Imagens de celulares e narrativas de estudantes e professoras de artes de Macapá/AP

Clicia Tatiana A. Coelho, Erinaldo Alves do Nascimento

Resumo


Este artigo reflete sobre as imagens armazenadas nos telefones celulares de um grupo de estudantes do Ensino Fundamental e suas reverberações no contexto educativo, compreendendo a ação de armazenar tais imagens como mote difusor de processos de subjetivações. Utiliza a análise de discurso para considerar as regularidades e inconstâncias existentes nos modos que estudantes e professoras de Artes veem e são vistos pelas imagens. Discute sobre as formas que os colaboradores da pesquisa relacionam-se com as imagens, principalmente, no contexto escolar a partir de alguns princípios da Educação da Cultura Visual.


Palavras-chave


Imagem; Processo de subjetivação; Ensino de Artes Visuais; Cultura Visual

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Câmara. Senado. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Seção 1, p. 27.839.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: arte. Brasília, DF: MEC, SEF, 1997.

______. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. PNE verso e reverso: Plano Nacional de Educação. Rio de Janeiro: Folha Dirigida, 2001.

______. Ministério da Educação. Plano de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF, 2007. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: jun. 2012.

______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. Resolução CNE/CEB 7/2010. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de dezembro de 2010, Seção 1, p. 34. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/. Acesso em: ago. 2013.

CANCLINI, N. G. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução: Heloísa P. Cintrão e Ana Regina Lessa. 2ª Ed. São Paulo: EDUSP, 1998.

COELHO, C. T. A. Imagens de celulares e práticas culturais juvenis no cotidiano escolar. 2013. 167f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal de Pernambuco, João Pessoa, 2013.

FREEDMAN, K. Currículo dentro e fora da escola: representações da arte na cultura visual. In: BARBOSA, Ana Mae (Org.). Arte/educação contemporânea: consonâncias internacionais. São Paulo: Cortez, 2005.

HERNÁNDEZ, F. Catadores da Cultura Visual: proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação, 2007.

__________. Como pode a educação da cultura visual contribuir com a educação das artes. In: RODRIGUES, E. B. T; ASSIS, H. L. (Orgs.). Educação das artes visuais na perspectiva da cultura visual: conceituações, problematizações e experiências. SEDUC, GO, 2010, p. 59-86.

MARTINS, R. Das belas artes à cultura visual: enfoques e deslocamentos. In: MARTINS R. (Org.) Visualidade e educação. Goiânia: FUNAPE, 2008, p. 25-35.

MICHAELIS, Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1998, p. 2260.

NASCIMENTO, E. A. Mudanças nos nomes da arte na educação: qual infância? Que ensino? Quem é o bom sujeito docente? São Paulo, 2005, Tese (Doutorado em Artes), Universidade de São Paulo.

___________. Singularidades da educação da cultura visual nos deslocamentos das imagens e

das interpretações. In. MARTINS, R.; TOURINHO, I. (Org.). Educação da cultura visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2011, p. 209-226.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, 2001.

Disponível em:

%20digital%20natives,%20digital%20immigrants%20-%20part1.pdf. Acesso em mar. 2012.

TOURINHO, I; MARTINS, R. Circunstâncias e ingerências da cultura visual. In: MARTINS, R.; TOURINHO, I. (Org.). Educação da cultura visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2011, p.51-69.




DOI: https://doi.org/10.5902/1983734810735

 
 
 
DOI: Digital Object Identifier 10.5902/19837348

Qualis B1

Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 (CC BY 4.0).

Acessos a partir de 17/09/2015

CopySpider - Software Anti-plagio