Redes de atenção à saúde: uma estratégia para integração dos sistemas de saúde

Adalvane Nobres Damaceno, Maria Alice Dias da Silva Lima, Vanessa Rodrigues Pucci, Teresinha Heck Weiller

Resumo


Objetivo: discutir e refletir sobre as Redes de Atenção à Saúde, seus conceitos teóricos e marcos legais nas políticas de saúde. Método: estudo teórico reflexivo, baseado na literatura científica sobre conceitos teóricos e marcos legais das Redes de Atenção à Saúde. Resultados: a integração dos serviços de saúde é uma resposta à fragmentação do cuidado e possui multiplicidade de conceitos, princípios e dimensões. As Redes de Atenção à Saúde revelam-se como uma estratégia para integração dos serviços e são uma alternativa na qualificação do cuidado. Experiências nacionais e internacionais indicam que o cuidado em rede, garante maior eficácia das ações de saúde com cuidados múltiplos pautados em uma integração sistêmica. Conclusões: a conformação de Redes de Atenção à Saúde colabora para superação do modelo verticalizado. A estruturação é pautada com base no perfil epidemiológico e colabora para melhoria da atenção prestada, com superação de lacunas assistenciais e redução de custos.

Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Integração de Sistemas, Serviços de Saúde; Cobertura de Serviços de Saúde; Prestação integrada de cuidados de saúde

Referências


Chueiri OS, Harzheim E, Gauche H, Vasconcelos LLC. Pessoas com doenças crônicas, as redes de atenção e a Atenção Primária à Saúde. Divulg Saúde Debate [Internet]. 2014 [acesso em 2019 fev 14];52:114-24. Disponível em: http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2014/12/Divulgacao-52.pdf

Organização Mundial da Saúde (OMS). Declaração de Alma-Ata. In: Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde; 1978 ; Alma-Ata, Cazaquistão; 1978. p. 6-12.

Bainbrige D, Brazil K, Krueger P, Ploeg J, Taniguchi A, Darnay J. Measuring horizontal integration among health care providers in the community: an examination of a collaborative process within a palliative care network. J Interprof Care [Internet]. 2015 [acesso em 2019 fev 14];3(29):245-52. Disponível em: https://doi.org/10.3109/13561820.2014.984019

Mendes EV. As redes de atenção à saúde [Internet]. Brasília (DF): Organização Panamericana da Saúde; 2011 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&category_slug=servicos-saude-095&alias=1402-as-redes-atencao-a-saude-2a-edicao-2&Itemid=965

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 4.279, de 30 de dezembro de 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à saúde no âmbito do sistema único de saúde [Internet]. Brasília (DF); 2010 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2011/img/07_jan_portaria4279_301210.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências [Internet]. Brasília (DF); 2011 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7508.htm

Magalhães Júnior HM. Redes de Atenção à Saúde: rumo à integralidade. Divulg Saúde Debate [Internet]. 2014 [acesso em 2019 fev 14];52:15-37. Disponível em: http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2014/12/Divulgacao-52.pdf

Santos CM, Barbieri AR, Gonçalves CCM, Tsuha DH Avaliação da rede de atenção ao portador de hipertensão arterial: estudo de uma região de saúde. Cad Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2019 fev 14];33(5):e00052816. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v33n5/1678-4464-csp-33-05-e00052816.pdf

Organização Mundial da Saúde (OMS). WHO global strategy on people-centred and integrated health services: interim report [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2015 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: http://www.who.int/iris/handle/10665/155002

Santos AM, Giovanella L. Regional governance: strategies and disputes in health region management. Rev Saúde Pública [Internet]. 2014 [acesso em 2019 fev 14];48(4):622-31. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v48n4/0034-8910-rsp-48-4-0622.pdf

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2010 [acesso em 2019 fev 14];15(5):2297-305. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15n5/v15n5a05.pdf

Armitage GD, Suter E, Oelke ND, Adair CE. Health systems integration: state of the evidence. Int J Integr Care [Internet]. 2009 [acesso em 2019 fev 14];9(82):1-11. Disponível em: https://www.ijic.org/articles/10.5334/ijic.316/

Goodwin N, Smith J. The evidence base for integrated care [Internet]. London: The King’s Fund and the Nuffield Trust; 2012 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: https://www.ijic.org/articles/10.5334/ijic.316/

Suter E, Oelke ND, Adair CE, Armitage GD. Ten key principles for successful health systems integration. Healthc Q [Internet]. 2009 [acesso em 2019 fev 14];13(N Spec):16–23. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3004930/pdf/nihms1308.pdf

Organização Panamericana de Saúde (OPAS). Informe Dawson sobre el futuro de los servicios medicos y afines, 1920 [Internet]. Ministerio de Salud de la Gran Bretana. Londres: Organização Panamericana de Saúde; 1964 [acesso em 2019 fev 14]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/169356/42178.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Kuschnir R, Chorny AH. Redes de atenção à saúde: contextualizando o debate. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2010 [acesso em 2019 fev 14];15(5):2307-16. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15n5/v15n5a06.pdf

Silva RM, Andrade LOM. Coordenação dos cuidados em saúde no Brasil: o desafio federal de fortalecer a atenção primária à saúde. Physis (Rio J) [Internet]. 2014 [acesso em 2019 fev 14];4(24):1207-28. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v24n4/0103-7331-physis-24-04-01207.pdf

Almeida PF, Santos AM, Santos VP, Silveira Filho RM. Integração assistencial em região de saúde: paradoxo entre necessidades regionais e interesses locais. Saúde Soc [Internet]. 2016 [acesso em 2019 fev 14];25(2):320-35. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v25n2/1984-0470-sausoc-25-02-00320.pdf

Medeiros KKAS, Pinto Júnior EP, Bousquat A, Medina MG. O desafio da integralidade no cuidado ao idoso, no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Saúde Debate [Internet]. 2017[acesso em 2019 fev 14];41(N Esp 3):288-95. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/sdeb/2017.v41nspe3/288-295/pt

Eerden MH, Ewert B, Hodiamont F, Hesse M, Hasselaar J, Radbruch L. Towards accessible integrated palliative care: perspectives of leaders from seven European countries on facilitators, barriers and recommendations for improvement. J Integr Care (Brighton) [Internet]. 2017[acesso em 2019 fev 14];25(3):222-32. Disponível em: https://www.emeraldinsight.com/doi/pdfplus/10.1108/JICA-03-2017-0006

Mangan C, Pietroni M, Porter D. “Being brave”: a case study of how an innovative peer review approach led to service improvement. J Integr Care (Brighton) [Internet]. 2016 [acesso em 2019 fev 14];24(4):201-13. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/JICA-06-2016-0021/full/html

Oreilly O, Hanlon D. Irish Integrated Care Programme for Chronic Disease - supporting general practice. Int J Integr Care [Internet]. 2017 [acesso em 2019 fev 14];17(3):1-8. Disponível em: https://www.ijic.org/articles/abstract/10.5334/ijic.3167/

Menicucci TMG, Costa LA, Machado JA. Pacto pela saúde: aproximações e colisões na arena federativa. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2018 [acesso em 2019 fev 14];23(1):29-40. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2018.v23n1/29-40/pt

Frank BRB, Toso BRGO, Viera CS3, Guimarães ATB, Caldeira S. Avaliação da implementação da Rede Mãe Paranaense em três regionais de saúde do Paraná. Saúde Debate [Internet]. 2016 [acesso em 2019 fev 14];40(109):164-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v40n109/0103-1104-sdeb-40-109-00163.pdf

Uchimura LYT, Viana ALD, Silva HP, Ibanez N. Unidades de Pronto Atendimento (UPAs): características da gestão às redes de atenção no Paraná. Saúde Debate [Internet]. 2015 [acesso em 2019 fev 14];39(107):972-83. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v39n107/0103-1104-sdeb-39-107-00972.pdf




DOI: https://doi.org/10.5902/2179769236832

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.