Reservoir implantation for flood dampening in the Macaé River basin using the Mohid Land model

Jader Lugon Junior, Luiza Paula da Silva Tavares, Francine de Almeida Kalas, Pedro Paulo Gomes Watts Rodrigues, Julio Cesar Alvim Wasserman

Abstract


The use of computational models of varied complexity helps to understand the hydrological dynamics studying different scenarios of urban flood. In this perspective, a hydrological model of the Macaé river basin (RH-VIII) was built using the MOHID Land platform to simulate the implementation of a hypothetical attenuation reservoir for flood mitigation in the Macaé urban region. The results indicate that the maximum flows obtained with the simulation from project rainfalls were compatible with values observed in the literature, in the region of interest. The analysis of the flood hydrograms (m3/s) indicates a high efficiency in flood mitigation near the reservoir region, higher than 50%, while at the lower part of the basin, more urbanized region, the attenuation was of the order of 10%.


Keywords


Hydrographic basin; Mohid Land; Flood events; Macaé

Full Text:

PDF HTML

References


ASSUMPÇÃO AP, MARÇAL MS. Retificação dos canais fluviais e mudanças geomorfológicas na planície do Rio Macaé. Revista de Geografia. 2012;29(3):19-36 p. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/228972/23381

BARBOZA AP. Estudo Hidrológico de Vazões Máximas da Bacia Hidrográfica do Rio Macaé [monography]. Rio de Janeiro: Engenharia Ambiental/UFRJ; 2014.

BAPTISTA M, COELHO MMLP. Escoamento uniforme. In: UFMG ed. Fundamentos de Engenharia Hidráulica. Belo Horizonte: UFMG, 2014. p. 225-248.

BEMFICA DC., GOLDENFUM JA., SILVEIRA AL. Análise da aplicabilidade de padrões de chuva de projeto a Porto Alegre. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. 2000;5(4):5-16 p. DOI: https://doi.org/10.21168/rbrh.v5n4.p5-16.

CANHOLI AP. Drenagem urbana e controle de enchentes. 2st ed. São Paulo: Oficina de Textos. 2005.

CHOW VT. Open channel hydraulics. McGraw-Hill. 1982

FGV – FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS. Estudo de cheias no baixo curso do rio Macaé, em especial sobre o núcleo urbano [report]. Rio de Janeiro, 2004.

FREITAS LE. Atlas Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Macaé. 1st ed. Rio de Janeiro: Editora Nova Tríade do Brasil Ltda., 2015.

HORA HMC, TAVARES JHS, SOUZA GL, LUGON JR. J, FERREIRA, M.I.P. Modelagem computacional como ferramenta de gerenciamento dos recursos hídricos: uma alternativa para abordagem de problemas de usos múltiplos. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego.2011;5(1):71-87 p. DOI: https://doi.org/10.19180/2177-4560.20110004.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Diretoria de Geociências. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. In: Manuais Técnicos em Geociências (1). Rio de Janeiro, 2012.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Diretoria de Geociências. Manual Técnico de Uso da Terra. In: Manuais Técnicos em Geociências(7). Rio de Janeiro, 2013.

LYRA GB, CECILIO RA, ZANETTI SS, LYRA GB. Coeficiente de rugosidade de Manning para o rio Paracatu. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 2010;14(4):343–350 p.

LUGON JR. J, TAVARES LPS. COSTA JB, KALAS FA.

Modelagem hidrológica da bacia hidrográfica do Rio Macaé utilizando o MOHID Land. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, 2017;11(1):169-181 p. DOI: https://doi.org/10.19180/2177-4560.v11n12017p169-181.

MARÇAL M. Análise das mudanças morfológicas em seções transversais ao Rio Macaé/RJ. Revista Brasileira de Geomorfologia, 2013;14(1):59-68 p. DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v14i1.365.

MIGUEZ MG, VERÓL AP., REZENDE OM. Drenagem Urbana: do projeto tradicional à sustentabilidade. 1st ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2015.

MOHID Modelling Water Resources [Internet]. What is MOHID? [cited 2016 sept 14]. Available from http://www.mohid.com/pages/home/whatismohid.shtml.

MOHID WIKI [Internet]. MOHID Land [cited 2015 nov 01]. Available from https://pt.wikipedia.org/wiki/MOHID_LAND.

PESSANHA CMD. Modelagem computacional aplicada à gestão sanitário-ambiental da lagoa Imboassica-RJ [dissertation]. Macaé: Pós Graduação em Engenharia Ambiental/IFF-Macaé; 2012. 67 p.

PRUSKI FF, TEIXEIRA AF, SILVA DD, CECILIO RA, SILVA JMA. Plúvio 2.1:chuvas intensas para o Brasil. In: PRUSKI FF, SILVA DD, TEIXEIRA AF, CECILIO RA, SILVA JMA, GRIEBELER N. (Org). HIDROS: dimensionamento de sistemas hidroagrícolas. Viçosa:UFV, 2006. 15-25 p.

RIO DE JANEIRO-DER, Departamento de Estradas de Rodagem. Estudo de chuvas do estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: DER, 1989. 61 p.

SARTORI A. Desenvolvimento de critérios para classificação hidrológica de solos e determinação de valores de referência para o parâmetro CN [thesis]. Campinas: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo/UNICAMP. 2010. 237 p.

SARTORI A, NETO FA, GENOVEZ AM. Classificação hidrológica de solos brasileiros para a estimativa da chuva excedente com o método do serviço de conservação do solo dos Estados Unidos Parte 1: Classificação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 2005;10(4):05-18 p. https://www.abrh.org.br/SGCv3/index.php?PUB=1&ID=26&SUMARIO=442.

SEA – SECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Relatório de gestão de recursos hídricos (revisão 3). In: Elaboração do plano estadual de recursos hídricos do estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2013.

SEA – SECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Plano de recursos hídricos da região hidrográfica de Macaé e das Ostras: Relatório de síntese. Rio de Janeiro, 2014. http://cbhmacae.eco.br/site/wp-content/uploads/2015/06/Relatorio_de_Situacao_ANO_II_2013-2014.pdf.

SCS – SOIL CONSERVATION SERVICE. National engineering handbook. EUA: U.S. Department of Agriculture. 1985.

TELLES WR, SILVA NETO AJ, RODRIGUES PPGW. Avaliação do sistema de modelagem MOHID na delimitação de bacias hidrográficas. Anais do Congresso de Modelagem Aplicada e Computacional. 2012.

TELLES WR, RODRIGUES PPGW, SILVA NETO AJ. Calibração automática de um simulador aplicado a um rio de montanha empregando dados experimentais de precipitação e nível. Estudo de Caso: Córrego Dantas, RJ. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 2016;21(1):143-151 p. DOI: http://dx.doi.org/10.21168/rbrh.v21n1.p143-151.

TOMINAGA ENS. Urbanização e cheias: medidas de controle na fonte [dissertation]. São Paulo: Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental/USP, 2013. 137 p

TUCCI CEM. Inundações urbanas. In: TUCCI, E.M., PORTO, R.L.L., BARROS, M.T. (Org.). Drenagem urbana. UFRGS Ed. ABRH, 1995(1):15-36 p.

VALERIANO MM. Modelo digital de variáveis morfométricas com dados SRTM para o território nacional: o projeto TOPODATA. In: Anais do XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto; 2005 Abr 16-21, Goiana. INPE. p. 1-8.

VIOLA MR, MELLO CR, ACERBI JRFW, SILVA AM. Modelagem hidrológica na bacia Aiuruoca, MG. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 2009;13(5):581-590 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179460X31860

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2018 Ciência e Natura

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.