O esperado e o inesperado: manifestações do público escolar diante da arte contemporânea

Sandra Regina Ramalho e Oliveira

Resumo


Neste texto apresentamos uma proposta de exposição de arte denominada Natureza-Viva, contendo elementos característicos da arte contemporânea, visando obter e analisar dados relacionados a três edições da mostra, realizadas nas cidades catarinenses de Canoinhas, Lages e Florianópolis. As manifestações dos visitantes – na maioria, alunos -, deixadas por escrito, foram organizadas em categorias para análise. Afirmações de autores sobre o tema foram corroboradas, mas o imprevisível trouxe pontos inesperados para reflexão.


Palavras-chave


Arte na escola; Arte contemporânea; Leitura de imagens; Intertextualidade; Regime de acidente

Texto completo:

PDF

Referências


ARCHER, Michael. Arte Contemporânea, uma História Concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BOURDIEU, Pierre & DARBEL, Alain. O Amor pela Arte: os museus de arte na Europa e seu público. São Paulo: Edusp, 2003.

COCCHIARALE, Fernando. Quem tem medo de arte contemporânea? Recife: Ed.

Massangana, 2007.

CZERMACH, Sandrieli Aparecida. Natureza Morta? Viva! Trabalho de Conclusão de Curso. Canoinhas. Universidade do Contestado/UnC. 2013.

DANTO, Arthur C. Após o fim da arte: a arte contemporânea e o os limites da história. São Paulo: Odysseus, 2006.

LANDOWSKI, Eric. Passions sans nom. Paris: PUF, 2005.

MARTINS, Mirian Celeste et al. Mediação: estudos iniciais de um conceito. In: _________. (Org.). Mediação: provocações estéticas. Universidade Estadual Paulista – Instituto de Artes, Pós-Graduação. São Paulo, v. 1, nº 1, out. 2005.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734812696

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio