A agricultura orgânica no Brasil: um perfil a partir do censo agropecuário 2006

Andréia Vigolo Lourenço, Sergio Schneider, Marcio Gazolla

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o perfil da produção orgânica brasileira a partir dos dados do Censo Agropecuário 2006, o último disponível. O trabalho identifica e quantifica os estabelecimentos que produziram orgânicos através do mapeamento da produção e dos produtores, suas características socioeconômicas e as macrorregiões em que se situam. A metodologia utilizada consistiu na análise de dados secundários do Censo Agropecuário 2006 do IBGE, retirados do website SIDRA, a partir da variável ‘uso de agricultura orgânica’. Os resultados mostram que a agricultura orgânica ainda é pouco expressiva no Brasil. No que se refere ao perfil socioeconômico, os estabelecimentos que fazem uso da agricultura orgânica são de agricultores familiares, especialmente os classificados no Grupo B do PRONAF (que são os mais pobres), que participam em cooperativas ou entidades de classe. Estes agricultores são, em sua maioria, proprietários das terras, apresentam baixo grau de escolarização com pouco ou nenhum acesso à assistência técnica. As atividades econômicas mais frequentes onde os orgânicos são encontrados são a pecuária e as lavouras temporárias. Trata-se de um perfil que merece maior atenção do Estado (por exemplo, nas ações do PLANAPO), uma vez que a demanda pelo consumo de produtos orgânicos vem crescendo no Brasil assim como em várias outras partes do mundo.


Palavras-chave


Agricultura orgânica, Censo Agropecuário 2006, perfil da produção.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTIERI M. A.; TOLEDO V. M. The agroecological revolution in Latin America. Journal of Peasant Studies. v. 38, p. 587–612, 2011.

ALTIERI, M. A. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 4ª ed., 2004. (Série Estudos Rurais).

AQUINO, J. R.; et al. Dimensão e características do público potencial do Grupo B do PRONAF na região Nordeste e no estado de Minas Gerais. In: SCHNEIDER, S.; FERREIRA, B.; ALVES, F. (Orgs.). Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do censo agropecuário 2006. Brasília: IPEA, 2014. p. 77-105.

AQUINO, J. R.; GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Um retrato do lado pobre da agricultura familiar no Estado do Rio Grande do Sul. 53º Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. João Pessoa, 26 a 29 de julho de 2015, 20p.

BARAŃSKI, M.; et al. Higher antioxidant and lower cadmium concentrations and lower incidence of pesticide residues in organically grown crops: A systematic literature review and meta-analyses. British Journal of Nutrition, United Kingdom, Cambridge University Press, v. 112, n. 5, p. 794–811, 2014.

BLANC, J.; KLEDAL, P. R. The Brazilian organic food sector: Prospects and constraints of facilitating the inclusion of smallholders. Journal of Rural Studies. Elsevier, v. 28, n. 1, p. 142–154, 2012.

BRANCHER, P. C. As faces da certificação de produtos orgânicos no Brasil: o caso do mercado da Região Metropolitana de Curitiba–PR. XLIII Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Sociologia e Administração Rural. Anais... 2005, 20p.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. DOU - Brasília, 2006, p. 1.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003. Dispõe sobre Agricultura Orgânica e dá outras providências. DOU - Brasília, 2003, Seção 1, p. 8.

BRUNORI, G.; ROSSI, A.; MALANDRIN, V. Co-produzing transition: innovation processes in farms Adhering Solidarity-based Purchase Groups (GAS) in Tuscany, Italy. International Journal of Sociedad of Agricultural and Foods. Pisa, v. 18, n. 1, p. 28-53, 2010.

CIAPO. Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - PLANAPO: relatório de balanço 2013-2015. Brasília, setembro/2016. 92p. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2017.

COMUNELLO, F. J. Produto Orgânico de Produção Agroecológica: a sensibilidade jurídica dos produtores agroecológicos. Extensão Rural, Santa Maria, v. 20, n. 1, Jan./Abr. de 2013.

DALCIN, D.; SOUZA, Â. R. L.; FREITAS, J. B.; DEWES, Â. D. P. H. Organic products in Brazil: from an ideological orientation to a market choice. British Food Journal. v. 116, issue 12, p. 1998 – 2015, 2014.

DEL GROSSI, M. E.; MARQUES, V. P. M. A. Agricultura familiar no censo agropecuário 2006: o marco legal e as opções para sua identificação. Estudos Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 127-157, abr./2010.

DELGADO, G. C. D. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio: mudanças cíclicas em meio século (1965-2012). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

DIAS, V. V.; SCHULTZ, G.; SCHUSTER, M. S.; TALAMINI, E.; RÉVILLION, J. P. O mercado de alimentos orgânicos: um panorama quantitativo e qualitativo das publicações internacionais. Ambiente & Sociedade. São Paulo, n. 1, p. 161-182, 2015.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000. (Série Estudos Rurais).

GODFRAY, C.; et al. ‘Food security: the challenge of feeding 9 billion people’. Science. v. 327, p. 812–818, 2010.

GUTHMAN, J. The trouble with ‘organic lite’ in California: a rejoinder to the ‘conventionalisation’ debate. Sociologia Ruralis. v. 44, n. 3, p. 301-316, 2004.

GUZMÁN, E. S.; WOODGATE, G. Agroecology: Foundations in Agrarian Social Thought and Sociological Theory. Agroecology and Sustainable Food Systems. v. 37, issue 1, p. 32-44, 2013.

IAASTD. Agriculture at a crossroads. International Assessment of Agricultural Knowledge, Science and Technology for Development, Island Press, Washington, DC. 2009.

IBGE. Censo agropecuário 2006. Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Primeiros Resultados. Disponível em: < http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/51/agro_2006.pdf >. Acesso em: 20 mar. 2017.

__________ Agricultura Familiar. Primeiros resultados. Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Censo agropecuário 2006. Brasília/Rio de Janeiro: MDA/MPOG, 2009.

IFOAM. Growth continues: 43.7 million hectares of organic agricultural land worldwide. Disponível em: < http://www.ifoam.bio/sites/default/files/press-release-world-2016-english.pdf >. Acesso em: 18 mar. 2016.

INTERNATIONAL PANEL OF EXPERTS ON SUSTAINABLE FOOD SYSTEMS (IPES-FOOD). From uniformity to diversity: a paradigm shift from industrial agriculture to diversified agroecological systems. Disponível em: < http://www.ipes-food.org/images/Reports/UniformityToDiversity_FullReport.pdf>. Acesso em: 19 mar. 2017.

KOESLING, M.; et al. Farmers’ reasons for deregistering from organic farming. Organic Agricultural, v. 2, n. 2, p. 103–116, 2012.

LAGO, A.; LENGLER, L.; CORONEL, D. A.; SILVA, T. N. Agricultura familiar de produtos orgânicos: um olhar sob a ótica do marketing. Extensão Rural, Santa Maria, Ano XIII, Jan./Dez.2006.

MELÃO, I. B. Desenvolvimento rural sustentável a partir da agroecologia e da agricultura orgânica: o caso do Paraná. Nota Técnica IPARDES. Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES): Curitiba, 2010.

NIEDERLE, P. A.; ALMEIDA, L. A nova arquitetura dos mercados para produtos orgânicos: o debate da convencionalização. In: NIEDERLE, P. A.; ALMEIDA, L.; VEZZANI, F. M. (Orgs.). Agroecologia: práticas, mercados e políticas para uma nova agricultura. Curitiba: Kairós. 2013, 393p.

OLIVEIRA, D.; GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Produzindo novidades na agricultura familiar: agregação de valor e agroecologia para o desenvolvimento rural. Cadernos de Ciência & Tecnologia. Brasília, v. 28, n. 1, p. 17 - 49, 2011.

OLIVEIRA, E. C. L. O Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica: resposta a um novo paradigma de Desenvolvimento Rural para o Brasil. In: Congresso Brasileiro de Economia, Administração e Sociologia Rural, 54. 2016, Maceió/AL. Anais... Maceió/AL: SOBER, 2016. 14p. (Online).

PETERSEN, P.; MUSSOI, E. M.; DAL SOGLIO, F. Institutionalization of the Agroecological Approach in Brazil: Advances and Challenges. Agroecology and Sustainable Food Systems. v. 37, n.1, p. 103-114. 2013.

PICOLOTTO, E. L. Reconhecimento da agricultura familiar e as disputas pela classe média rural. Revista Espaço Acadêmico. [S.l.], Ano XI, n. 128, p. 158-167, 2012.

PLOEG, J. D. V. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008. 372 p. (Série Estudos Rurais).

PONISIO, L. C.; M’GONIGLE, L. K.; MACE, K. C.; PALOMINO, J.; DE VALPINE, P.; KREMEN, C. Diversification practices reduce organic to conventional yield gap. Proceedings of the Royal Society. v. 282, issue 1799, 2015.

PRETTY, J. Agri-Culture: reconnecting people, land and nature. London: Earthscan, 2002.

REDCLIFT, M.; GOODMAN, D. The machinery of hunger: the crisis of Latin America food systems. In: GOODMAN, D.; REDCLIFT, M. (Eds.). Environment and development in Latin America. UK: Manchester University Press, 1991.

REGANOLD, J. P.; WACHTER, J. M. Organic agriculture in the twenty-first century. Nature Plants. v. 2, February 2016.

RENTING, H.; MARSDEN, T.; BANKS, J. Understanding alternative food networks: Exploring the role of short food supply chains in rural development. Environment and Planning, Wageningen, v. 35, p. 393-411, 2003.

SAMBUICHI, R. H. R. et al. Avaliação do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica: primeiros resultados. In: Congresso Brasileiro de Economia, Administração e Sociologia Rural, 54, 2016, Maceió/AL. Anais... Maceió/AL: SOBER, 2016. 9p. (Online).

SCALCO, A. R.; SERVI, R. G. Manutenção da certificação orgânica em produtores rurais. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente. v. 7, n. 3, p. 515-534, 2014.

SCHNEIDER, S.; FERREIRA, B.; ALVES, F. (Org.). Aspectos multidimensionais da agricultura brasileira: diferentes visões do Censo Agropecuário 2006. Brasília: IPEA, 2014. v. 1. 392 p.

SEBRAE. Perfil de mercado: orgânicos. Estudos de Inteligência de Mercado. São Paulo: 2010.

SLATER, N. Real food. London: Fourth Estate, 2014.

WILLER, H.; KILCHER, L. (Eds.). The world of organic agriculture - statistics and emerging trends 2014. Switzerland: FiBL, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318179624514

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores - Indexers

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD

NACIONAL: 9- AGROBASE 10- Portal livRe! 11- Sumários.org 12- Diadorim 13- Portal SEER 14- Portal de Periódicos CAPES 15- Rede Cariniana 16- Google Scholar 17 - Sabiia

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook

 

Revista Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/23181796

 

Licença Creative Commons
Revista Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.


Acessos a partir de 20/10/2014