CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM LATOSSOLO VERMELHO EM RECUPERAÇÃO SOB PLANTIO DE Pinus spp.

Alexandre Marques Da Silva, Daniela Sílvia de Oliveira Canuto, Marlene Cristina Alves, Salatiér Buzetti, Mario Luiz Teixeira de Moraes, Arnaldo Yoso Sakamoto

Resumo


Para a recuperação de um solo é preciso selecionar e identificar espécies aptas às novas condições edáficas e que, de forma rápida, acelerem a estruturação e formação dos horizontes mais superficiais do solo. O experimento teve como objetivos avaliar o desenvolvimento de algumas espécies e variedades de Pinus, visando à detecção daquelas que apresentam maior potencialidade de adaptação e recuperação do solo degradado na região de cerrado e, para isto, foram avaliadas as condições químicas do solo em que se encontram as mesmas. Aos 20 anos, após o plantio, analisaram-se as características silviculturais e as propriedades químicas do solo. Foram coletadas em cada parcela amostras deformadas nas camadas de 0,0-0,10; 0,10-0,20; 0,20-0,40 e 0,40-0,60 m. A utilização de espécies de Pinus na recuperação de áreas degradadas mostrou-se promissora melhorando as condições químicas do solo na camada de 0,00 – 0,10 m, destacando-se o Pinus caribaea var. hondurensis por apresentar bom crescimento aliado a sua sobrevivência, o que garante a cobertura do solo devido à deposição de matéria orgânica aumentando a soma de bases e a capacidade de troca catiônica. As espécies de Pinus estão proporcionando condições para o aumento da diversidade de espécies espontâneas.

Palavras-chave


solos degradados; qualidade do solo; área de empréstimo

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. C. Recuperação do subsolo de um Latossolo Vermelho usado para terrapleno e fundação da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira - SP. 2001. 83 f. Tese (Concurso de Livre-docência em Solos) - Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, 2001.

ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP II. Na update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants. Botanical Journal of the Linnean Society, Oxford, v. 141, n. 4, p. 399-436, 2003.

BARRET, W.; GOLFARI, L. H. G. Descripción de dos nuevas variedades del “Pino del Caribe” (Pinus caribaea Morelet.). Caribbean Forester, Porto Rico, v. 23, n. 2, p. 59-71, 1962.

CAMPELLO, E. F. C. Sucessão vegetal na recuperação de áreas degradadas. In: DIAS, L. E.; MELLO, J. W. V. de (Ed.). Recuperação de áreas degradadas. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, Departamento de Solos, 1998. p. 183-196.

CAVENAGE, A. Alterações das propriedades físicas e químicas de um Latossolo Vermelho Escuro sob diferentes usos e manejos. 1996. 75 f. (Trabalho de Graduação) - Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, 1996.

CENTURION, J. F. Balanço hídrico na região de Ilha Solteira. Científica, Jaboticabal, v. 10, n. 1, p. 57-61, 1982.

DEMATTÊ, J. L. I. Levantamento detalhado dos solos do campus experimental de Ilha Solteira. Piracicaba: ESALQ/USP, 1980. 131 p.

DIAS, L. E. Caracterização de substratos para fins de recuperação de áreas degradadas. In: DIAS, L. E.; MELLO, J. W. V. (Ed.). Recuperação de áreas degradadas. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, Departamento de Solos, 1998. p. 183-196.

GUERRA, C. R. S. B. et al. Levantamento de espécies florestais em área de sistema silvipastoril. Ciências Agrárias e Saúde, Andradina, v. 8, p. 40-45, 2008.

GURGEL FILHO, O. A. Silvicultura e economia de Pinus no Estado de São Paulo. Silvicultura em São Paulo, São Paulo, v. 4-5, n. 4, p. 209-234, 1965-1966.

HAAG, H. P. (Coord.). Nutrição mineral de Eucalyptus, Pinus, Araucaria e Gmelina no Brasil. Campinas: Fundação Cargill, 1983. 101 p.

INATOMI, T. A. H.; UDAETA, M. E. M. Análise dos impactos ambientais na produção de energia dentro do planejamento integrado de recursos. Seção de estudos estratégicos de energia e de desenvolvimento sustentável do GEPEA/EPUSP. 2011. Disponível em:

KAGEYAMA, P. Y.; PATIÑO-VALERA, F. Conservación y manejo de recursos genéticos forestales: factores que influyen en la estructura y diversidad de los ecosistemas forestales. Documento Especial. In: CONGRESSO FORESTAL MUNDIAL, 9., 1985, México. Anais... 1985.

KAGEYAMA, P. Y.; PIRES, I. E.; HERRERA PRERA, L. E. Phenotypic and genotypic variations for foxtail growth in Pinus caribaea var. hondurensis. In: PROCEEDINGS OF A JOINT CONFERENCE OF IUFRO, 1984, Mutare, Zimbabwe. Anais...

p. 526-534.

LOPES, A. S. “Solos sob cerrados”: características, propriedades e manejo. Piracicaba: Instituto da Potassa & Fosfato, 1984. 162 p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa, SP: Plantarum, 2002. v. 2.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 5. ed. Nova Odessa, SP: Plantarum, 2008. v. 1.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 1. ed. Nova Odessa, SP: Plantarum, 2009. v. 3.

MECHI, A.; SANCHES, D. L. Impactos ambientais da mineração no Estado de São Paulo. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, p. 209-220, 2010.

MISSIO, R. F. et al. Seleção simultânea de caracteres em progênies de Pinus caribaea Morelet var. bahamensis. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 66, p. 161-168, 2004.

MODNA, D.; DURIGAN, G.; VITAL, M. V. C. Pinus elliottii Engelm como facilitadora da regeneração natural da mata ciliar em região de Cerrado, Assis, SP, Brasil. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 85, p. 73-83, 2010.

MORAES, M. L. T. et al. Efeito do desbaste seletivo nas estimativas de parâmetros genéticos em progênies de Pinus caribaea Morelet var. hondurensis. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 74, p. 55-65, 2007. MÜLLER, A. C. Hidrelétricas, meio ambiente e desenvolvimento. São Paulo: Makron Books, 1995. 412 p.

NOFFS, P. S. Informações geomorfológicas para reflorestamento de essências nativas. In: CONGRESSO NACIONAL SOBRE ESSÊNCIAS NATIVAS, 1982, Campos do Jordão, SP. Anais... 1982. p. 976-980.

POGGIANI, F. Deposição mensal de acículas e nutrientes em plantações homogêneas de Pinus oocarpa e Pinus caribaea var. hondurensis. Boletim Informativo PPT, Piracicaba, v. 7, p. 12-19, 1979.

RAIJ, B. V. et al. (Eds.). Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. Campinas: Instituto Agronômico, 2001. 285 p.

RAIJ, B. V. et al. Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. 2. ed. Campinas: Instituto Agronômico & Fundação IAC, 1996. 285 p. (Boletim técnico, 100).

REISSMANN, C. B. Naehrelementversorgung und Wuchsleistung von Kiefernbestaenden in Sued-Brasilien. 1981. 169 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Forstwissenschaftlichen Fakultät der Albert-Ludwigs-Universitat Freiburg, Freiburg, 1981.

REISSMANN, C. B.; WISNEWSKI, C. Aspectos nutricionais de plantios de Pinus. In: GONÇALVES,

J. L. M.; BENEDETTI, V. Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: IPEF, 2000. p. 135-165.

SANTOS, H. G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2013. 353 p.

SAS INSTITUTE. SAS/STAT User’s Guide: version 6. 4. ed. Cary: SAS institute, 1990. v. 2.

SILVA, A. M. et al. Recuperação de áreas degradadas com a utilização de diferentes espécies de Pinus ssp e manejo do solo, em Selvíria – MS. In: SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, Água e Biodiversidade, 5., 2002, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de Recuperação de Áreas Degradadas, 2002a. p. 451-453.

SILVA, A. M. et al. Recuperação de áreas degradadas com a utilização de diferentes espécies e variedades de Pinus. Cultura Agronômica, Ilha Solteira, v. 11, n. 1, p. 1-11, 2002b.

SILVA, A. M. et al. Aspectos quantitativo e qualitativo da regeneração natural sob reflorestamento ciliar em dois modelos de plantio. Cultura Agronômica, Ilha Solteira, v. 20, n. 1, p. 51-70, 2011a.

SILVA, A. M. et al. Avaliação das propriedades químicas em solo de cerrado sob reflorestamento ciliar. Floresta, Curitiba, v. 42, n. 1, p. 49-58, 2012.

SILVA, A. M.; MORAES, M. L. T.; BUZETTI, S. Propriedades químicas de solo sob reflorestamento ciliar após 20 anos de plantio em área de cerrado. Revista Árvore, Viçosa-MG, v. 35, n. 1, p. 97-106, 2011.

SILVA, J. M. et al. Variação genética e ganho esperado na seleção de progênies de Pinus caribaea var. caribaea em Selvíria, MS. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 39, n. 90, p. 241-251, 2011b.

SILVA, J. M. et al. Regeneração do cerrado em sub-bosque de Eucalyptus camaldulensis Dehnh na região de Selvíria-MS. Cultura Agronômica, Ilha Solteira, v. 20, n. 2, p. 67-80, 2011c.

SILVA JUNIOR, M. C. et al. 100 árvores do cerrado: guia de campo. Brasília: Rede de Sementes do Cerrado, 2005. 278 p.

VEIGA, A. A. et al. Macronutrientes e alumínio em povoamentos de Pinus elliottii var. elliottii. Boletim técnico Instituto Florestal, São Paulo, n. 27, p. 1-13, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509824994

Licença Creative Commons