Comparação de métodos de triagem para detecção de bacteriúria em amostras do bairro Maringá e do Hospital Universitário de Santa Maria

Rosmari Horner, Graziela E. Dobbert Kocourek, Vanessa Oliveira Domingues, Fabiane Rigatti, Claudia de Mello Bertoncheli, Gustavo Luiz Paraguinski

Resumo


As infecções do trato urinário estão entre as doenças infecciosas mais comuns na prática clínica, sendo que no meio hospitalar são as mais freqüentes. Esta pesquisa teve por objetivo comparar as seguintes metodologias de triagem utilizadas nas uroculturas: o cloreto de 2,3,5-trifeniltetrazólio (CTT), a coloração de Gram e testes físico-químicos. De fevereiro a julho de 2007 foram analisadas 69 amostras de urina provenientes do Bairro Maringá, Santa Maria-RS, com solicitação médica do exame de urocultura. Para fins de comparação com amostras hospitalares, de maio a julho de 2007 foram efetuadas 104 culturas de urina encaminhadas ao setor de Microbiologia do HUSM. Das 69 amostras comunitárias 10 (14,5%) tiveram resultado cultural positivo, e das 104 amostras hospitalares, 17 (16,36%). O CTT foi positivo em 5 (50%) das 10 amostras positivas comunitárias, e 8 (47,1%) das  17 hospitalares. Concluímos que o método de triagem pela coloração de Gram é mais eficaz comparado com as provas de nitrito e leucócitos, por apresentar melhor concordância com a urocultura e menor índice de interferentes.


Palavras-chave


Bacteriúria; Infecção; 2,3,5-trifeniltetrazólio.

Texto completo:

PDF

Referências


Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Principais Síndromes Infecciosas - Módulo I - Infecções do Trato Urinário - [on line] Disponível na internet via http://www.ccih.med.br/mod_1_2004.pdf. Acesso abril/dezembro de 2007.

Hasenack BS; Marquez AS; Pinheiro EHT; Guilherme RL; FRASSON FT; Avelar GS. Disúria e polaciúria: sintomas realmente sugestivos de infecção do trato urinário. RBAC, V. 2004; 36(3): 163-166.

A spewall O; F orsum U; Kjertadius TH allander, H. Evaluation ot two methods for improving quality of diagnosis of bacteriúria by culture in primary healthcare. Scand. J. Clin. Lab. Invest., 2000; 60: 381-386.

Horii T; Morita M; Kameno Y; Kanno T; Maekawa M. Comparison of a new system with convencional methods for quantitative urine cultures. Lett. Appl. Microbiol. 2002; 35: 499-503.

Simmons NA; Williams JD. Use of a solid reagent in the triphenyl tetrazolium chloride test for bacteriuria. J. Clin. Path., 1967; 20: 767-769.

Ramos TZ; Pizzollitto EL; Pizzollitto AC. Uso do teste com cloridrato de trifenil tetrazólio (CTT) para detecção de bacteriúria sintomática e assintomática. RBAC: 38: 197-199.

Beloti V; Barros MAF; Freitas JC; Nero LA; Souza JA; Sanatana EHW; Franco BDG. M. Frequency of 2,3,5-triphenyltetrazolium chloride (TTC) non-reducing bacteria in pasteurized milk. Revista de Microbiologia, 1999; 30: 137-140.

Cordova M; Saez CG; Saieh C; Puga F. Triphenyl tetrazolum chloride test (TTC): Useful or useless? Rev. Chil. Pediat., 1978; 49: 61-62.

Jones PH; Prasad D. The use of tetrazolium salts as a measure of sludge activity. J. Water. Poll. Control. Fed., 1969; 41: 441-449.

Cardoso CL; Muraro CB; Siqueira VLD; Guilhermetti M. Simplified technique for detection of significant bacteriuria by microscopic examination of urine. J. Clin. Microbiol., 1998; 36 (3): 820-823.

Kass EH. Asymptomatic infections of the urinary tract. Trans. Assoc. Am. Phys., V.1956; 69: 56-64.

Kass EH. Bacteriuria and the diagnosis of infections of the urinary tract. Arch. Intern. Med., 1957; 100: 709-714.

Stamm WE; Counts, G. W.; Running, K. R.; Fihin, S.; Turck, M.; Holmes, K. K. Diagnosis of coliform infection in acutely dysuric women. N. Engl. J. Med., 1982; 307: 463-468.

Stamm WE. Measurement of pyuria and its relation to bacteriuria.

Am. J. Med., V.1983, 75, 53-58.

Ciari JR, C ET AL. - A importância das provas de despistagem da

bacteriúria assintomática em serviços de pré-natal. Rev. Saúde Pública,

S. Paulo,1975; 9:25-31.

Bail L; Ito CAS & Esmerino LA. Infecção do trato urinário: comparação entre o perfil de sensibilidade e a terapia empírica com antimicrobianos. RBAC, 2006; .38(1): 51-56.

Camargo ILBC; Mascheto A; Salvino C; Darini ALC. Diagnóstico bacteriológico das infecções do trato urinário - uma revisão técnica. Medicina, Ribeirão Preto, 2001; 34: 70-78.

Machado BM, Pahl MMC, Betta SL, Ejzenberg B, Baldacci E, Okay Y. Análise dos Métodos Diagnósticos para Infecção Urinária,Pediatria (SP), 1995; 17(1):42-46.

Semeniuk H; Church D. Evaluation of the leukocyte esterase and nitrite urine dipstick screening tests for detection of bacteriuria in women with suspected uncomplicated urinary tract infections. J Clin Microbiol, 1999; 37: (9): 3051-3052.

Sato FS, Svidzinski AE, Consolaro EL, Boer CG. Nitrito urinário e infecção do trato urinário,2005. J. Bras. Patol. Med. Lab.2005; 41 (6): 397-404.

Martinho MDV; Toporovski J; Mímica IM. Métodos

bacteriológicos de triagem em infecções do trato urinário na

infância e adolescência. J. Bras. Nefrol.,2002; 24( 2): 71-80.




DOI: https://doi.org/10.5902/223658346491

Direitos autorais

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.