O que nos une é aquilo que nos separa

Lauro José Siqueira Baldini

Resumo


Neste trabalho, procuramos pensar o modo de funcionamento, de um pontode vista discursivo, do Museu da Língua Portuguesa. Para tanto, mobilizamos autores etrabalhos que são essenciais para compreender tal questão. Ao mesmo tempo, tentamosapontar para a necessidade de uma reflexão sobre o funcionamento do discurso em suarelação com movimentos de interpretação que provêm do campo da arte.

Palavras-chave


Análise de Discurso; Ideologia; Colonização linguística

Texto completo:

PDF

Referências


BALDINI, L. J. S. Nomenclatura Gramatical Brasileira: uma análise discursiva do controle da língua. Campinas: RG, 2009.

CERVO, L. M. Língua, patrimônio nosso. 2012. 199 f. Tese (Doutorado em Letras)−Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

FELMAN, S. Writing and madness. Palo Alto: Stanford University Press, 2003.

GADÊT, F.; PÊCHEUX, M. A língua inatingível. Campinas: Pontes, 2004.

MARIANI, B. Colonização linguística: línguas, política e religião no Brasil (séculos XVI a XVIII) e nos Estados Unidos da América (século XVIII). Campinas: Pontes, 2004.

MILNER, J-C. O amor da língua. Campinas: Ed. da Unicamp, 2012.

ORLANDI, E. P. A língua brasileira. Ciência e Cultura, São Paulo, v.57, n. 2, abr./jun. 2005. Disponível em:

br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252005000200016&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 5 mar. 2013.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 3. ed. Campinas: Ed. da Unicamp, 1995.

ORLANDI, E. P. Língua brasileira e outras histórias: discurso sobre a língua e ensino no Brasil. Campinas: RG, 2009.

ORLANDI, E. P. Língua e conhecimento linguístico: para uma história das ideias no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

ORLANDI, E. P. Os sentidos de uma estátua. Entremeios – Revista de Estudos do Discurso, v. 1, n. 1, jul. 2010. Disponível em:

entremeios.inf.br/published/1.pdf>. Acesso em: 5 mar. 2013.

ORLANDI, E. P. Terra à vista. Campinas: Ed. da Unicamp, 1990.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 5. ed. Campinas: Pontes, 2008.

ROMÃO, L. M. S. Exposições do Museu da Língua Portuguesa: arquivo e acontecimento e(m) discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

SAFATLE, V. A paixão do negativo: Lacan e a dialética. São Paulo: Ed. da Unesp, 2006.

SILVA SOBRINHO, J. S. “A língua é o que nos une”: língua, sujeito e estado no Museu da Língua Portuguesa. 2011. 133 f. Tese (Doutorado em Linguística)−Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

ZOPPI-FONTANA, M. G. O acontecimento do discurso na contingência da história. In: INDURSKY, F; FERREIRA, M. C. L; MITTMANN, S. O discurso na contemporaneidade: materialidades e fronteiras. São Carlos: Claraluz, 2009. p. 133-146.




DOI: https://doi.org/10.5902/2176148511732

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.