (Tese) Doutorado em Estudos Literários. Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense. Niterói-RJ, 2014.

RAMOS, Clara. Mestre Graciliano – confirmação humana de uma obra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. Prefácio de Nélson Werneck Sodré. Ilustrações de Percy Deane. 37ª ed. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 2001, 2 vol.

ROSE, R. S. Uma das coisas esquecidas: Getúlio Vargas e o controle social no Brasil/1930 -1954. São Paulo, Companhia das Letras, 2001.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos, Os porões da República. A barbárie nas prisões da Ilha Grande: 1894-1945, Rio de Janeiro: Faperj/Garamond, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Letras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras B2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.