Análise da vulnerabilidade ao processo erosivo: estudo de caso no Município de Itaporanga D’Ajuda (SE)

Fábio Tavares Lisboa, Glauber Vinicius Pinto de Barros, Paulo Sérgio de Rezende Nascimento

Abstract


Os processos erosivos são fenômenos naturais que ocorrem na superfície terrestre e o avanço dessa geodinâmica origina a perda e a degradação do solo. Esses efeitos indesejáveis são intensificados pela ocupação desordenada do território, principalmente em substratos geológicos naturalmente susceptíveis à erosão. Os sedimentos inconsolidados ou pouco consolidados do Grupo Barreiras são instáveis à erosão durante os períodos de chuva onde o fluxo de água nos canais de drenagem é intenso. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi analisar a vulnerabilidade aos processos erosivos decorrentes das intervenções antrópicas nas encostas do Grupo Barreiras no Município de Itaporanga D’Ajuda do Estado de Sergipe. Os principais procedimentos utilizados foram as técnicas de pinos de erosão e infiltômetros aliados aos trabalhos de campo. Constatou-se que a região é de grande susceptibilidade à erosão decorrente do escoamento superficial difuso e concentrado das águas das chuvas, ocasionando a remoção parcial dos horizontes superficiais do espodossolo arênico e o surgimento de ravinas erosivas de médio a grande porte. Essas feições se estendem por uma extensa área urbana de Itaporanga D’Ajuda próxima a BR-101, onde a remoção da cobertura vegetal e o corte das encostas para instalação de arruamentos urbanos geraram taludes vulneráveis à erosão

Keywords


Pino de erosão. Infiltômetro. Talude instável.

References


ALMEIDA RPC. Noções básicas para controle e prevenção de erosão em área urbana e rural. 1st ed. São Paulo: IPT; 2004.

ANA – Agência Nacional das Águas. Sistema de informações hidrológicas. [cited 2018 Dez 18]. Available from: http://www.snirh.gov.br/hidroweb/. Acesso em: 06 dez. 2018.

ANDRADE LB, ROCHA GC. Uso de pinos de erosão para monitoramento em área de alto risco geológico em Juiz de Fora, MG. Revista Geonorte. 2014;10(1):700-705.

AUGUSTO FILHO O, VIRGILI JC. Estabilidade de talude. In: Oliveira AMS, Brito SNA, editors. Geologia de Engenharia. São Paulo: ABGE; 1998. p. 243-269.

BENNETT HH. Soil conservation. 1 st ed. New York: McGraw-Hill; 1939.

BOMFIM LFC, COSTA IVG, BRNVENUTI SMP, editors. Diagnóstico do município de Itaporanda D’Ajuda. Aracaju: CPRM; 2002.

CERRI LES, AMARAL CP. Riscos geológicos. In: Oliveira AMS, Brito SNA, editors. Geologia de Engenharia. São Paulo: ABGE; 1998. p. 301-310.

CPRM - Serviço Geológico do Brasil. Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil. Geologia e recursos minerais do Estado de Sergipe. Escala 1:250.000. Texto explicativo do mapa geológico do Estado de Sergipe. Brasília: CPRM/DIEDIG/DEPAT/CODISE, 2001. 156 p.

GUERRA AJT. Processos erosivos nas encostas. In: Guerra AJT, Cunha SB, editors. Geomorfologia: exercícios, técnicas e aplicações. Rio de Janeiro: Ed. Bertrand Brasil; 2005. p. 139-155.

GUERRA BR, NOGUEIRA JUNIOR LR, MELO FP, NASCIMENTO PSR, SOUZA RM. Mapeamento da vegetação e uso do solo por imagem do satélite OLI/Landsat-8 DA RPPN DO CAJU, ITAPORANGA D’AJUDA-SE. In: Anais do 6o Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto [CD-ROM]; 2017 Nov18-21, Salvador, Brasil.

GUINDICINI G, NIEBLE CM. Estabilidade de taludes naturais e de escavação. 1st ed. São Paulo: Ed. Edgard Blücher; 1976.

INFANTI JÚNIOR N, FORNASARI FN. Processos de Dinâmica Superficial. In: Oliveira AMS, Brito SNA, editors. Geologia de Engenharia. São Paulo: ABGE; 1998. p. 131-152.

INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Banco de dados geomorfométricos do Brasil. [cited 2017 Dez 17]. Available from: http://www.dsr.inpe.br/topodata/.

ISDR – International Strategy for Disaster Reduction. Living with risk: A global review of disaster reduction initiatives. Geneva: World Meteorological Organization and the Asian Disaster Reduction Center, 2004. [cited 2018 Dez 18]. Available from: http://www.unisdr.org/eng/about_isdr/bd-lwr-2004-eng.htm.

POLIVANOV H, BARROSO EV. Geotecnia Urbana. In: Guerra AJT, Cunha SB, editors. Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: Ed. Bertrand Brasil; 2011. p. 178-184.

ROSS JLS. Geografia do Brasil. 1st ed. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2005.

SALOMÃO FXT, IWASA OY. Erosão e a ocupação rural e urbana. In: Bitar OY, editor. Curso de geologia aplicada ao meio ambiente. São Paulo: ABGE/IPT; 1995. p. 31-57.

SANTOS, H.G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5 st ed. Brasília: Embrapa; 2018.

SCHALLER, H. Região estratigráfica da bacia de Sergipe-Alagoas. Boletim Técnico da Petrobrás, v. 12, p. 21-86, 1969.

SEMARH – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Atlas digital sobre recursos hídricos de Sergipe, 2013. [cited 2018 Dez 18]. Available from: http://www.semarh.se.gov.br/recursoshidricos/?page_id=486.

TELLES TS, GUIMARÃES MF, DECHEN, SCF. The costs of soil erosion. Rev. Bras. Ciênc. Solo. 2011;35(2):287-298.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X38783

Copyright (c) 2020 Ciência e Natura

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

 

DEAR AUTHORS,

PLEASE, CHECK CAREFULLY BEFORE YOUR SUBMISSION:

1. IF ALL AUTHORS "METADATA" (ORCID, LINK TO LATTES, SHORT BIOGRAPHY, AFFILIATION) WERE ADDED,

2. THE CORRECT IDIOM YOUR SECTION,

3 IF THE HIGHLIGHTS WERE ADDED,

4. IF THE GRAPHIC ABSTRACTS WAS ADDED,

5. IF THE REVIEWERS INDICATION WAS DONE,

6. IF THE REFERENCES FORMAT ARE CORRECT(ABNT)

7. IF THE RESOLUTION YOUR FIGURES (600 DPI) ARE SUITABLE

8.  IF THE STATEMENT BY THE ETHICS COMMITTEE (IF IT INVOLVES HUMANS) WAS ADDED;

9. IF THE DECLARATION OF ORIGINALITY WAS ADDED.

10. IF THE TEXT IS ORIGINAL. IF THE IDEA HAS ALREADY BEEN REGISTERED IN SUMMARY FORM, OR PUBLISHED IN CONGRESS ANNUALS, PLEASE INFORM THE EDITOR.