THE STATE OF REVERSE LOGISTICS IN SOME MUNICIPALITIES AND BORDER CAMPAIGN OF THE WEST RIO GRANDE DO SUL/ RS

Caroline Dutra Ochôa, Andressa Rocha Lhamby

Abstract


Reverse logistics makes possible the return of waste from the timber industry to the production cycle. Waste management of the raw material wood is a necessity for most municipalities in the western border of Rio Grande do Sul (RS), may by his absence or inadequacy promote environmental degradation through the natural resource waste. This paper seeks to expand knowledge on the state of reverse logistics of the timber industry products in two municipalities of the western border of Rio Grande do Sul. With respect to methodology, we used a case study, characterized by descriptive and exploratory nature. The data collection techniques were through questionnaires answered by the managers of companies in the cities of Bagé and Sao Gabriel. The main results were analyzed companies have total ignorance of Law No. 12,305 which established the National Policy on Solid Waste and the main use of such wood waste, wood shavings and sawdust are like. The study shows that the greatest difficulty is the lack of responsible and / or owners of companies with respect to the reverse logistics. Reverse logistics is able to make a revaluation of post-consumer waste, increasing business competitiveness and reducing the amount of waste.

Keywords


Reverse logistics. Solid waste. National Policy of Solid Waste. Lumberjack sector.

References


ANDRADE, E. M.; FERREIRA, A.C.; SANTOS, F. C. A. Tipologia de sistemas de logística reversa baseada nos processos de recuperação de valor. In: SIMPÓSIO DE ADIMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO. LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS,12., 2009. Anais... São Paulo: FGV:EAESP, 2009.

APE.NA – Associação de profissionais de educação do norte Alentejo. (Projeto Floresta.com). [Internet] Os resíduos de madeira. Available from: http://www.apena.rcts.pt/

BATALHA, Mário Otávio; BUAINAIN, Antônio Márcio. Cadeias produtivas de flores e mel. Brasília: IICA: MAPA/SPA, 2007.

BARNEY, Jay B.; HESTERLY, William S. Administração Estratégica e Vantagem Competitiva. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

BRASIL. Lei nº 12.305/2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Available from:

BRASIL. Decreto nº 7.404/2010. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências. Available from: .

CSCMP. Council of Supply Chain Management Professionals. [Internet] Available from .

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA. Meio Ambiente, Brasil, 2015. Available from : http://admin.cni.org.br/portal/data/pages/FF808081379A7BEB0137BDBC309064FD.htm. Acesso em: agosto de 2015.

DONAIRE, Denis. Gestão Ambiental na Empresa. São Paulo: Atlas, 1999.

FAGUNDES, H. A. V. Diagnóstico da produção de madeira serrada e geração de resíduos do processamento de madeira de florestas plantadas no Rio Grande Do Sul. 2003. 61 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

JARA, E. R. A geração de resíduos pelas serrarias. São Paulo, Boletim Técnico ABPM, n. 59, 1987.

LACERDA, L. Logística Reversa – Uma Visão sobre os Conceitos Básicos e as Práticas Operacionais Centro de Estudos em Logística, COPPEAD, UFRJ, 2002. Available from: < http://www.cel.coppead.ufrj.br/fs-public.htm>

LEITE, P.R. Canais de Distribuição Reversos. Revista Tecnologística. São Paulo, 2000.

LEITE, P. R. Logística Reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

LEITE, P. R. Logística Reversa: meio ambiente e competitividade. 2 ed. São Paulo: Prentice Hall Brasil, 2009.

MARCHI, C. M. D. F. Cenário mundial dos resíduos sólidos e o comportamento corporativo brasileiro frente à logística reversa. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, n. 2, p. 118-135, jul./dez. 2011.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E ICLEI – BRASIL. Planos de gestão de resíduos sólidos: manual de orientação. Brasília, 2012. Available from: Acesso em: agosto de 2015.

MUELLER, C. F. Logística Reversa Meio Ambiente e Produtividade. Santa Catarina: UFSC, 2005. Available from: http://www.empresaresponsavel.com/aulas/logistica_texto_meioambiente.pdf. Acesso em: julho 2015.

NETO, José Chavaglia. Energia Solar: Uma Vantagem Competitiva. (2008). Available from: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/energia-solar-uma-vantagem-competitiva471535. html Acessado em: 20 de abril de 2010, 23:25

PORTER, Michael. Vantagem Competitiva: Criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

POZL, W. B. et al. Cadeia produtiva do processamento mecânico da madeira – segmento da madeira serrada no estado do Paraná. In: CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, 8, 2003, São Paulo. Anais... São Paulo: SBS/SBEF, 2003. 1 CD-ROM.

REVISTA CREA. [Internet] Available from: Acesso em: setembro, 2015.

REVISTA DA MADEIRA. [Internet] Available from: http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira_materia.php?num=1626&subject=Res%EDduos&title=Aproveitamento%20econ%F4mico%20dos%20res%EDduos%20de%20madeira> Acesso em: julho, 2015.

ROQUE, C. A. L., VALENÇA, A. C. V. Painéis de Madeira Aglomerada. BNDES Setorial. 1998. Available from: . Acesso: julho de 2015.

SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES FLORESTAIS. Produção florestal, Cadeia produtiva. [Internet] Brasil, 2015. Available from: < http://www.florestal.gov.br/snif/producao-florestal/cadeia-produtiva> Acesso em: setembro, 2015.

SELMANY, Y.. Analyse Des Flux Physique De Bois À L’interieur De La Filiére-Bois. Nancy. ENGREF. 1993. 200 p. Tese. Doutorado.

STOECKL, Karl. Conceitos de Vantagem Competitiva, sua Aplicação e Sustentabilidade (2009) Available from: Acessado em: 18 de Outubro de 2015, 16:15.

ZIMERMANN, R. A.; GRAEML, A. R. Logística reversa: conceitos e componentes do sistema. Estudo de caso: Teletex Computadores e Sistemas. XXII ENEGEP. Ouro Preto: Out. 2003.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X21898

Copyright (c) 2016 Ciencia & Natura



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.