VARIÁVEIS-CHAVE PARA DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA EM MICROBACIAS COM PLANTIOS DE EUCALIPTO

Benvindo Sirtoli Gardiman Junior, Giovanni de Oliveira Garcia, Roberto Avelino Cecílio, Rodolfo Araújo Loos, Reginaldo Gonçalves Mafia, Jupiter Israel Muro Abad, João Batista Pavesi Simão, Vitor Hugo Breda Barbosa

Resumo


O presente trabalho objetivou identificar as principais variáveis afetadas por fatores naturais e, ou, antrópicos, que influenciam a qualidade da água superficial em microbacias hidrográficas, manejadas para produção de madeira de eucalipto. A qualidade da água foi monitorada em quatro microbacias localizadas no município de Aracruz, norte do ES, Brasil. Para tanto, analisaram-se as características físicas e químicas, bem como a potencial presença na água de agrotóxicos utilizados no manejo florestal. As coletas foram realizadas após as atividades silviculturais e/ou ocorrência de chuvas entre os meses de janeiro e junho de 2012. Foram utilizadas técnicas de componentes principais e análise fatorial para determinar as variáveis mais sensíveis e correlacionadas com as atividades silviculturais e com as condições edafoclimáticas das microbacias. De forma geral, 4 componentes explicaram 73,1% da variância total. Os componentes foram correlacionados com as variáveis analisadas e definidos como fatores: mineral, sólido, acidez e pedológico. Estes fatores explicaram 31,6; 18,5; 15,6; e 7,4% da variância total dos dados e estão diretamente relacionados com a salinidade, a presença de sólidos suspensos, a acidez e o teor de carbono inorgânico do solo, respectivamente. Não foi observada presença dos agrotóxicos sulfluramida (inseticida) e glifosato (herbicida) em todas as avaliações realizadas. Em geral, é possível reduzir de 30 para 12 as variáveis que devem ser monitoradas para predição da qualidade da água, mantendo pelo menos 70% da precisão das estimativas.


Palavras-chave


manejo florestal; hidrologia florestal; índice de qualidade da água; estatística multivariada.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9898: preservação e técnicas de amostragem de efluentes líquidos e corpos receptores. Rio de Janeiro, 1987. 22 p.

ALMEIDA, M. A. B.; SCHWARZBOLD, A. Avaliação sazonal da qualidade das águas do Arroio da Cria Montenegro, RS com aplicação de um Índice de Qualidade de Água (IQA). Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 81-97, jan./mar. 2003.

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Stuttgard, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.

ALVES, J. M. P.; CASTRO, P. T. A. Influência de feições geológicas na morfologia da bacia do rio do tanque (MG) baseada no estudo de parâmetros morfométricos e análise de padrões de lineamentos. Revista Brasileira de Geociências, Curitiba, v. 33, n. 2, p. 117-124, jun. 2003.

AMARANTE JUNIOR, O. P. et al. Glifosato: propriedades, toxicidade, usos e legislação. Química Nova, São Paulo, v. 25, n. 4, p. 589-593, 2002.

ANDRADE, E. M. de. et al. Fatores determinantes da qualidade das águas superficiais na bacia do Alto Acaraú, Ceará, Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v. 37, n. 6, nov./dez., 2007a.

ANDRADE, E. M. et al. Seleção dos indicadores da qualidade das águas superficiais pelo emprego da análise multivariada. Revista Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 27, n. 3, p. 683-690, set./dez. 2007b.

ANDRADE, E. M. et al. Índice de qualidade de água, uma proposta para o vale do rio Trussu, Ceará. Revista de Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 36, n. 2, p. 135-142, maio/ago. 2005.

ANDRADE, N. L. R. et al. Macro-nutrientes no lençol freático em Floresta Intacta, Floresta de Manejo e Pastagem no norte de Mato Grosso. Acta Amazonica, Manaus, v. 38, n. 4, p. 667-672, 2008.

AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 21 st ed. [s.l]: APHA, 2005.

ARAÚJO, A. S. F. et al. Effect of glyphosate on the microbial activity of two Brazilian soils. Chemosphere, Los Angeles, v. 52, p. 799-804, 2003.

BARROS, Y. J. et al. Influência de diferentes usos e ocupações do solo na qualidade da água dos igarapés Piarara e Tamarupá, em Cacoal – RO. Revista de Ciências Agrárias, Manaus, v. 1, n. 53, p. 102-107, jan./jun. 2010.

BRAGA, B. et al. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. 318 p.

BRITO, L. T. L. et al. Uso de análise multivariada na classificação das fontes hídricas subterrâneas da bacia hidrográfica do Salitre. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 26, n. 1, p. 36-44, 2006.

BUENO, L. F. et al. Monitoramento de variáveis de qualidade da água do Horto Ouro Verde, Conchal, SP. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 25, n. 3, p. 742-748, set./dez. 2005.

CÂMARA, C. D.; LIMA, W. L. Corte raso de uma plantação de Eucalyptus saligna de 50 anos: impactos sobre o balanço hídrico e a qualidade da água em uma microbacia experimental. Scientia Foretalis, Piracicaba, n. 56, p. 41-58, dez. 1999.

CAMPELLO, F. D. et al. Avaliação preliminar da qualidade das águas da Floresta Nacional de São Francisco de Paula, RS, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 9-46, jan./dez. 2005.

CARVALHO, A. P.; SCHLITTLER, F. H. M.; TORNISIELO, V. L. Relação da atividade agropecuária com parâmetros físico-químicos da água. Química Nova, São Paulo, v. 23, n. 5, 2000.

CASARIN, F. E. et al. Avaliação em Laboratório dos Ingredientes Ativos Sulfluramida e Hidrametilnona para o Controle do Cupim Subterrâneo Coptotermes gestroi (Wasmann) (Isoptera: Rhinote rmitidae). Revista Brasileira de Zoociências, Juiz de fora, v. 11, n. 3, p. 219-226, 2009.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Significado ambiental e sanitário das variáveis de qualidade das águas e dos sedimentos e metodologias analíticas de amostragem. São Paulo: Secretaria de Meio Ambiente, Governo do Estado de São Paulo, 2008. (Apêndice A, Série de relatórios).

CROKE, J. et al. Managing sediment sources and movement in forests: the forest industry and water quality. [s. l.]: Cooperative Research Centre for Catchment Hydrology, 1999. (Séries: Report).

EMBRAPA. Centro de Pesquisa de solos. Levantamento generalizado e semidetalhado de solos da Aracruz Celulose S. A. no Estado do Espírito Santo e no Extremo sul do Estado da Bahia e suas aplicações aos plantios de eucalipto. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2000. 93 p.

ENSIGN, S. H.; MALLIN, M. A. Stream water quality changes following timber harvest in a coastal plain swamp forest. Water Research, Los Angeles, v. 35, n. 14, p. 3381-3390, 2001.

GALLI, A. J. B.; MONTEZUMA, M. C. Glifosato: alguns aspectos da utilização do herbicida na agricultura. São Paulo: ACADCOM, 2005. 67 p.

GIRÃO, E. G. et al. Seleção dos indicadores da qualidade de água no Rio Jaibaras pelo emprego da análise da componente principal. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 38, n. 1, p. 17-24, 2007.

GRACE, J. M. Forest operations and water quality in the south. American Society of Agricultural Engineers, Josep, v. 48, n. 2, p. 871-880, 2005.

GRAYSON, R. B. et al. Water quality in mountain ash forests – separating the impacts of roads from those of logging operations. Journal of Hydrology, Amsterdam, v. 150, p. 459-480, 1993.

GUIMARÃES, R. Z. et al. A silvicultura e os recursos hídricos superficiais. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 56, p. 79-85, jan./jun. 2008.

GUIMARÃES, R. Z. et al. Avaliação dos impactos da atividade de silvicultura sobre a qualidade dos recursos hídricos superficiais. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 87, p. 377-390, set. 2010.

HAIR JUNIOR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009. 688 p.

LIMA, W. P. Hidrologia florestal aplicada ao manejo de bacias hidrográficas. São Paulo: USP, 2008. 244 p.

LIMA, W. P.; ZAKIA, M. J. B. As florestas plantadas e a água: implementando o conceito da microbacia hidrográfica como unidade de planejamento. São Carlos: Rima, 2006. 226 p.

LOPES, F. B. et al. Proposta de um índice de sustentabilidade do Perímetro Irrigado Baixo Acaraú, Ceará, Brasil. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 40, n. 2, p. 185-193, abr./jun, 2009.

MCKERGOW, L. A. et al. Before and after riparian management: sediment and nutrient exports from a small agricultural catchment, Western Australia. Journal of Hydrology, Amsterdam, v. 27, p. 253–272, 2003.

MENEZES, M. D. et al. Dinâmica hidrológica de duas nascentes, associada ao uso do solo, características pedológicas e atributos físicos-hídricos na sub-bacia hidrográfica do Ribeirão Lavrinha-Serra da Mantiqueira (MG). Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 37, n. 82, p. 175-184, 2009.

MOURA, L. H. A. et al. A qualidade de água como indicador de uso e ocupação do solo: bacia do Gama – Distrito Federal. Química Nova, São Paulo, n. 33, n. 1, p. 97-103, 2010.

RANZINI, M.; LIMA, W. P. Comportamento hidrológico, balanço de nutrientes e perdas de solo em duas microbacias reflorestadas com Eucalyptus, no Vale do Paraíba, SP. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 61, p. 144-159, jun. 2002.

SCHELKER, J. et al. Effects of forestry operations on dissolved organic carbon concentrations and export in boreal first-order streams. Journal of Geophysical Research, New Zealand, v. 117, 2012.

SILVA, L.; WILLIAMS, D. D. Buffer zone versus whole catchment approaches to studying land use impact on river water quality. Water Research, Los Angeles, v. 35, n. 14, p. 3462–3472, 2001.

VON SPERLING, M. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias: introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2005. v. 1. 452 p.

ZANETTI, R. et al. Combate sistemático de formigas-cortadeiras com iscas granuladas, em eucaliptais com cultivo mínimo. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 27, n. 3, p. 387-393, 2003.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509831590

Licença Creative Commons