Autoimagem genital de mulheres com incontinência urinária atendidas em um serviço de fisioterapia ambulatorial

Deise Iop Tavares, Gessica Bordin Viera Schlemmer, Cora da Gama Souza, Tamires Daros dos Santos, Alecsandra Pinheiro Vendrusculo, Melissa Medeiros Braz

Resumo


Objetivo: Este artigo tem por objetivo analisar a autoimagem de mulheres com incontinência urinária atendidas no ambulatório de fisioterapia. Métodos: Estudo transversal, descritivo, quantitativo realizado a partir de uma análise documental de prontuários de fisioterapia de um serviço secundário de média complexidade de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul. Os prontuários continham dados sociodemográficos, dados sobre a incontinência urinária, bem como, a utilização do questionário Female Genital Self-Image Scale (FGSIS). Utilizou-se análise estatística descritiva em frequência absoluta e relativa e teste de normalidade de Shapiro-Wilk. Resultados: A amostra foi de oito mulheres com média de idade de 52,75±13,5 anos, com predomínio de multíparas, partos vaginais e que realizavam reposição hormonal. Em relação a incontinência urinária, houve predomínio do tipo mista, na forma de jato, provocada por esforço e com o uso de proteção permanente. A pontuação média do FGSIS foi de 19,25±3,95 pontos, apresentando uma autoimagem genital negativa. Os domínios mais afetados foram funcionamento (2,25±0,88 pontos) e cuidado (média 2,25±0,46 pontos). Não houve diferença significativa entre os domínios do FGSIS. Considerações finais: Os achados do presente estudo demonstram que as mulheres apresentaram uma autoimagem negativa com piores resultados nos domínios funcionamento e cuidado. 


Palavras-chave


Imagem corporal; Incontinência urinária; Saúde da mulher; Fisioterapia.

Texto completo:

PDF

Referências


Santos MO. Influência da incontinência urinária na qualidade de vida de idosos. Lagarto. Monografia (Graduação em Fisioterapia)- Universidade Federal de Sergipe; 2018.

CID-10. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. CID10 - Classificação Internacional de Doenças: incontinência urinária não especificada. 2020. [acesso em 03 fev. 2020]. http://www.medicinanet.com.br/cid10/2414/r32_incontinencia_urinaria_nao_especificada.htm.

Padilha J, Silva AC, Mazo GZ, Marques CMG. Investigação da qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. Arq. ciências saúde UNIPAR 2018;22(1):43-48. DOI: 10.25110/arqsaude.v22i1.2018.6302.

Esquenazi D, Silva SRB, Guimarães MAM. Aspectos fisiopatológicos do envelhecimento humano e quedas em idosos. Revista HUPE 2014;13(2):11-20. DOI: 10.12957/rhupe.2014.10124.

Waltner R. Genital identity: A core component of sexual- and self-identity. J Sex Res 1986;22(3):399-402. DOI: 10.1080/00224498609551319.

Brandão PMC. Função sexual e autoimagem genital em mulheres praticantes de atividade física. Salvador. Dissertação (Mestrado em Tecnologias em Saúde)- Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública; 2016.

Handelzalts JE, Yaakobi T, Levy S, Peled Y, Wiznitzer A, Krissi H. The impact of genital self-image on sexual function in women with pelvic floor disorders. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol. 2017;211:164-168. DOI:10.1016/j.ejogrb.2017.02.028.

Herbenick D. The development and validation of a scale to measure attitudes toward women’s genitals. Int J Sex Health 2010;21:153–66. DOI: 10.1080/19317610903149692.

Herbenick D, Schick V, Reece M, Sanders S, Dodge B, Fortenberry D. The Female Genital Self-Image Scale (FGSIS): Results from a Nationally Representative Probability Sample of Women in the United States. J Sex Med 2011;8(1):158-66. DOI: 10.1111/j.1743-6109.2010.02071.x.

DeMaria AL, Hollub AV, Herbenick D. The Female Genital Self Image Scale (FGSIS): validation among a sample of female college students. J Sex Med. 2012;9(3):708-718. DOI: 10.1111/j.1743-6109.2011.02620.x.

Schlemmer GBV. Limiar de dor no assoalho pélvico, função sexual e autoimagem genital de idosas com e sem fibromialgia. Santa Maria. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) - Universidade Federal de Santa Maria; 2018.

Zielinski RE, Kane-Low L, Miller JM, Sampselle C. Validity and reliability of a scale to measure genital body image. J Sex Marital Ther. 2012;38(4):309-24. DOI: 10.1080/0092623X.2011.569639.

Paiva LL, Frasson AL. Reflexões sobre menopausa, incontinência urinária, sexualidade e envelhecimento. Estud. interdiscip. Envelhec 2014;19(3):743-757.

Higa R, Lopes MHBM, Reis MJ. Fatores de risco para incontinência urinária na mulher. Rev. esc. enferm. USP 2008;42(1):187-192. DOI: 10.1590/S0080-62342008000100025.

Higa R, Lopes MHBM, Turato ER. Psychocultural meanings of urinary incontinence in women: a review. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2008; 16(4):779-786. DOI: 10.1590/S0104-11692008000400020.

Arruda GT, Silva JB, Braz MM. Autoimagem genital de mulheres idosas que frequentam um grupo de convivência. Inspirar 2019;19(1):1-10.

DeMaria AL, Hollub AV, Herbenick D. Using Genital Self‐Image, Body Image, and Sexual Behaviors to Predict Gynecological Exam Behaviors of College Women. J Sex Med 2011 Sep;8(9):2484-92. DOI: 10.1111/j.1743-6109.2011.02379.x.

Trutnovsky G, Rojas RG, Mann KP, Dietz HP. Urinary incontinence: the role of menopause. Menopause. 2014;21(4):399-402. DOI: 10.1097/GME.0b013e31829fc68c.

Wang C, Wan X, Wang K, Li J, Sun T, Guan X. Disease stigma and intentions to seek care for stress urinary incontinence among community-dwelling women. Maturitas 2014;77(4):351-355. DOI: 10.1016/j.maturitas.2014.01.009.

Quadros LB, Aguiar A, Menezes AV, Alves EF, Nery T, Bezerra PP. Prevalência da incontinência urinária em idosos institucionalizados e sua relação com o estado mental, independência funcional e comorbidades associadas. Acta Fisiátrica 2015;22(3):130-134. DOI: 10.5935/0104-7795.20150025.

Rodrigues M, Barbosa L, Ramos J, Maurer L, Catarino B, Thomaz R, et al. Perfil das Pacientes do ambulatório de uroginecologia de um Hospital Público de Porto Alegre com relação à incontinência urinária e à qualidade de vida. Clin Biomed Res 2016;36(3):135-141.

Lopes MHBM, Costa JN, Bicalho MB, Casale TE, Camisão AR, Fernandes MLV. Profile and quality of life of women in pelvic floor rehabilitation. Rev. Bras. Enferm. 2018;71(5):2496-2505. DOI: 10.1590/0034-7167-2017-0602.

Melo BES, Freitas BCR, Oliveira VRC, Menezes RL. Correlação entre sinais e sintomas de incontinência urinária e autoestima em idosas. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2012;15(1):41-50. DOI: 10.1590/S1809-98232012000100005.

Cavalcante KVM, Silva MIGC, Bernardo ASF, Souza DE, Lima TCGC, Magalhães AG. Prevalência e fatores associados à incontinência urinária em mulheres idosas. Rev. bras. promoç. Saúde 2014;27(2):216-223. DOI: 10.5020/2528.

Gyhagen M, Bullarbo M, Nielsen TF, Milsom I. The prevalence of urinary incontinence 20 years after childbirth: a national cohort study in singleton primiparae after vaginal or caesarean delivery. BJOG. 2013;120(2):144-151. DOI: 10.1111/j.1471-0528.2012.03301.x.

Carvalho CCM, Souza ASR, Moraes Filho OB. Episiotomia seletiva: avanços baseados em evidências. Femina 2010;38(5):265-70.

Langoni CS, Knorst MR, Lovatel GA, Leite VO, Resende TL. Incontinência urinária em idosas de Porto Alegre: sua prevalência e sua relação com a função muscular do assoalho pélvico. Fisioter. Pesqui. 2014; 21(1):74-80. DOI: 10.1590/1809-2950/475210114.

Abrams P, Andersson KE, Birder L, Brubaker L, Cardozo L, Chapple C et al. Fourth International Consultation on Incontinence Recommendations of the International Scientific Committee: evaluation and treatment of urinary incontinence, pelvic organ prolapse, and fecal incontinence. Neurourol Urodyn. 2010;29(1):213-240. DOI: 10.1002/nau.20870.

Pedro AF, Ribeiro J, Soler ZASG, Bugdan AP. Qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. SMAD, Rev. eletrônica saúde mental alcool drog. 2011;7(2):63-70.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583448367

Direitos autorais 2020 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.