RESÍDUOS ORGÂNICOS E FÓSFORO COMO CONDICIONANTES DE SOLO DEGRADADO E EFEITOS SOBRE O CRESCIMENTO INICIAL DE Dipteryx alata Vog.

Keila da Silva Machado, Kátia Luciene Maltoni, Cinthia Montibeller Santos, Ana Maria Rodrigues Cassiolato

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509815728

Na região Noroeste do Estado de São Paulo, foi estabelecida, em 1965, a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira (CESP), que produziu extensas áreas degradadas, de onde foram retiradas as camadas superficiais do solo. Para o restabelecimento da vegetação, em áreas como estas, é necessária a adição de insumos químicos e matéria orgânica. Associando-se a presença na região de macrófitas à necessidade de recuperação de áreas degradadas e a disponibilidade de sementes de espécies nativas de cerrado, propôs-se o desenvolvimento deste trabalho, com o objetivo de avaliar os efeitos da adição de resíduo orgânico e fósforo sobre material de solo degradado e sobre o crescimento inicial de Dipteryx alata, espécie arbórea de cerrado. O material de solo foi coletado em área degradada pela construção da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira (SP). O experimento foi conduzido em dois ambientes, casa de vegetação e a pleno sol. Os tratamentos consistiram de quatro doses de fósforo (0, 100, 200 e 300 mg dm-3 de P2O5), com ou sem adição de macrófitas, produzindo 16 tratamentos com 10 repetições cada um. As macrófitas utilizadas, coletadas na Usina Hidrelétrica de Jupiá (MS), foram secas e passadas em picadeira, incorporadas ao material de solo e incubadas por 60 dias. As sementes de Dipteryx alata, coletadas nas proximidades da área, foram semeadas em areia lavada e após 60 dias introduzidas nos tratamentos. As plantas foram avaliadas mensalmente quanto à altura, ao diâmetro do caule e à clorofila foliar. Após 210 dias, as plantas foram coletadas e avaliadas para peso fresco e seco da parte área e do sistema radicular e o material de solo foi avaliado quanto à fertilidade e atividade microbiana pelo carbono do CO2 liberado. A incorporação de resíduo orgânico ao material de solo degradado afetou positivamente a fertilidade deste e a atividade microbiana. As doses de fósforo aplicadas influenciaram o comportamento de Ca, SB, H+Al e CTC e, quando aplicadas na ausência de resíduo orgânico, promoveu incrementos significativos e lineares nos valores da acidez potencial, mostrando a importância da presença do resíduo orgânico. O crescimento inicial do Dipteryx alata foi favorecido pelo cultivo protegido, pela incorporação de resíduo orgânico e pela adição de fósforo ao solo. Pode-se concluir ainda que há boa perspectiva para deposição deste resíduo sobre o material de solo degradado, embora estudos em condições de campo sejam necessários.


Palavras-chave


revegetação; macrófitas; fertilidade do solo; microbiologia do solo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCANTARA, E. N. et al. Métodos de controle de plantas invasoras na cultura do cafeeiro (Coffea arabica L.) e componentes da acidez do solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa , v. 31, n. 6, dez. 2007.

ALMEIDA, J. A. et al. Recomendação alternativa de calcário para solos altamente tamponados do extremo sul do Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v. 29, n. 4, p. 651-656, fev., 1999

ANDERSON, T. H.; DOMSCH, K. H. Ratios of microbial biomass carbon to total organic carbon in arable soils. Soil Biology and Biochemistry, Oxford, v. 21, p. 471-479, 1982.

BARBOSA, L. M. SIMPÓSIO DE ATUALIZAÇÃO EM RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 2. Moji-Guaçu, 2008. Anais... São Paulo: Instituto de Botânica, 2008.

BASSINI, F. Caracterização de populações de barueiros (Dipteryx alata Vog. – Fabaceae) em ambientes naturais e explorados. 2008. 142 f. Tese (Doutorado em Ciências Ambientais) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008

CALGARO, H. F. et al. Resíduos orgânicos como recondicionante de subsolo degradado e efeito na atividade microbiana e fertilidade, em cultivo de barbatimão. Revista Árvore, Viçosa, v. 32, n. 6, p. 1069-1079, dez 2008.

CALGARO, H. F. et al. Adubação química e orgânica na recuperação da fertilidade de subsolo degradado e na micorrização do Stryphnodendron polyphyllum. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 32, n. 3, p. 1337-1347, mai/jun. 2008b.

CAMPBELL, C. A. et al. Effect of crop rotations on microbial biomass, specific respiratory activity and mineralizable nitrogen in a Black Chernozenic soil. Canadian Journal of Soil Science, Ottawa, v. 72, p. 417-427, Nov., 1992.

CANELLAS, L. P. et al. Propriedades químicas de um Cambissolo cultivado com cana-de-açúcar, com preservação do palhiço e adição de vinhaça por longo tempo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 27, n. 5, p.935-944, set/out., 2003.

CARNEIRO, J. G. A. Produção e Controle de Qualidade de Mudas Florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF. 1995. p.57 - 92.

CIOTTA, M. N. et al. Matéria orgânica e aumento da capacidade de troca de cátions em solo com argila de atividade baixa sob plantio direto. Ciência Rural, Santa Maria, v. 33, n.6, p.1161-1164, nov/dez., 2003.

CRESTANA, M. S. M. et al. Espécies arbóreas nativas do Estado de São Paulo recomendadas para reflorestamentos. In: CRESTANA, M. S. M. et al. Florestas: Sistemas de recuperação com essências nativas, produção de mudas e legislação. São Paulo, Imprensa oficial, 2006. p. 49-84.

DICK, R. P. A review: long-term effects of agricultural systems on soil biochemical and microbial parameters. Agricultural Ecosystems Environmental, Amsterdan, v. 40, p. 25-36, May, 1992.

FERREIRA, D. F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4.0. In: REUNIÃO ANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, São Carlos, 2000. Anais... São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2000. p. 255-258.

FLORES-AYLAS, W. W. et al. Efeito de Glomus etunicatum e fósforo no crescimento inicial de espécies arbóreas em semeadura direta. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 38, n.2, p. 257-266, Feb. 2003.

GAMA-RODRIGUES, E.F. et al. Biomassa microbiana de carbono e de nitrogênio de solos sob diferentes coberturas florestais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 21, p. 361-365, jul/set 1997.

LEITE, L. L. et al. Efeitos da descompactação e da adubação do solo na revegetação espontânea de uma cascalheira no Parque Nacional de Brasília. In: SIMPÓSIO SUL-AMERICANO, 1.; SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 2., 1994, Foz do Iguaçu. Anais... Curitiba: UFPR/Fundação de Pesquisa Florestal do Paraná, 1994. p. 527-534.

LOPES, A. S.; GUILHERME, L. A. G. Solos sob cerrado: manejo da fertilidade para a produção agropecuária. São Paulo: ANDA, 1994. v. 2. p. 7-56.

MALAVOLTA, E. et al. Sobre a composição mineral do aguapé (Eichornia crassipes). Anais da ESALQ-USP, Piracicaba, v. 46 (parte 1), p. 155-162, 1989.

MORAES, A. R. Estimativa de estoque de elementos químicos em macrófitas aquáticas do reservatório de Salto Grande (Americana-SP). 1999. 94 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental). Universidade de São Paulo, São Carlos, 1999.

MOREIRA, P. R. Manejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, poços de Caldas-MG. 2004. 139 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas). Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2004.

OLIVEIRA, A. N. et al. Variações genéticas para características do sistema radicular de mudas de baru (Dipteryx alata Vog.). Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 30, n. 6, p. 905-909, nov/dez. 2006

OSAKI, F. Calagem e adubação. 2. ed. Campinas: Instituto Brasileiro de Ensino Agrícola, 1991.

RAIJ, B. VAN.; QUAGGIO, J. A. Métodos de análise de solo para fins de fertilidade. Campinas: Instituto Agronômico, 1983. 31 p. (IAC. Boletim Técnico, 81).

REICHMANN NETO, F. Recuperação de áreas degradadas na Região Sul. In: CONGRESSO FLORESTAL PANAMERICANO, 1.; CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, 7., Curitiba, 1993. Anais... Curitiba, SBS/SBEF, 1993. p. 102-107.

RUIVO, M. L. P. Recuperação de áreas de mineração: uma experiência bem sucedida na Amazônia. In: FERREIRA, E. J. G.; SANTOS, G. M.; LEÃO, E. I. M.; OLIVEIRA, I. A. (Eds.). Bases científicas para estratégias de preservação e desenvolvimento da Amazônia. Manaus: INPA, p.383-404, 1993.

SANO, S. M. et al. Baru: biologia e uso. Planaltina: Embrapa Cerrado, 2004. 52 p. (Série: Documento, nº 116)

STATISTICAL ANALYSIS SYSTEM INSTITUTE-SAS/STAT. Procedure guide personal computers. 9th ed. Cary: NC. Inst, 1999. 334 p.

SCHIAVETO, A. R. et al. Utilização de aguapé como fonte de matéria orgânica para espécies de cerrado. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 27.; REUNIÃO BRASILEIRA SOBRE MICORRIZAS, 11.; SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MICROBIOLOGIA DO SOLO, 9.; REUNIÃO BRASILEIRA DE BIOLOGIA DO SOLO, 6., 2004, Lages. Anais... Lages: UESC/SBCS/SBM, 2004. 4 p.

SIQUEIRA, J. O. et al. Microrganismos e processos biológicos do solo: perspectiva ambiental. Brasilia: EMBRAPA, 1994. 142 p.

VASCONCELOS, V. F.; SANTOS, R. J. A. Chegada do projeto Prodecer-I em Irai de Minas e os migrantes. In: SIMPÓSIO REGIONAL DE GEOGRAFIA, 2., 2003, Uberlândia. Anais... Perspectiva para o Cerrado no século XXI. Local: UFU, 2003. 15 p. Disponível em: . Acessado em 06 fev. 2010.

VELINI, E. D. Controle mecânico de plantas aquáticas no Brasil. In: WORKSHOP SOBRE CONTROLE DE PLANTAS AQUÁTICAS. 1998, Brasília. Anais... Brasília: IBAMA, 1998. p. 32-35.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509815728

Licença Creative Commons