O PARÂMETRO DO SUJEITO NULO: UMA ANÁLISE CONTRASTIVA ENTRE O PORTUGUÊS E O ALEMÃO

Carla Carine Gerhardt

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar, através dos pressupostos da Gramática Universal (GU), que faz parte da Gramática Gerativa, desenvolvida por Noam Chomsky (1965), como a questão do parâmetro do sujeito nulo se sucede em línguas que não seguem todos os princípios da GU, como o português. Para realizar tal apresentação, são apresentados os principais teóricos do inatismo como teoria de aquisição e desenvolvimento da linguagem e os pressupostos da GU, conforme sua constituição histórica. Depois, comparam-se de exemplares de frases da língua portuguesa, em que o parâmetro do sujeito nulo ocorre, com exemplares correlatos de frases da língua alemã, em que a expressão do sujeito é obrigatória e constitui um princípio. Assim, são utilizadas uma oração com sujeito oculto e outra sem sujeito da língua portuguesa. Através dessa análise, evidencia-se que a gramática universal, apesar de possuir princípios rígidos, pode comportar os chamados parâmetros, que são princípios abertos, obtidos através do meio linguístico ambiente.


Palavras-chave


Teorias de aquisição da linguagem; Gramática Gerativa; Parâmetro do sujeito nulo

Texto completo:

PDF

Referências


CHOMSKY, N. Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, MA: MIT Press, 1965.

DIAS, L. S.; GOMES, M. L. C. Estudos linguísticos: dos problemas estruturais aos novos campos de pesquisa. Curitiba: Ibpex, 2008.

FINGER, I.; QUADROS, R. M. Teorias de aquisição da linguagem. Santa Catarina: Editora UFSC, 2013.

GUIMARÃES, T. Linguística 1. São Paulo: Pearson, 2014.

KATO, M. A. A evolução da noção de parâmetros. DELTA [online]. 2002, vol.18, n.2, pp. 309-337. ISSN 1678 460X. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2015.

MARINS, J. E. O parâmetro do sujeito nulo: uma análise contrastiva entre o português e o italiano. 2009, 111 p. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2009.

LOPES, R. E. V. Aquisição da linguagem: novas perspectivas a partir do programa minimalista. In: DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, São Paulo, v. 17, n. 2., p. 245 – 241, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-44502001000200004&script=sci_arttext. Acesso em 20 jan. 2015.

RAPOSO, E. P. Teoria da Gramática: A faculdade da Linguagem. Lisboa: Caminho, 1992.

SILVA, B. Desenvolvimento da linguagem: uma proposta inatista. In: Jornada Nacional de Linguística e Filologia da Língua Portuguesa, 3, 5 nov. 2008, Rio de Janeiro, 2008. Trabalhos. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2015.

SOUZA, A. R. B. et al. A teoria inatista de aquisição da linguagem. Revista Partes, p. 1 – 1, 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1516849231885

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores da revista L&C:

                                                                                          


Órgãos aos quais a revista L&C pertence:

 

                              

 

E-ISSN 2674-6921. Revista Qualis B3, área de Letras e Linguística, Classificações de Periódicos Quadriênio 2017-2020 (CAPES).