Comunicador e trabalho: o pseudomundo da felicidade na sociedade de consumo

Ana Maria Dantas de Maio, Marcelo da Silva

Resumo


Na sociedade contemporânea, o sujeito-comunicador assume distintas identidades em diferentes momentos de seu trabalho, caracterizado pelas pressões do deadline, pelos imperativos da sociedade de consumo e pela necessidade de “convencer”, intrínseca à comunicação organizacional. Por meio da ACD (Análise Crítica de Discurso) e da AD (Análise de Discurso), mergulhamos no universo da produção discursiva das organizações para tentar compreender o que leva esse sujeito-comunicador a reproduzir a ideologia dominante impressa na busca da eterna felicidade. Estudamos discursos de duas empresas, a Telefónica-Vivo e a Coca-Cola, e constatamos que esses profissionais não se apropriaram da autonomia vicejada por Morin; ao contrário, cederam à relação de dependência que os interpela em sua forma de sujeito na cotidianidade.

http://dx.doi.org/10.5902/2175497710819


Palavras-chave


Comunicação organizacional; consumo; felicidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2175497710819 ';





 

Apoio

Universidade Federal de Santa Maria

Programa de Pós-graduação em Comunicação

Animus recebe apoio financeiro do edital

PRÓ-REVISTAS 2017 nº 11/2017

 

ANIMUS - Revista Interamericana de Comunicação Midiática

e-mail: revistaanimus@ufsm.br

Classificação Qualis-CAPES: A3

Temática classificada CNPQ: Comunicação: 6.09.00.00-8

DOI: 10.5902/21754977

Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.


Indexada em:

Compartilhe Revista Animus