RELAÇÃO ENTRE CONSUMO/DEMANDA ENERGÉTICA, GORDURA CORPORAL E ESTRESSE

André Luiz CUCHIARO

Resumo


Maiores quantidades de gordura corporal parece apresentar forte relação com o aparecimento de inúmeros distúrbios metabólicos, funcionais e psicológicos. Estudos anteriores têm apontado estreita associação entre presença de sintomas de estresse e maiores quantidades de gordura corporal. Sendo assim, pretendeu-se com o estudo determinar eventual associação entre consumo/demanda energética e maior acúmulo de gordura corporal mediante controle dos níveis de estresse. Para tanto, foi constituída amostra de 61 sujeitos voluntários, sendo 31 mulheres e 30 homens, entre 20 e 30 anos de idade. Os sujeitos foram subdivididos em dois grupos; GI: presença de estresse (16 homens e 19 mulheres); e GII: ausência de estresse (14 homens e 12 mulheres). Na análise das informações coletadas verificou-se que aqueles sujeitos com ausência de sintomas de estresse apresentaram quantidades de gordura corporal nos níveis esperados, enquanto no giupo de sujeitos com presença de estresse observou-se quantidades de gordura acima do esperado. Neste grupo verificou-se associação positiva entre quantidades de gordura corporal e ingestão de lipídios nos homens e, entre as mulheres, associação positiva entre ingestão de lipídios e consumo total de calorias/dia. Os resultados sugerem que a maior ingestão de alimentos entre os indivíduos estressados, ocorre em grande parte na forma de lipídios.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/231654648088



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.