MANEJO INTENSIVO PARA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE TORAS GROSSAS EM POVOAMENTOS DE PINUS NO SUL DO BRASIL

Hassan Camil David, Sylvio Péllico Netto, Julio Eduardo Arce, Antônio P. F. Woycikievicz, Emanuel J. G. de Araújo, Rodrigo O. V. de Miranda

Resumo


O elevado número de variáveis da produção florestal dificulta o manejador decidir pela melhor tomada de decisão. Foi simulado o crescimento e produção de Pinus taedaL. em sítios altamente produtivos, com objetivo de indicar regimes de desbaste e densidades de plantio que maximizam a produção de toras grossas (diâmetro da ponta fina >35 cm), bem como avaliá-los economicamente. O software OpTimber-LP para otimização de problemas florestais foi usado. As simulações envolveram quatro densidades de plantio (1.111; 1.600; 2.000; e 2.500 plantas/ha); três desbastes com diferentes pesos, frequências e idades de aplicação; e corte raso aos 25 anos. Essas combinações totalizaram em 2.916 regimes de manejo. VPLA foi calculado com variação de taxas de interesse e considerando custos de produção e retornos provenientes de desbastes e do corte raso. Os resultados indicaram maior produção de toras grossas em regimes com menores densidades de plantio. A intensidade de desbaste de 60% destacou-se por ter sido ideal para quase todos os desbastes, principalmente nas densidades de 2.000 e 2.500 plantas/ha. Essa intensidade também foi ideal para o primeiro desbaste, independente da densidade de plantas. A produção nos melhores regimes variou de 480 e 260 m³/ha, para as densidades de 1.111 e 2.500 plantas/ha, respectivamente. VPLA variou de ~1.300 a ~2.100 R$/ha. Como conclusão, regimes de manejo menos densos propiciaram maior produção de toras grossas, porém menor em volume total; como consequência, o VPLA foi maior para os regimes mais densos, uma vez que a receita obtida pela produção de toras de alto valor não compensou a receita de toras mais finas (que também são mais baratas). Regimes com alta densidade podem fracassar com um único primeiro desbaste errado, enquanto que regimes com menor densidade podem ter produção realmente prejudicada quando são sujeitos a consecutivos desbastes errados.

Palavras-chave


simulador de crescimento e produção; pesquisa operacional; regimes de desbaste; densidade de plantio.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ACERBI JR., F. W. et al. Modelo para prognose econômica e da produção e análise econômica de regimes de manejo para Pinus taeda L. Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 6, p. 699-713, 2002.

ACUÑA, E.; DRAKE, F. Análisis de riesgo en la gestión forestal e inversiones silviculturales: una revisión bibliográfica. Bosque, Valdivia, v. 24, n. 1, p. 113–124, 2003.

BORDEAUX, J. M.; LORENZ, W. W.; DEAN, J. F. D. Biomarker genes highlight intraspecific and interspecific variations in the responses of Pinus taeda L. and Pinus radiata D. Don to Sirex noctilio F. acid gland secretions. Tree physiology, [s.l], v. 32, p. 1302-1312, 2012.

CORTE, A. P. D.; SANQUETTA, C. R. Quantificação do estoque de carbono fixado em reflorestamentos de pinus na área de domínio da Floresta Ombrófila Mista no Paraná. Cerne, Viçosa, v. 13, n. 1, p. 32-39, 2007.

DAVID, H. C. et al. Updating of dominant height growth modeling and site index of Pinus taeda L. in southern Brazil. AJBAS, [s.l], v. 9, n. 2, p. 115-125, 2015.

DAVID, H. C. et al. Efeito da qualidade do sítio e do desbaste na produção de pinus. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 24, p. e00096414, 2017a.

DAVID, H. C. et al. Economic analysis and revenue optimization in management regimes of Pinus taeda. Revista Ceres, Viçosa, v. 64, n. 3, p. 222-231, 2017b.

ELESBÃO, L. E. G.; SCHNEIDER P. R. Produção do Pinus taeda L. em povoamento desbastado na região dos Campos de Cima da Serra, Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 1, p. 119-124, 2011.

GOMES, F. S.; MAESTRI, R.; SANQUETTA, C. R. Avaliação da produção em volume total e sortimento em povoamentos de Pinus taeda L. submetidos a diferentes condições de espaçamento inicial e sítio. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 101-126, 1997.

HILDEBRANDT, P.; KNOKE, T. Investment decisions under uncertainty - A methodological review on forest science studies. Forest Policy and Economics, [s.l], v. 13, p. 1-15, 2011.

LEITE, H. G.; NOGUEIRA G. S.; MOREIRA, A. M. Efeito do espaçamento e da idade sobre variáveis de povoamentos de Pinus taeda L. Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 4, p. 603-612, 2006.

LIEBSCH, D. et al. Descascamento de Pinus taeda por macacos-prego (Sapajus nigritus): tipos e intensidades de danos e seus impactos sobre o crescimento das árvores. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 105, p. 37-49, 2015.

LIMA JUNIOR, V. B.; REZENDE, J. L. P.; OLIVEIRA, A. D. de. Determinação da taxa de desconto a ser usada na análise econômica de projetos florestais. Revista Cerne, Lavras, v. 3, n. 1, p. 45-66, 1997.

OLVEIRA, E. B. de. Softwares para manejo e análise econômica de plantações florestais. Colombo: Embrapa Florestas, 2011. (Documentos Embrapa Florestas, 216). ISSN 1980-3958.

PALAHÍ, M.; PUKKALA, T. Optimising the management of Scots pine (Pinus sylvestris L.) stands in Spain based on individual-tree models. Annals of Forest Science, [s.l], v. 60, n. 2, p. 105-114, 2003.

PAULESKI, D. T. Influência do Espaçamento sobre o crescimento e a qualidade da madeira de Pinus taeda L. 2010. 196f. Tese (Doutorado em Manejo Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. 2010.

PUKKALA, T.; MIINA, J. Tree-selection algorithms for optimizing thinning using a distance-dependent growth model. Canadian Journal of Forest Research, [s.l], v. 43, n. 8, p. 719-730, 2013.

SANQUETTA, C. R. et al. Produção de madeira para laminação em povoamentos de Pinus taeda submetidos a diferentes densidades e regimes de desbaste: uma abordagem experimental. Revista Floresta, Viçosa, v. 28, n. 12, p. 83-99, 1998.

SCHNEIDER, P. S. P. et al. Diagrama de manejo da densidade para povoamentos de Pinus taeda L. conduzido sem desbaste. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 4, p. 433-477, 2009.

SILVA, M. L. da; JACOVINE, L. A. G.; VALVERDE, S. R. Economia Florestal. Viçosa: UFV, 2005.

SOALLEIRO, R. R.; GONZALEZ, J. G. A; SCHRÖDER, J. Simulation and comparison of silvicultural alternatives for even-aged Pinus pinaster Ait stands in Galicia (Northwestern Spain). Annals of Forest Science, [s.l], v. 57, n. 8, p. 747-754, 2000.

VITALE, V.; MIRANDA, G. M. Análise comparativa da viabilidade econômica de plantios de Pinus taeda e Eucalyptus dunnii na região centro-sul do Paraná. Revista Floresta, Curitiba, v. 40, n. 3, p. 469-476, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509833352

Licença Creative Commons