Perfil de recém-nascidos acompanhados em serviço de oftalmologia para controle da retinopatia da prematuridade

Vanessa Cappellesso Horewicz, Claudia Silveira Viera, Joziana Pastro, Beatriz Rosana Gonçalves de Oliveira Toso

Resumo


Objetivo: descrever o perfil de recém-nascidos prematuros acompanhados em serviço de oftalmologia do município de Cascavel, Paraná. Método: estudo quantitativo, observacional, transversal, com recorte temporal de 2014 a junho de 2016, cuja coleta de dados foi documental, obtida nos prontuários hospitalares. Análise estatística descritiva. Resultados: do total da amostra (n=183) a idade gestacional prevalente variou de 31 a 32 semanas (28,41%) e o peso ao nascer entre 1705g-1950g (24,04%). Desses bebês, 153 (83,60%) fizeram uso de oxigenioterapia, fator de risco para a Retinopatia da Prematuridade (ROP). A maior prevalência de ROP foi do grau II (n=15; 20,55%) e a menor no grau III (n=5; 6,85%). Conclusão: o perfil clínico dos recém-nascidos prematuros revelou que quanto menor a idade gestacional e peso, maior é o risco de ROP. Também foi identificado que todos aqueles que a desenvolveram, fizeram uso de oxigênio.

Palavras-chave


Prematuro; Enfermagem Neonatal; Retinopatia da Prematuridade; Continuidade da Assistência ao Paciente

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179769228871

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este site está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.