Estado cognitivo e incontinência urinária em idosos institucionalizados

Gabrieli Rodrigues Gonçalves, Chaiane Ribeiro Pereira, Guilherme Tavares de Arruda, Giovana Morin Casassola, Hedioneia Maria Foletto Pivetta, Melissa Medeiros Braz

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar a relação entre o estado cognitivo e a ocorrência de incontinência urinária (IU) em idosos institucionalizados. Trata-se de um estudo observacional, transversal e com abordagem quantitativa. A coleta de dados ocorreu entre os meses de novembro de 2017 e janeiro de 2018. Foram investigados idosos, com idades variando de 60 a 90 anos, de ambos os sexos, residentes em duas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) de um município do sul do Brasil. Os instrumentos de pesquisa foram compostos pelos questionários International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form(ICIQ-SF) e pelo Mini Exame do Estado Mental (MEEM). As análises estatísticas foram realizadas por meio do software SPSS 17.0. Para verificar a normalidade dos dados, foi realizado o teste de Shapiro-Wilk. Para a correlação das variáveis, foi utilizado o Coeficiente Correlação de Spearman, admitindo-se o nível de significância de 5%. Foram avaliados 36 idosos, 29 (80,55%) do sexo masculino e 7 (19,45%) do sexo feminino, com média de idade de 69,64 ± 5,87 anos. A média do escore do MEEM do total de participantes do estudo foi 24,78 ± 4,12 pontos. A média do escore do ICIQ-SF foi 5,36 ± 6,97 pontos. Em relação à ocorrência de IU, 18 (50%) idosos relataram perder urina, sendo 14 (77,77%) homens e 4 (22,23%) mulheres. Não foi observada correlação entre os escores do ICIQ-SF e do MEEM. Não houve correlação entre estado cognitivo e IU na amostra de idosos deste estudo. É possível que diversos fatores não investigados estejam envolvidos nestes resultados.


Palavras-chave


Cognição; Incontinência Urinária; Idoso; Institucionalização

Texto completo:

PDF

Referências


Fechine BRA, Trompieri NO. Processo de envelhecimento: as principais alterações que acometem com o idoso com o passar dos anos. Revista Científica Internacional. 2012; 1(7):106-194.

Esquenazi D, Boiça SR, Guimarães MAM. Aspectos fisiopatológicos do envelhecimento humano e quedas em idosos. Revista HUPE, Rio de Janeiro. 2014; 13(2):11–20.

Andrade FLJP, Lima JMR, Fidelis KNM, Jerez-Roig J, Lima KC. Incapacidade cognitiva e fatores associados em idosos institucionalizados em Natal, RN, Brasil. Rev bras geriatr gerontol. 2017; 20(2):186-197.

Salcher BG, Portella MR, Scortegagna HDM. Cenários de Instituições de Longa Permanência para Idosos: retratos da realidade vivenciada por equipe multiprofissional. Rev bras geriatric gerontol. 2015; 18(2):259-272.

Neto AVL, Nunes VMA, Oliveira KSA, Azevedo LM, Mesquita GXB. Estimulação em idosos institucionalizados: efeitos da prática de atividades cognitivas. Rev pesqui cuid fundam (Online). 2017; 9(3):753-759.

Rosa TSM, Braz MM. Risco de quedas em idosos com incontinência: uma revisão integrativa. Rev Kairós. 2016; 19(1):161-173.

Abrams P, Cardozo L, Fall M, Griffiths D, Rosier P, Ulmstein U, et al. The standardisation of the terminology of lower urinary tract function: report from the Standardisation Sub-committee of the International Continence Society. Neurourol Urodyn. 2002; 21:167-178.

Quadros LB, Aguiar A, Menezes AV, Alves EF, Nery T, Bezerra PP. Prevalence of urinary incontinence among institutionalized elderly and its relationship to mental state, functional independence, and associated comorbidities. Acta Fisiátrica. 2015; 22(3):130–134.

Jerez-roig J, Souza DLB, Lima KC. Incontinência urinária em idosos institucionalizados no Brasil: uma revisão integrativa. Rev bras geriatric gerontol. 2013; 16(4):865–879.

Tamanini JTN, Dambros M, D’ancona, CAL, Palma PCR, Netto NR Jr. Validação para o português do “International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form” (ICIQ-SF). Rev Saude Publ. 2004; 38(3):438-444.

Folstein MF, Folstein SE, Mchugh PR. “Mini-mental state”: A practical method for grading the cogniti state of patients for the clinician. J Psychiatr Res. 1975; 12(3):189-198.

Malina RM. Tracking of physical activity and physical fitness across the lifespan. Res Q Exerc Sport. 1996;67(3 Suppl):S48-57.

Caixeta GCS, Ferreira A. Desempenho cognitivo e equilíbrio funcional em idosos. Rev Neurociênc. 2009; 17(3):202-208.

Busato WFS Jr, Mendes FM. Incontinência urinária entre idosos institucionalizados: Relação com mobilidade e função cognitiva. ACM arq catarin med. 2007; 36(4).

Trindade APNT, Barboza MA, Oliveira FB, Borges APO. Repercussão no declínio cognitivo na capacidade funcional em idosos institucionalizados e não institucionalizados. Fisioter Mov. 2013; 26(2):281-289.

Oliveira PB, Tavares DM.S. Condições de saúde de idosos residentes em Instituição de Longa Permanência segundo necessidades humanas básicas. Rev bras enferm. 2014; 67(2):241-246.

Silva MA, Aguiar ESS, Matos SDO, Lima JO, Costa MML, Soares MJGO. Prevalência de incontinência urinária e fecal em idosos: estudo em instituições de longa permanência para idosos. Estud interdiscip envelhec. 2016; 21(1):249-261.

Marques LP, Schneider IJC, Giehl MWC, Antes DL, D’Orsi E. Fatores demográficos, condições de saúde e hábitos de vida associados à incontinência urinária em idosos de Florianópolis, Santa Catarina. Rev bras epidemiol. 2015; 18(3):595-606.

Offermans MPW, Dumoulin MFMT, Hamers JPH, Halfens RJ. Prevalency of urinary incontinence and associated risk factors in nursing home residents: a systematic review. Neurourol Urodyn. 2009; 28(4):288-294.

Bolina AF, Dias FA, Santos NMF, Tavares DMS. Incontinência urinária autorreferida em idosos e seus fatores associados. Rev Rene (online). 2013; 14(2): 354-363.

Lini EV, Portella MR, Doring M. Fatores associados à institucionalização de idosos: estudo caso-controle. Rev Bras Geriatr Gerontol. Rio de Janeiro, 2016; 19(6):1004-1014.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236583435345

Direitos autorais 2019 Saúde (Santa Maria)

______________________________________________________________

Peridiocidade: Fluxo Contínuo.


Qualis:


Interdisciplinar e Educação Física - B3

Ciências Ambientais, Enfermagem, Odontologia e Saúde Coletiva - B4

Medicina Veterinária - B5

Biotecnologia e Ciências Biológias II - C

  

 Licença Creative Commons 

Saúde (Santa Maria) ∴ revistasaude.ufsm@gmail.com

eISSN 2236-5834 ∴ DOI 10592/22365834

 

Acessos desde 08/08/2013.