As representações sociais sobre o esporte para os profissionais do programa Segundo Tempo no Mais Educação: o ‘social’ em evidência

Diego Petyk de Sousa, Erica Fernanda de Paula, Constantino Ribeiro de Oliveira Junior, Alfredo Cesar Antunes

Resumo


Considerando a existência de diferentes entendimentos sobre esporte, objetivamos identificar as representações sociais sobre esporte para os profissionais do Programa Segundo Tempo no Mais Educação de Ponta Grossa/PR. Para tanto, utilizamos dos recursos da teoria das representações sociais. Como fonte de dados, aplicamos 16 questionários aos profissionais atuantes no programa, no período de 2015. No processo de interpretação dos dados, recorremos ao software Iramuteq, adotando as estratégias analíticas da nuvem de palavras e análise de similitude. Desse modo, observamos que, o núcleo central está na expressão de valores sociais e nas dimensões sociais do esporte.


Palavras-chave


Representações Sociais. Esporte. Políticas Públicas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, Jean-Claude. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, D. C. (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. 2. ed. Goiânia: AB, 2000. p. 27-37.

ABRIC, Jean-Claude. Représentations sociales: aspects théoriques. In: ABRIC, J. C. (Org.). Pratiques Sociales et Représentations. Paris: PUF, 1994, p.59-82.

ARAÚJO, Alysson Carvalho de. et al. Formação e atuação pedagógica no Programa Segundo Tempo: reflexões sobre o fazer cotidiano do professor. Motrivivência, Florianópolis, v.24, n. 38, p. 40-58, jun. 2012. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2012v24n38p40>. Acesso em: 30 jun. 2018.

BISCONSINI, Camila Rinaldi. et al. Processo de formação continuada: a realidade de um programa social esportivo. Motrivivência, Florianópolis, v. 27, n. 46, p. 119-134, nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

BRASIL. Programa Segundo Tempo (2014). Diretrizes do Programa Segundo Tempo. Brasília: Ministério do Esporte, 2014. Disponível em: . Acesso em 30 jun. 2018.

BRASIL. Programa Segundo Tempo (2011). Diretrizes do Programa Segundo Tempo. Brasília: Ministério do Esporte, 2011. Disponível em: . Acesso em 30 jun. 2018.

BRASIL. Rede de saberes mais educação (2009). Pressupostos para projetos pedagógicos de educação integral: caderno para professores e diretores de escolas. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

CAMARGO, Brigido Vizeu.; JUSTO, Ana Maria. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v.21, n.2, p. 513-518, dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2018.

CAMARGO, Brigido Vizeu; JUSTO, Ana. Maria. Tutorial para o uso do Software IRAMUTEQ. 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2018.

COLOMBO, Bruno Dandolini. et al. O programa segundo tempo: uma política pública para emancipação humana. Motrivivência, Florianópolis, n. 38, p. 12-23, set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

ENGELMAN, Selda; OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bassoli de. Gestão Pública em Rede: o caso do programa segundo tempo – Ministério dos Esportes. Rev. Educ. Fis/UEM, Maringá, v. 23, n. 4, p. 543-552, out./dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. IN: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: UERJ, 2001, p. 17-44.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: Edufba, São Paulo: Edusc, 2012.

MACPHESON, Crawford Brough A Democracia Liberal: origens e evolução. Rio de Janeiro: Zahar,1978.

MASCARENHAS, Fernando. O pedaço sitiado: cidade, cultura e lazer em tempos de globalização. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 24, n. 3, p. 121-143, maio 2003. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

MATIAS, Wagner Barbosa. A Política Esportiva do Governo Lula: o Programa Segundo Tempo. Licere, Belo Horizonte, v.16, n.1, mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

MELLO, André da Silva. et al. Representações sociais dos participantes de projeto esportivo de vitória. Movimento, Porto Alegre, p. 399-412, jun. 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio da pesquisa Social. In: MINAYO, M. C. S(Org) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 31 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bassoli de. et al. Formação continuada em projetos e programas sociais esportivos: um estudo de caso. Movimento, Porto Alegre, v. 22, n. 3, p. 901-916, jul./set. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2018.

PAULA, Erica Fernanda. Políticas públicas de esporte e lazer em Ponta Grossa/PR: representações sociais dos agentes públicos municipais vinculados à Fundação Municipal de Esportes. 2018. 158 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2018. Disponível em : < http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/2460>. Acesso em 10 out. 2018.

REIS, Lorena Nabanete dos.; OLIVEIRA, Amauri Aparecido Bassoli de. A ginástica no programa segundo tempo: desafios e possibilidades da prática em programas sociais. Conexões, Campinas, SP, p. 39-57, maio 2015. ISSN 1983-9030. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2018.

REVERDITO, Riller Silva. et al. O Programa Segundo Tempo em municípios brasileiros: indicadores de resultado no macrossistema. J. Phys. Educ. v, 27, p. 2754, 2016. Disponível em: < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/31303/18006>. Acesso em: 30 jun. 2018.

SÁ, Celso. Pereira de. A construção do objeto de pesquisa em representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998. 110p.

SANTOS, Edmilson Santos dos. As coalizões e os partidos políticos na difusão do Programa Segundo tempo. Licere, Belo Horizonte, v.15, n.3, set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

SANTOS, Edmilson Santos dos. Ambiente institucional e difusão do Programa Segundo Tempo: uma análise da difusão regional de 2005 a 2009. Pensar a Prática, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 1319, jan./mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

SANTOS, Edmilson Santos dos. Governo do Estado e descentralização do Programa Segundo Tempo. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 2, abr./jun. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

SANTOS, Edmilson Santos dos.; ANDRADE, Jean Carlo; SANTOS, Roberto Silva. Programa Segundo Tempo e o papel das prefeituras na sua difusão. Pensar a Prática, Goiânia, v. 17, n. 4, out./dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

SANTOS, Edmilson Santos dos.; STAREPRAVO, Fernando Augusto.; SOUZA NETO, Marina da Silva. Programa “Segundo Tempo” e o vazio assistencial na Região Nordeste. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 3., p. 759-771, jul./set. de 2015. Disponível em: < http://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/50648>. Acesso em: 30 jun. 2018.

SILVEIRA, Juliano. Considerações sobre o esporte e o lazer: entre direitos sociais e projetos sociais. Licere, Belo Horizonte, v.16, n.1, mar/2013. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

SILVEIRA, Juliano. O esporte da/na escola nas políticas públicas em Santa Catarina. Kinesis, Santa Maria, v. 34, ago. 2016.. Disponível em: . Acesso em: 31 out. 2018.

SOUSA, Diego Petyk de. O Programa Segundo Tempo no Mais Educação entre documentos e discursos: os casos dos profissionais de Ponta Grossa – Paraná. 2015, 129 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2018.

SOUZA, Ana Paula Prestes de.; SOUZA, Doralice Lange de; CASTRO, Suelen Barboza Eiras de. Barreiras e facilitadores para a implementação do Programa Segundo Tempo: um estudo de caso. Pensar a Prática, Goiânia, v. 16, n. 4, p. 956-1270, out./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

SOUZA, Doralice Lange de. et al. Determinantes para a implementação de um projeto social. Motriz, Rio Claro, v. 16, n. 3, p. 689-700, jul./set. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2018.

STAREPRAVO, Fernando Augusto. et al. As equipes colaboradoras do Programa Segundo Tempo e suas contribuições para o desenvolvimento de uma política de esporte educacional. Motrivivência, Florianópolis, n. 24, n. 39, dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

STIGGER, Marco Paulo. Educação física: esporte e diversidade. 2. Ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2011.

TUBINO, Manoel José Gomes. Dimensões sociais do esporte. 3. Ed. São Paulo: Cortez, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5902/2316546435606

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br


 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.