Câncer na família: percepções de familiares

Fernanda Visoná, Mariane Prevedello, Emiliane Nogueira de Souza

Resumo


Objetivo: Descrever as percepções dos familiares acerca do adoecimento e tratamento de membro da família com câncer. Métodos: Estudo quanti-qualitativo, desenvolvido com familiares que convivem com os pacientes em suas rotinas de tratamento, no setor de oncologia de um hospital, em Caxias do Sul-Rio Grande do Sul. Coleta de dados realizada através de entrevista semiestruturada, seguida da análise de conteúdo dos dados. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética da instituição. Resultados: Entrevistaram-se 18 familiares. O diagnóstico de câncer recai sobre os familiares, causando um grande impacto negativo, refletindo-se em mudanças físicas, psíquicas e sociais. Inicia-se uma série de ações voltada à remissão da doença, em que os familiares empenham-se rotineiramente no cuidado e acompanhamento do paciente, levando a família a mudar seus hábitos diários para auxiliar uns aos outros. Conclusão: Ter um familiar com câncer gera sofrimentos, angústias e requer reorganização do estilo de vida dessas pessoas.

Palavras-chave


Neoplasias; Oncologia; Enfermagem; Família

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/217976923943



Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.