Cinema e incorporações: reflexões e possibilidades educativas

Rodrigo Ferrari, Monica Fantin

Resumo


Neste artigo apresentamos uma pesquisa sobre as possibilidades de ampliar a compreensão da relação entre cinema e educação a partir dos fenômenos e mecanismos da percepção e da cognição numa dimensão corporal, que estamos denominando de incorporações. O objetivo é especificar novas possibilidades e discutir novos limites teóricos e didáticos do ensino aprendizagem do cinema através das incorporações. Para isso, realizamos um estudo teórico e uma pesquisa aplicada articulando a didática e o cinema em diálogo com a mídia-educação. Entre as considerações, identificamos uma trilha fértil de novas possibilidades para ensinar e aprender cinema, a partir do cruzamento dos pontos de vista cognitivo, estético, cultural, social e político considerando o corpo como sujeito da percepção e da cognição. 


Palavras-chave


Educação; Cinema; Incorporações

Texto completo:

PDF

Referências


BALAZS, Béla. O homem visível. In XAVIER, I. (org). A experiência do cinema. 3. ed. Rio de Janeiro: Grahal, 1983.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas I: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre a literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1996.

BERGALA, Alain. L’hypothèse cinema: Petit traité de transmission du cinema à l’école et ailleurs. Paris:Cahiers du Cinema, 2002.

CASETTI, Francesco. Teoria del cinema 1945-1990. Milano:Bompiani, 2004.

DALLARI, Marco. La dimensione estética della paideia: fenomenologia, arte, narrativa. Trento: Erickson, 2005.

DELEUZE, Gilles. A imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 2005.

DESCARTES, Rene. Meditações sobre Filosofia Primeira. Campina: Editora Unicamp, 2004.

DIODATO, Roberto . L’invisibile sensibile: itinerari di ontologia estética. Milano: Mimesis Edizioni, 2012.

DIODATO, Roberto. Sobre o sentido da experiência estética. In Revista Tempos e Espaço em Educação, v.8, n.17, set-dez 2015. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/4511.

EISENSTEIN, Sergei. A Forma do Filme. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

FANTIN, Monica. Produção cultural para crianças e o cinema na escola. Anais da 26ª Reunião Anual da ANPED, Poços de Caldas, 2003.

FANTIN, Monica. Mídia-Educação: conceitos, experiências, diálogos Brasil-Itália. Florianópolis: Cidade Futura, 2006.

FANTIN, Monica. Crianças, Cinema e Educação: além do arco-íris. São Paulo: Annablume, 2011.

FANTIN, Monica. Audiovisual na escola: abordagens e possibilidades. In BARBOSA, M. C.; SANTOS, M. A. (orgs). Escritos de Alfabetização Audiovisual. Porto Alegre: Libretos, 2014.

FANTIN, Monica. Media-education e la dimensione estetica nella pratica pedagogica. Apresentação no Convegno SIREM 2017. Campobasso, 2017.

FERRARI, Rodrigo. Ensinar-aprender cinema: percepção e cognição inroporada. Tese de Doutorado. UFSC/PPGE, 2015.

FRANCO, Marília. Linguagens audiovisuais e cidadania. In Comunicação & Educação, São Paulo, (91: 32 a 35, maio/ago. 1997.

FREEDBERG, David. El poder de las imagines. Madrid: Ediciones Cátedra, 2011.

FREEDBERG, David; GALLESE, Vittorio. Motion, Emotionand Empathy in Aesthetic Experience. Trends in Cognitive Sciences, 2007.

GALLESE, Vittorio. Embodied Simulation: From neurons to phenomenal experience. Springer. Phenomenology and the Cognitive Sciences, 2005.

GALLESE, Vittorio; GUERRA, Michele. Embodying Movies: Embodied Simulation and Film Studies. Cinema: Journal of Philosophy and the Moving Image, 3: 183-210, 2012.

GALLESE, Vittorio; GUERRA, Michele. Lo schermo empático: cinema e neuroscienze. Milano: Raffaello Cortina Editore, 2015.

LESSIG, Lawrence. Remix: Making Art and Commerce Thrive in the Hybrid Economy. Reino Unido: Bloomsbury Academic, 2008.

MATURANA, Humberto R.; VARELA G., Francisco. A arvore do conhecimento: as bases biologicas do entendimento humano. Campinas: Psy II, 1995.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O visível e o invisível. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

MERLEAU-PONTY, Maurice. The World of Perception. New York: Routledge, 2004.

METZ, Christian. A significação no cinema. São Paulo: Perspectiva, 1972.

MURCH, Walter. Num Piscar de olhos – a edição de filmes sob a ótica de um mestre. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

PINOTTI, Andrea ; SOMAINI, Antonio. Cultura visuale: immagini sguardi media dispositivi. Torino: Piccola Biblioteca Einaudi, 2016.

RAJCHMAN, John. Deleuze. Un mapa. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión, 2007.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. L´audiovisivo e la formazione: metodi pre l´analisi. Padova: Cedam, 1998.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Il Cinema Luogo di educazione, tra scuola ed extra-escuola. In. MALAVASI, P.; POLENGHI, S.; RIVOLTELLA, P. C. (orgs) Cinema, Pratiche, Formative, Educazione. Milano: Vita e Pensiero, 2005.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Neurodidattica: Insegnare al cervello che apprende. Milano: Raffaello Cortina Editore, 2012.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Fare didattica con gli EAS: Episodi di Aprendimento Situati. Brescia: La Scuola, 2013.

RIZZOLATTI Giacomo. Functional organization of inferior area 6 in the Macaque monkey. II, 1988.

RIZZOLATTI, Giacomo; FADIGA, Luciano; GALLESE, Vittorio; FOGASSI, Leonardo. Premotor Cortex and the recognition of the actions. Elsiever: Cognitive and Brain Research 3. 131 – 141, 1996.

RIZZOLATTI, Giacomo; FOGASSI, Leonardo; GALLESE, Vittorio. Neurophysiological mechanisms underlying the understanding and imitation of action. Nature Reviews. Volume 2, Setembro de 2001.

SACKS, Oliver. L’occhio della mente. Milano: Adelphi Edizioni, 2011.

STAM, Robert. Introdução à teoria do cinema. Campinas Papirus, 2003.

VARELA, Francisco; THOMPSON, Evan; ROSH, Eleanor. The embodied mind: cognitive Science and human experience. MIT Press, 1993.

XAVIER, Ismail (org). A experiência do cinema. 3. ed. Rio de Janeiro: Grahal, 1983.

XAVIER, Ismail. Um Cinema que “Educa” é um Cinema que (nos) faz Pensar. Educação e Realidade. v. 33, n. 1, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734828785

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio