Padrões da fragmentação do habitat na Cuesta de Botucatu, SP.

Luiz Alberto Blanco Jorge, Marcelo Pauein Moreira

Resumo


O objetivo global do presente trabalho foi dar prosseguimento aos estudos sobre fragmentação do habitat na Cuesta de Botucatu (SP), em uma área de 18.422 ha. A pesquisa teve os seguintes objetivos específicos : 1) mapear os fragmentos de vegetação natural que ocorrem em uma área de estudo na Cuesta de Botucatu (SP), valendo-se de imagens multiespectrais TM do satélite Landsat-5 tomadas em dois períodos (1986 e 1993); 2) avaliar a estabilidade da fragmentação do habitat, com o auxílio de um sistema de informações geográficas (SIG), comparando os mapas temáticos de ocorrência de vegetação natural de 1986 e 1993; 3) descrever os padrões da fragmentação da vegetação natural na depressão periférica da Cuesta de Botucatu (SP). A análise dos dados espaciais de 1986 e 1993 revelou que o fenômeno de fragmentação da vegetação natural é instável. O processo apresenta distinção de escala: 1) o subconjunto de fragmentos maiores não é fractal, levando à observação de que as manchas de vegetação dessa classe não se dividem, simplesmente diminuem de tamanho obedecendo a uma tendência linear; 2) o subconjunto de fragmentos de tamanhos intermediários foi detectado como não sendo fractal, levando à observação de que, no processo de fragmentação, as manchas de vegetação dessa classe  não se dividem, simplesmente diminuem de tamanho, obedecendo a uma progressão geométrica crescente; 3) o subconjunto de dados relativos aos fragmentos de menor tamanho é fractal, permitindo afirmar que o processo de fragmentação relacionado a esse grupo ocorre com uma divisão dos fragmentos que obedece a uma progressão geométrica uniforme.


Palavras-chave


Padrões da fragmentação do habitat; fractais; sensoriamento remoto; sistema de informações geográficas.

Texto completo:

PDF

Referências


ESPÍNDOLA, C.R.; CARVALHO, W.A. Relação entre a natureza dos solos e suas posições na paisagem na Bacia do Capivara (Botucatu – SP). Científica, v.14, n.1/2, p.29-37, 1986.

HASTINGS, H.M.; PEKELNEY, R.; MONTICCIOLO, R. et al. Time scales, persistence and patchiness. Biosystems, v.15, p.281-289, 1982.

JORGE, L.A.B. Estudo de fragmentos de florestas naturais na região de Botucatu-SP através de técnicas de geoprocessamento. Rio Claro: UNESP, 1995. 109p. Tese (Doutorado em Geociências) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro, Universidade Estadual Paulista, 1995.

JORGE, L.A.B. Análise temporal da fragmentação da vegetação natural na Cuesta de Botucatu-SP utilizando sensoriamento remoto, sistema de informações geográficas e fractais. Botucatu: Departamento de Ciências Florestais, Faculdade de Ciências Agronômicas – UNESP, 1998. 48p. (Relatório de Pesquisa).

JORGE, L.A.B.; GARCIA, G.J. A study of habitat fragmentation in Southeastern Brazil using remote sensing and geographic information systems (GIS). For. Ecol. Manage., v.98, p.35-47, 1997.

MANDELBROT, B.B. Fractal form, chance and dimension. New York : Freeman, 1977. 365p.

MANDELBROT, B.B. The fractal geometry of nature. New York : Freeman, 1983. 468p.

MELTZER, M.I.; HASTINGS, H.M. The use of fractals to assess the ecological impact of increased cattle population : case study from Runde Communal Land, Zimbabwe. Journal of Applied Ecology, v.29, p.635-646, 1992.

QUATTROCHI, D.A.; LAM, N. S-N. Perspectives on integrating multiscale, multitemporal remote sensing data with geographic information systems. In : THE INTEGRATION OF REMOTE SENSING AND GEOGRAPHIC INFORMATION SYSTEMS, 1991, Baltimore. Proceedings... Bethesda : American Society for Photogrammetry and Remote Sensing, 1991. p.151-165.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098401

Licença Creative Commons