O processo de escolha de uma propriedade para instalação de uma URT em ILPF: a experiência no Território do Ribeirão do Boi

William Fernandes Bernardo, Marcelo Dias Müller, Narliane de Melo Martins, Carlos Eugênio Martins, Pricila Estevão

Resumo


A pesquisa agropecuária produziu a partir da década de 1970 muitas tecnologias e conhecimentos que não chegaram a ser adequadamente utilizados pelos produtores rurais. Vários métodos de extensão rural foram criados para aumentar a adoção, por esse grupo, de tecnologias produzidas nas universidades e centros de pesquisa. Um desses métodos é a unidade de referência tecnológica (URT), que nesse caso é uma propriedade rural que utiliza determinada prática ou técnica inovadora. A escolha dessa propriedade, no entanto, não é simples, uma vez que há muitas URTs que não servem de espelho aos visitantes. O que o presente artigo discute são os requisitos para a escolha de uma propriedade para se constituir em uma URT com maiores chances de motivar os visitantes a utilizarem a técnica inovadora. Para isso, apresenta a experiência da escolha de uma URT na tecnologia de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) no Território do Ribeirão do Boi, na região noroeste do Estado de Minas Gerais, Brasil. Na descrição da escolha da URT levam-se em conta as características do produtor, da tecnologia, da assistência técnica e da propriedade, sob uma análise crítica da ação extensionista nesse processo.


Palavras-chave


extensão rural, leite, unidade demonstrativa, unidade de referência tecnológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, R. C.; GONTIJO NETO, M. M.; CRUZ, J. C. Sistema Barreirão. In: _____. Cultivo do Sorgo. 5. ed. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2009. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2016.

BALBINO, L. C. et al. Manual orientador para implantação de unidades de referência tecnológica de integração lavoura-pecuária-floresta URT iLPF. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2011. p. 48. (Embrapa Cerrados. Documentos, 303)

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Integração, lavoura, pecuária e floresta. Brasília, DF, [201-]. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2016.

COELHO, F. M. G. A arte das orientações técnicas no campo: concepções e métodos. Viçosa, MG: UFV, 2005. p. 139.

FIGUEIREDO, V. Produção social da tecnologia. São Paulo: EPU, 1989. p. 54.

FONSECA, M. T. L. A extensão rural no Brasil: um projeto educativo para o capital. São Paulo: Loyola, 1985. p. 192.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983. p. 93.

HERVIEU-LÉGER, D. O peregrino e o convertido: a religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 238.

LEWGOY, B. A transnacionalização do espiritismo kardecista brasileiro: uma discussão inicial. Religião e Sociedade, v. 28, n. 1, p. 84-104, jul. 2008. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2016.

MACDICKEN, K. G.; VERGARA, N. T. Agroforestry, classification and management. New York: John Wiley & Sons, 1990. p. 382.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Métodos científicos. In: ___. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008. p. 44-98.

MARX, K.; ENGELS, F. K. Marx: Trabalho alienado e superação positiva da auto-alienação humana. In: FERNANDES, F. (Org.) Marx e Engels: história. 3. ed. São Paulo: Ática, 1989. p. 146-181.

MATTOS, C. A. C.; SANTANA, A. C. As contribuições da pecuária leiteira para os agricultores familiares: um estudo no Sudeste do Estado do Pará. Extensão Rural, Santa Maria, v. 21, n. 1, jan./mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2016.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010. p. 405.

NAIR, P. K. An introduction to agroforestry. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1993. p. 499.

PALANGANA, I. C. A concepção de Piaget. In: ___. Desenvolvimento e aprendizagem em Piaget e Vygotsky. São Paulo: Summus, 2001. p. 13-31.

ROGERS, E. M. Diffusion of innovations. New York: Free Press of Glencoe; London: Macmillan New York, 1962. p. 367.

ROGERS, E. M.; SHOEMAKER, F. F. La comunicación de innovaciones: un enfoque transcultural. México: Herrero Hermanos Sucesores, 1974. p. 385.

RUAS, E. D.; et al. Metodologia participativa de extensão rural para o desenvolvimento sustentável – Mexpar. Belo Horizonte: Emater-MG, 2006. p. 132.

SILVA, J. G. Tecnologia e agricultura familiar. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2003. p. 238.

TEIXEIRA, S. R.; BERNARDO, W. F.; MOREIRA, M. S. P. O que pensam os produtores e jovens filhos de produtores de leite sobre a atividade leiteira. Extensão Rural, Santa Maria, v. 20, n. 1, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2016.

VILELA, D.; BRESSAN, M.; CUNHA, A. S. Cadeia de lácteos: restrições ao seu desenvolvimento. Brasília, DF: MCT/CNPq; Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite, 2001. p. 484.

YOKOYAMA, L. P.; et al. Sistema Barreirão: análise de custo/benefício e necessidade de máquinas e implementos agrícolas. Goiânia: EMBRAPA-CNPAF, 1995. p. 31. (EMBRAPA-CNPAF. Documentos, 56).




DOI: https://doi.org/10.5902/2318179616561

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Licença Creative Commons
Extensão Rural está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

*** DESDE 2014 O PERIÓDICO É PUBLICADO TRIMESTRALMENTE***

.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Geral: 10.5902/23181796 (os especificos estão nos RESUMOS - clique sobre o titulo do trabalho, no sumário) 


Periódico Extensão Rural

ISSN impresso: 1415-7802

ISSN on-line: 2318-1796

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

INDEXADORES -  INDEXERS

INTERNACIONAL: 1- AGRIS 2- Latindex-Directorio 3- Diretório Luso-Brasileiro 4- REDIB 5- Journals for Free 6- EZB Nutzeranfragen 7- OAJI 8 - ROAD - 9- MIAR 

NACIONAL: 10- AGROBASE 11- Portal livRe! 12- Sumários.org 13- Diadorim 14- Portal SEER 15- Portal de Periódicos CAPES 16- Rede Cariniana 17- Google Scholar 18- Sabiia

 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

CONTATO:
E-mail: atendimento.extensao.rural@gmail.com- Campus Universitário - Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural/Centro de Ciências Rurais/Universidade Federal de Santa Maria - Prédio 44 (CCR II) - 1º Piso - CEP: 97105-900 - Santa Maria - RS - BRASIL. 

 

"Os trabalho publicados na revista Extensão Rural são de responsabilidade dos seus autores e não representam necessariamente a opinião dos editores. Reprodução dos trabalhos é permitida, desde que a fonte seja citada."

.........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Visite nosso perfil no Facebook

Visite nossa página no Facebook


Baseado no trabalho disponível em https://periodicos.ufsm.br/extensaorural.