A escola urbanizada: incoerências relativas à formação de estudantes rurais de Ensino Médio

Laila Mayara Drebes, Edilacir dos Santos Larruscain, Luiz Felipe Schuch, Bartholomeo Oliveira Barcelos

Resumo


O estudo analisou incoerências sociais e culturais entre saberes escolares e familiares sobre as perspectivas profissionais de estudantes rurais de Ensino Médio através das percepções de professores e estudantes. De abordagem qualitativa, o trabalho foi conduzido como estudo de caso e amostrado por meio institucional, realizado no município de Tio Hugo, Rio Grande do Sul, Brasil, em outubro de 2014. Os dados foram coletados com questionários, entrevistas, pesquisa bibliográfica e documental e analisados com a metodologia de análise de conteúdo. Notou-se um hiato entre discurso e prática docente sobre a concepção de escola. Os docentes não incrementam o meio rural e a agricultura em suas aulas, nem mesmo em momentos interdisciplinares. Os discentes rurais gostariam dessa integração e se sentem desmotivados. Os mesmos sonham com cursos técnicos agropecuários e graduações nas ciências agrárias acreditando que essa educação possa suprir suas necessidades como estudantes rurais. A escola de Ensino Médio reproduz a realidade sociocultural dominante e transmite saberes urbanizados que incentivam os estudantes rurais a perspectivas profissionais urbanas.


Palavras-chave


agricultura familiar, educação, ensino profissional, juventude rural, sucessão.juventude rural; sucessão

Texto completo:

PDF

Referências


ANJOS, F. S.; CALDAS, N. V.; POLLNOW, G. E. Menos mulheres, menos jovens, mais incertezas: a transição demográfica no Brasil rural Meridional. Extensão Rural, Santa Maria, v. 21, n. 02, p. 94-116, 2014. Disponível em: . Acesso em: 07/ jun. 2016.

ANTUNIASSI, M. H. R. Trabalho infantil e escolarização no meio rural. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1983.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BITTENCOURT, B. D. Infância, trabalho e socialização em Itapuranga-GO: agricultura familiar em contexto de mudanças. 2013. 160 f. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós–Graduação em Agronegócio – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.

BOURDIEU, P. Reprodução cultural e reprodução social. In: BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 7 ed. São Paulo: Perspectiva, 2011. p. 295-336.

BRANDÃO, C. R. Casa de escola: cultura camponesa e educação rural. Campinas: Papirus, 1983.

BRANDÃO, C. R. O trabalho de saber: cultura camponesa e escola rural. São Paulo: FTD, 1990.

CALDEIRA, C. Menores nomeio rural: trabalho e escolarização. Rio de Janeiro: CBPC/INEP, 1960.

COSTA, C. Contornos do celibato no espaço rural: solteirões do Sul do Brasil. Extensão Rural, Santa Maria, v. 21, n. 03, p. 22-51, 2013. Disponível em: . Acesso em: 07/06/2016.

FERRARI, D. L. et al. Dilemas e estratégias dos jovens rurais: ficar ou partir? Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v.12, n. 02, p.237-271, 2004. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Política e educação. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Editora Atlas, 2011.

IBGE. Censo agropecuário. 2006. Disponível em:. Acesso em: 08 out. 2014.

IBGE. Censo demográfico. 2010. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2014.

LAMARCHE, H. A agricultura familiar: comparação internacional – uma realidade multiforme. Campinas: Ed. UNICAMP, 1993.

MARTINS, J. S. Capitalismo e tradicionalismo: estudos sobre as contradições da sociedade agrária no Brasil: São Paulo: Pioneira, 1975.

MINAYO, M. C. S. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32 ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

PIRES, A. Amostragem e pesquisa qualitativa: ensaio teórico e metodológico. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

RENK, A.; CABRAL JR., V. Campesinidade e migração internacional: novas estratégias dos jovens rurais do Oeste Catarinense. Esboços, Florianópolis, v. 10, n. 10, p. 09-28, 2002. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2014.

SANTOS, J. V. T. Colonos do vinho: estudo sobre a subordinação do trabalho camponês ao capital. São Paulo: Editora HUCITEC, 1984.

SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 01, n. 01, p. 131-152, 2003. Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2016.

SILVESTRO, M. L. et al. Os impasses sociais da sucessão hereditária na agricultura familiar. Florianópolis: Epagri; Brasília: Nead, 2001.

SERS. Proposta pedagógica para o ensino médio politécnico e educação profissional integrada ao ensino médio – 2011/2014. Porto Alegre: SERS, 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2014.

VISBISKI, V. N.; WEIRICH NETO, P. H. Casa familiar rural: uma escola diferente. Extensão Rural, Santa Maria, n. 11, p. 105-118, jan./dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2318179619551

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores - Indexers

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD

NACIONAL: 9- AGROBASE 10- Portal livRe! 11- Sumários.org 12- Diadorim 13- Portal SEER 14- Portal de Periódicos CAPES 15- Rede Cariniana 16- Google Scholar 17 - Sabiia

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook

 

Revista Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/23181796

 

Licença Creative Commons
Revista Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.


Acessos a partir de 20/10/2014