Deslocamentos deleuzianos na pesquisa em artes visuais: estratégias para uma prática híbrida através da imagem

Marina Romagnoli Bethonico, Roberta Carvalho Romagnoli

Resumo


Este artigo efetua uma reflexão sobre o método nas artes visuais contemporânea, propondo um diálogo com o filósofo Gilles Deleuze e seu plano de imanência. Tendo a imagem como fio condutor, rastreia o âmbito da produção artística atual, enfatizando o modo como os artistas concebem as sobrevivências da imagem. Em um contexto acadêmico que lida com a complexidade, o texto analisa como essa prática e seus processos fundamentam a construção de métodos de pesquisa singulares. Assim, considera-se ainda a capacidade da prática e da teoria de caminharem juntas, tendo como premissa fazer o fazer, pensar sobre o fazer, pensar sobre o pensar, fazer o pensar. Conclui-se que a imagem e o processo artístico são grandes potências de pesquisa na busca por um pensamento e uma prática da imagem que considere as diferenças.


Palavras-chave


Deleuze; Método de pesquisa; Artes visuais; Imagem; Sobrevivências

Texto completo:

PDF

Referências


BARRENTO, João. Na dobra do mundo – Escritos llansolianos. Lisboa: Mariposa Azual, 2008.

ELTING, Hans. O fim da história da arte: uma revisão dez anos depois. São Paulo: Cosac & Naify, 2006.

BORGES, Jorge Luis. El libro de arena. Buenos Aires: Emecé Editores, 2005, p. 155-165.

DELEUZE, Gilles. A imanência: uma vida.... In: Educação e realidade, Porto Alegre, v.27, n. 2, p. 10-17, jul./dez. 2002.

DELEUZE, Gilles. Platão e o simulacro. In: Lógica do sentido, São Paulo: Perspectiva, 1994, p. 259-271.

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Félix. Introdução: rizoma. In: Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995, v. 1, cap. 1, p. 11-37.

DIDI-HUBERMAN, Georges. L'étoilement – conversation avec Hantaï. Lonrai: Les Éditions de Minuit, 1998.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Ninfa moderna: essai sur le drapé tombé. Paris: Gallimard, 2002.

FUGANTI, Luiz Antonio. Saúde, desejo e pensamento. In: Saúdeloucura. São Paulo: Hucitec, 1990, n. 2, p. 19-82.

GIL, José. Prefácio. In: GODINHO, Ana. Linhas de estilo – Estética e Ontologia em Gilles Deleuze. Lisboa: Relógio D`Água, 2007, p. 13-15.

GODINHO, Ana. Linhas de estilo – Estética e Ontologia em Gilles Deleuze. Lisboa: Relógio D`Água, 2007.

HUCHET, Stéphane. Do ver ao Mostrar: Representação e Corpus da Arte. In: HUCHET, Stéphane (Org.). Fragmentos de uma Teoria da Arte. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012, p. 217-262.

MORIN, Edgar. Epistemologia da complexidade. In: SCHNITMAN, Dora Fried (Org.). Novos Paradigmas, Cultura e Subjetividade. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996, p. 274- 290.

NIETZSCHE, Friedrich W. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1986.

ROMAGNOLI, Roberta Carvalho. A cartografia e a relação pesquisa e vida. Psicol. Soc., Florianópolis , v. 21, n. 2, Aug. 2009 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-

&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 jun. 2014.

SCHOPKE, Regina. Por uma filosofia da diferença: Gilles Deleuze, o pensador nômade. Rio de Janeiro: Contraponto; São Paulo: Edusp, 2004.

VERHAEGHE, Paul. Neoliberalism has brought out the worst in us. Disponível em: http://www.theguardian.com/commentisfree/2014/sep/29/neoliberalism-economicsystem-ethics-personality-psychopathicsthic. Acesso em: 5 nov. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734821347

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio